sexta-feira, 17 de junho de 2016

Click Your Heart, um novo jeitão de escolher um final

Você decide com quem Min Ah vai ficar no final

Não só novos animes chegaram na Netflix no começo do mês como também outras novas produções orientais. Novelas coreanas, pra ser mais específico. Os famosos K-dramas. Pra quem procura bons romances, é um prato cheio. Desse novo pacote vindo da Coréia do Sul, comecei a assistir a série Click Your Heart, que foi ao ar ainda neste ano na TV local, entre 17 e 19 de março.

O drama, que tem apenas 7 episódios de 15 minutinhos cada, é estrelado pela atriz e cantora (do estilo K-pop) Kwon Min Ah. Ela interpreta uma estudante de mesmo nome que se transferiu de escola. Consigo carrega a má fama de ser "amaldiçoada" devido a acidentes que ocorreram com pessoas que um dia estiveram ao seu redor.

Apesar disso, Min Ah consegue arrasar corações de quatro estudantes que não se importam com a lenda urbana que a cerca. São eles: o jogador de beisebol Kim Ro Woon, o locutor da rádio estudantil Lee Da Won, além de seus antigos colegas Baek Ju Ho e Kang Cha Ni. (NOTA: Todos estes personagens e seus respectivos atores tem os mesmos nomes.)

Click Your Heart segue uma interação onde o final de cada um dos primeiros três episódios jogam uma indagação onde Min Ah tem que escolher. As respostas são respondidas nos respectivos episódios seguintes. Mas não pára por aí. Este K-drama teve quatro finais. Ou seja, o espectador escolhe pode analisar e ver qual melhor seria melhor na visão de cada um. Um jeito diferente de contar história e de uma certa forma é um upgrade no estilo do extinto programa Você Decide (da Rede Globo). Não tem final privilegiado e outros eliminados por votação. Particularmente tenho o final que mais gostei e também a que mais achei estranho. Mas não contarei aqui pra evitar spoilers. O que dá pra dizer é que a tal lenda sobre maldição fica de lado, o que ajuda a desenvolver os desfechos sem se prender a esse elemento inicial.

É uma boa série e com certeza atrai atenção de quem é amante de romantismo (que é o meu caso). Fica a dica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário