terça-feira, 7 de junho de 2016

Redman é uma das melhores coisas que a Tsuburaya já produziu nas últimas décadas

Herói ou assassino calculista? (Foto: Reprodução/Ultra Channel)

Há alguns posts atrás escrevi aqui no blog sobre a série nipo-americana VR Troopers, indagando se ela realmente é uma série ruim como muitos haters vivem cantando por aí na tokunet (às vezes sem acompanhar direito pra dar uma análise convincente e formar um argumento preciso). Apesar de toda aquela chocridão, sempre gostei do trio liderado pelo inexperiente Ryan Steele. Tenho esse esporte de analisar cenas e comparar situações entre as versões das franquias adaptadas - principalmente Metal Hero e Kamen Rider - praticamente desde sempre. No mais, não tem essa de odiar e levar tokusatsu demasiadamente a sério. Pra gostar de tokusatsu não precisa ter essas bobagens de julgar antes de assistir nem de ficar caçando qual gênero/franquia é melhor que a outra.

Falando de coisas toscas do tokusatsu, comecei a assistir ultimamente a série Redman, um clássico da Tsuburaya do ano de 1972. Outro clássico da chocridão que estava precisando assistir. Passei a acompamhar devido a uma recomendação feita pelo caprichado blog Casa do Boneco Mecânico - Anexo - (por Usys 222), até pela necessidade de ficar informado e pesquisar mais sobre esse estilo que tanto gostamos. Leia mais aqui pra entender melhor. 

Redman é uma das melhores produções já feitas pela Tsuburaya nos últimos 50 anos. Claro que clássicos do UltramanUltra Seven e demais heróis da Família Ultra tem os seus devidos valores. Só que Redman tem algo mais peculiar. Com baixo-orçamento, o herói de 40 metros - que lutava ao ar livre, quase sempre num terreno baldio ou num arrozal. Você até esquece que ele é "gigante" e leva de boa como um herói de tamanho normal.

Nos últimos anos Redman tem ganhado fama entre os japoneses. Sim, amigos. Uma série antiga pode arrebatar fãs de qualquer idade (ou vai dizer que Jaspion ainda não pode ter esse efeito entre a garotada de hoje?). É que os episódios são lançados de segunda a sexta pelo canal oficial da Tsuburaya no YouTube (também conhecido como Ultra Channel), sempre às seis da manhã (de Brasília). A parte chata da distribuição é que os episódios mais antigos são apagados após uma semana de lançamento. Ou seja, são cinco por semana. O que por um lado acaba atraindo o espectador a acompanhar diariamente a série como numa exibição regular na TV. Pelo menos a abertura e o primeiro episódio ficam intactos.

Desde sua estreia no início de abril o público japonês passou a acompanhar Redman e comentar bastante. O cara simplesmente virou uma espécie de "popstar" do tokusatsu. E ainda por cima ganhou a má fama de "serial killer vermelho". A primeira impressão que tive ao assistir a série é que Redman fosse um anti-herói. Do tipo que quer matar qualquer monstro que aparecesse em sua frente. Boa parte dos monstros são das séries Ultra. Alguns deles acabam "ressucitando". Só essa semana Saurus já apanhou e morreu umas três vezes.

Vale a pena assistir Redman e ver um lado do tokusatsu como ele é: nu e cru. Monstros de borracha com zíper amostra, malabarismo e coisas do tipo. E não adianta ficar torcendo o nariz achando que isso é desprezível por ser tosco. Pode até ser mal feito, mas foi por causa de produções assim é que hoje temos Ultraman, Kamen Rider e Super Sentai com efeitos especiais melhorados. E vale assistir pra dar risada e fazer escracho.

Redman é uma das coisas mais bizarras feitas pela Tsuburaya, mas que merece a fama que está tendo hoje no Japão. São 2 minutinhos e meio que mostrava um jeitão mais simplório de contar alguma história e que hoje em dia acabou deixando o herói principal parecer um psicopata (matando na faca sem dó e piedade). O importante é curtir um bom tokusatsu, seja ele tosco ou bem feito. É um prato cheio pra quem tem sede de conhecer mais sobre esse estranho universos dos monstros de borracha e encara isso sem fanatismo. Essa é a verdadeira essência do tokusatsu.

Redman foi exibido originalmente entre 24 de abril e 3 de outubro de 1972 e tinha 138 episódios de cinco minutos cada transmitidos de segunda à sexta às 7h30 da manhã dentro do programa Ohayo! Kodomo Show, da Nippon TV. A série está no ar pelo canal da Tsuburaya via YouTube desde 1 de abril e seu último episódio está previsto para ser lançado em 11 de outubro (terça-feira). O tema de abertura foi cantada pelo icônico Masato Shimon.

Confira a abertura e o primeiro episódio da série:



Nenhum comentário:

Postar um comentário