segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Nostalgia: Roswell completa 15 anos de sua estreia

No dia 6 de outubro de 1999 (quarta-feira), estreava nos EUA uma das melhores séries de drama sci-fi que já passou na TV. Roswell inicialmente ia ao ar

Elenco fixo da segunda 
temporada de Roswell
todas as quartas-feiras às nove da noite. Algo que pode ser visto hoje como um "Crepúsculo" da vida, mas que é bem superior e com menos enrolação.

Como o próprio título sugere, a história se passa na cidade onde foi supostamente descoberto um disco voador na famosa cidade do Novo México, em 1947. Fato que ficou conhecido mundialmente como Caso Roswell. Vários anos mais tarde, três crianças são descobertas no deserto e são acolhidas por humanos. Estas três crianças mantem-se unidas em contato e tentam entendem o porquê de seus poderes especiais, ainda que em segredo do restante da civilização.

No mês de setembro de 1999, ocorre um tiroteio onde a bela jovem Liz Parker é atingida. Antes que ela morresse, Max Evans salva sua colega de escola com seu poder. Este é o ponto de partida para os eventos desta série. Passamos conhecer as tais crianças que agora são adolescentes com poderes paranormais. Max vive com sua irmã Isabel (ou Isabele na dublagem) e os dois contam com o amigo Michael Guerin.


Quantos aos seus poderes especiais, Max tem o dom da cura e da telecinese. Além de projetar almas. Já Isabel pode invadir o sonho de uma determinada pessoa ao olhar para uma foto da mesma em questão. Obviamente isso funciona quando a pessoa está dormindo. E Michael tem dificuldades em controlar seus poderes, tendendo a fazer coisas explodirem quando sente raiva.

Inicialmente a série aborda a construção do drama entre os personagens. Já na primeira temporada são definidos os interesses amorosos entre Max e Liz, Isabel e Alex Withman, e Michael e Maria DeLuca. Uma vez que estes amigos de Liz se envolvem com o tal segredo do trio de aliens. O que acaba sendo o pivô do desenrolar da trama.


Da esq. para dir.: Isabel, Michael e Max

Na primeira temporada, a luta é para defender os Max e os outros do Xerife Jim Valenti, que investiga atividades paranormais pelo FBI, e desconfia de Max desde o piloto. Como contraponto, o seu filho Kyle foi o namorado de Liz no começo da série.

E quanto aos aliens do mal? Sim, estes aparecem em meados da temporada inicial e em boa hora. O primeiro dele é um metamorfo que atende pelo nome Nasedo, que é a causa de muita dor de cabeça e perseguição ao Max. A partir daí inicia-se a busca pelo quarto híbrido alienígena que teria vindo com o trio para a Terra. O enredo nos apresenta então a personagem Tess Harding, que seria a rival de Liz pelo coração de Max na segunda temporada.


A série tem bons momentos e sempre apareciam ligações onde acrescentavam algo quanto à origem dos heróis. A segunda temporada foi a melhor de todas e mais completa e na medida certa, tanto no quesito drama quanto no sci-fi. Os novos inimigos eram os aliens Skins, que procuravam caçar os híbridos alienígenas de Antar (o planeta natal dos protagonistas forasteiros). Com direito à um episódio que retratou bem uma batalha final entre as duas raças na Terra. Algo digno a um season finale. Ainda na segunda temporada, o elenco tem uma baixa de um personagem importante na trama.

Infelizmente a terceira temporada teve vários problemas. Pra começar: Roswell migrou da The WB para a UPN em 2001. (Nota: ambas as emissoras foram extintas em setembro de 2006 para formar o canal The CW) A produção de Roswell passou por problemas financeiros e adotou um tom mais realista do que da própria ficção científica. Deixando alguns episódios monótonos e perdendo bruscamente a qualidade. Ainda assim, o final da série teve a pegada que deu origem aos acontecimentos e o final foi algo surpreendente. Um tanto rápida até, mas o suficiente para um desfecho de uma série que marcou uma geração que acompanhou o programa.

Roswell foi o palco de alguns rostos conhecidos das séries mais recentes. Como Katherine Heigl (Isabel) que ficou famosa como a Dra. Isobel "Izzie" Katherine Stevens na seis primeiras temporadas de Grey's Anatomy; A atriz Emilie de Ravin marcou com a gravida Claire Litteton em Lost; e o ator Adam Rodriguez, o Eric Delko de CSI: Miami, entrou para o elenco fixo da terceira e última temporada como Jesse Ramirez - o novo namorado de uma das garotas da trama. Curiosamente, o saudoso ator Heath "Coringa" Ledger fez um audition para o papel de Max Evans.



No Brasil, Roswell era exibido todos os sábados na Fox, religiosamente na faixa das sete da noite. Numa era em que passavam bons programas noturnos nos fins de semana e fazia gosto ficar em casa pra acompanhar. Com reprises no domingo à tarde. As duas temporadas passaram no horário oficial com a dublagem do estúdio paulista Mastersound. E as vozes são bem marcantes na memória de uma época onde série dublada era muito comum também na TV a cabo. A partir de maio de 2001, a Fox passaria a legendar algumas de suas séries veteranas como Buffy, Angel, Arquivo X e Boston Public, com a opção de dublagem nos fins de semana. Quanto ao Roswell, podia-se assistir nos sábados com o áudio original e nos domingos com a então habitual dublagem.

Em 2001, Roswell passou na última passagem da saudosa Sessão Aventura da Rede Globo, sempre às segundas-feiras no terrível horário das 11h15 da manhã sob o horrendo título Arquivo Roswell (Hein?!). A série fazia rodízio com outras séries como Sheena (às terças), Parceiros da Lei (às quartas), Stargate (às quintas) e O Homem Invisível (às sextas). Infelizmente a então nova edição da Sessão Aventura ficou no ar apenas por três semanas - de 2 a 20 de julho daquele ano - e permanece "póstuma" até os dias de hoje. Acarretado pelo descaso que a Globo tem com os enlatados americanos até hoje. (E pensar que a emissora pensa em adquirir séries da Warner futuramente...) Ou seja, nem deu tempo de Roswell despontar popularmente na TV aberta como se esperava e como merecia de fato. Nem ao menos fez uma dobradinha com Dawson's Creek nas manhãs de sábado. Ficou no anonimato da maioria do público brasileiro em geral. A Sessão Aventura foi substituída pelo anime Dragon Ball Z na saga de Majin Boo, onde teve um retorno de audiência por ser uma série dita como "infantil" em horário de programas infantis. (:P)



A trilha sonora de Roswell contou com um bom repertório da musica popular teen americana da época. Como destaque ficam Coldplay, Nelly Furtado, dentre outros nomes. Mas o mais marcante, ou senão a mais clássica/memorável, a música "Here With Me", tema de abertura cantada por Dido.

Roswell pode não ser tão popular atualmente como em seu auge, porém é uma série que merece destaque ao lado de Star Trek e de tantas outras do gênero. Uma reprise na TV seria ideal para a nova geração conhecer essa série bacana.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário