sexta-feira, 10 de junho de 2016

Makoto Shinkai na Netflix #2 - The Place Promised in Our Early Days (2004)

Outro título interessante do diretor Makoto Shinkai que está disponível na Netflix desde o começo do mês é o filme The Place Promised in Our Days, de 2004. A película contou com


a co-direção de Yoshio Suzuki. No final do ano seguinte o filme ganhou uma versão em novel pela editora Enterbrain e 2006 teve uma edição especial em mangá pela Kodansha.

The Place Promised in Our Early Days (Kumo no Mukô, Yakusoku no Bashô; literalmente algo como "Além das Nuvens, o Lugar Prometido") aborda sobre um grupo de amigos que passou a investigar uma torre criada pela "União" (se referindo à antiga União Soviética), situada em Hokkaido. A tal torre ambiciosa e lembra a Torre de Babel, contada nos livro de Gênesis da Bíblia Sagrada. Só que ao invés da pretensão de "tocar os céus", a Torre da União estuda a possibilidade de atravessar a berreira da realidade para explorar universos paralelos.

Os protagonistas são os garotos prodígios da província de Aomori, Hiroki Fujisawa and Takuya Shirakawa e a graciosa Sayuri Sawatari. Após um fenômeno testemunhado pelos adolescentes, Sayuri desaparece misteriosamente.

O filme divide a atenção entre os tais jovens e também introduz os planos por trás da "União" em tomar o domínio com um plano audacioso. O filme é praticamente um "Arquivo X romantizado" (nada de extraterrestres, se é o que pensou). É que a trama envolve ficção científica e conspiração governamental. Um tom bem arrastado (nada chato) que leva a enigmas. O que diferencia é o pano de fundo poético entre Hiroki e Sayuri, que mantém a promessa de visitar um lugar especial entre ambos. Outro ponto a se destacar é a fotografia. Em muitos takes é possível apreciar magníficas vistas de pôr-do-sol. A composição das BGMs são do compositor Tenmon, que trabalhou em diversos trabalhos de Makoto Shinkai. Os traços melhoraram bastante se comparado ao filme anterior, Voice of a Distant Star (leia mais aqui).

The Place Promised in Our Early Days carrega bastante referências a outros trabalhos com temas de separação e sonhos. Por exemplo, no filme há um famoso poema lido por Sayuri chamado Eiketsu no Asa ("Manhã da Última Despedida") da coletânea de poemas Haru to Shura ("Primavera e Asura"), escrita pelo famoso escritor japonês Kenji Miyazawa (1896~1933). O poema foi escrito em ocasião da morte prematura de sua irmã, Toshi Miyazawa - falecida aos 24 anos. Além disso Shinkai insere uma referência a um de seus primeiros trabalhos chamado She and Her Cat (que ganhou uma versão em anime neste anos e está disponível no Brasil via Crunchyroll).

Um filme de arte recomendável pra quem realmente se diz amante da animação japonesa procurar e fugir um pouco da mesmice de sempre.


Leia também:

Cyborg 009 VS Devilman, o mais novo crossover a ser testemunhado pela humanidade

Ultraseven X é a mais nova opção para os amantes de ficção científica

Nenhum comentário:

Postar um comentário