quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Dublagem não deveria ser tão exigida nos streamings

Cavaleiros já foi alvo de reclamações incoerentes neste meio

Aqui acolá eu vejo uns comentários pela net afora sobre algumas (falsas) esperanças que alguns fãs tem sobre uma série nova ou antiga de anime e tokusatsu, que são lançadas em serviços de streaming como Netflix e Crunchyroll, saírem dubladas. Alguns reclamam e até exigem uma dublagem de uma série que nem ao menos foi lançada antes em TV/cinema/vídeo.

Gente, a coisa não é assim tão fácil quanto pensamos. Pra uma dublagem pintar numa plataforma como as citadas, no mínimo deveria ter conteúdo lançado em outras mídias. Ou seja, precisa-se de um licenciamento. Estas novas mídias são opções alternativas que trabalham diretamente com produções atuais/recentes. Aqui acolá chega alguma produção antiga. E são meios mais rápidos de se chegar. Desde que haja algum licenciamento e negociações acertadas. 
São serviços que ainda são novidades e estão em acensão. Assim como a TV por assinatura há uns 15-20 anos atrás. E é um meio que bem mais preciso do que a pirataria. Principalmente se tratando de serviços que adotam o simulcast.

E como é novidade, é normal ter leigos que estarem fora desta gama esperarem dublagem de alguma coisa. É o que acontece com as séries de Ultraman, que estão começando a pintar nos serviços. Não adianta exigir uma dublagem assim de cara, pois isso gera mais gastos e tempo no licenciamento. A legendagem sai mais em conta, é rápida e valoriza o áudio original. Entenda, não sou contra a dublagem, pois é uma coisa que curto também. O que eu quero dizer é que o fato de surgir uma dublagem inédita nestes serviços é um caso isolado. Como aconteceu recentemente com a chegada do anime Gintama no Netflix. Mas, pra você ver a diferença, a série foi dublada em Miami. Mesmo local onde dublaram o anime Blue Dragon. E como nem Cristo agradou a todos, já estão reclamando da dublagem adquirida pela plataforma.

Falando em reclamações, há alguns meses atrás a série clássica d'Os Cavaleiros do Zodíaco entrou no catálogo da Crunchyroll. Nem vou entrar no mérito da questão da imagem ser ou não ser ripada dos DVDs da PlayArte (que é de fato), pois o mesmo aconteceu com a versão dublada em espanhol. Que alias, entrou também na mesma época que foi lançada a nossa versão nas versões americanas e latinas. Os desinformados de plantão acusaram o serviço injustamente. A culpada disso tudo é da Toei Animation que licenciou. Agora, reclamar por não ter a dublagem antiga da Gota Mágica? Sério isso? Aquela dublagem não tem como mais ser negociada, uma vez que está perdida na massa falida da Manchete. Isso é material alternativo de divulgação e não passa disso. Aceitem.

O que todo otaku brasileiro precisa entender é que a Netflix e a Crunchyroll são equivalente às emissoras de TV específicas na internet. Feitas para um determinado público alvo e são serviços oficiais que , querendo ou não, dependem das distribuidoras. Enfim, são alternativas para uma era onde as emissoras de TV aberta e paga não querem mais investir em produções nipônicas. No mais, são quase nossas "Manchetes" do século XXI.

A otakada em geral (seja fã de anime ou tokusatsu) deveria aprender a agradecer mais e reclamar menos. Afinal um dia pediram por algo oficial em tempos de vacas magras. É preciso que se diga.

2 comentários:

  1. Eu acho que não é questão de exigência. O problema é que as pessoas não tem noção daí vem as críticas e acusações descabidas. Acho sim que as produções deviam ser dubladas. Tem gente que não consegue acompanhar legenda. Eu tenho uma prima autista e ela não consegue ver nada com legenda. Ela adora anime, só assiste o que é dublado. Eu sou um grande entusiasta de animes, inclusive escrevi um post sobre isso no meu blog outro dia:

    http://loucurasingular.wordpress.com/2014/12/12/a-magia-da-infancia-e-adolescencia-de-volta-gracas-aos-animes-e-servicos-de-streaming/

    Repare que eu deixei um recado. Eu não disse vocês são uns toscos porque as coisas não estão dubladas como muita gente faz por aí. Fora a cambada de malucos, e aí eu vou ter que concordar com você, que não entende nada de nada e mete o pau. A bola da vez é Gintama. Tem gente que nem sabe o que é Gintama e tá criticando a dublagem. Meu, se não sabe, não abre a boca.
    Eu acho que alguns casos são uma questão de justiça. Sailor Moon por exemplo é uma série com uma dublagem completamente porca que merecia uma segunda chance e todo mundo ia adorar ver no streaming, Crunchy ou NF.

    É verdade, é dificil tudo ser dublado pela questão do licenciamento, mas acho que quando eles nos agraciam com um anime dublado, principalmente coisa nova, temos mais é que agradecer.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tornadobr. Mas aí é que está o problema: a questão de dublagem não partem dos serviços em si. E sim das distribuidoras que enviam os seus materiais para lá. Poderia ter dublagem? Sim. Mas não tem como fazer pra um episódio que passa no mesmo dia no Japão. Entende? A coisa é burocrática. No caso de Gintama, isso é um fase de testes pra ver como isso vai caminhar. A Netflix apenas recebeu o material pra transmissão. Como eu disse acima, a coisa não é tão simples como a gente imagina, uma vez que esses licenciamentos são internacionais.

    ResponderExcluir