quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Evê Sobral ressalta National Kid e faz bullying com Yudi Tamashiro em programa sobre Cavaleiros e Dragon Ball

Evê estava vestindo uma camisa do National Kid (Foto: Reprodução/Rede Brasil)

Foi ao ar na noite desta terça (25) uma edição especial sobre anime no programa Em Revista, da Rede Brasil. É que a partir da semana que vem a emissora, que fechou contrato com a Toei Animation, irá apresentar (legalmente) as séries Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z. Ambas com suas respectivas versões remasterizadas em HD que foram lançadas há pouco tempo no Japão. Essa parceria é inédita por aqui e vale lembrar que pela primeira vez veremos as turmas de Seiya e Goku numa dobradinha na TV brasileira.

No programa passaram vários nomes importantes envolvidos nas respectivas obras de Masami Kurumada e Akira Toriyama por aqui como Marcelo Del Greco, Cassius Medauar (ambos da editora JBC), Eduardo Vilarinho (site CavZodiaco), além dos cantores Ricardo Cruz, Rodrigo Rossi, Larissa Tassi e alguns dubladores como Ulisses Bezerra (Shun de Andromeda), Figueira Jr. (Androide 17), Tânia Gaidarj (Bulma), entre outros convidados. Sem esquecer, é claro, da mensagem especial do presidente da Toei Animation ao público.

Curiosamente esteve também a apresentadora de games Nyvi Estephan, capa da atual edição da Playboy. Yudi Tamashiro, ex-Bom Dia & Cia, deu o seu depoimento sobre Dragon Ball Z. Disse que é fã de Goku desde pequeno e que nos bastidores do programa infantil do SBT já sabia que a audiência iria cair quando começava DBZ na Globo. Agora uma coisa que não deu pra entender direito foi o apresentador Evê Sobral fazer bullying com o rapaz dizendo algo como "Yudi fazia as coisas com o Goku na infância". Tentou até explicar pro espectador que não manja nada de anime quem era Goku, mas tudo saiu errado e caiu no mal gosto total.

Tirando isso, o bate-papo foi, digamos, ousado para um horário onde normalmente é destinado para um público que costuma ver outros tipos de entretenimento. Rolou um pequeno desfile de cosplays de ambas as séries e até cigarro de chocolate e bolo confeitado com os personagens dos desenhos japoneses. Evê também ressaltou que toda a história da cultura pop japonesa no Brasil começou lá nos anos 60 quando estreou a série tokusatsu National Kid (o apresentador vestia uma camisa do herói na ocasião). O que vimos foi algo bastante raro na TV brasileira como nunca aconteceu desde o lançamento de Digimon no Brasil no ano 2000. Ou mais. Vai ficar na memória de quem assistiu.

Um comentário:

  1. Mas certos blogs (2 deles tem seus links nesse site mesmo) já estão
    detonando esse novo bloco com sua ironia sem-graça).Realmente não
    é bom ter entusiasmo exagerado, é um canal muito pequeno e não
    se tem garantias de quanto tempo vai conseguir manter isso no
    ar,mas certos jornalistas estão cansando com seu sarcasmo para
    qualquer iniciativa com animes,se vão abandonar o gênero seja
    por desgosto com certos fãs, feminismo ou outros motivos, não tem
    o direito de censurar quem vai continuar vendo sem se importar
    com tenndências da moda e outras bobagens.

    ResponderExcluir