terça-feira, 11 de outubro de 2016

Episódios finais de Redman quebram padrões e aumentam a saudade de quem acompanhou o anti-herói

O serial killer da Tsuburaya (Foto: Reprodução/Ultra Channel)

Se você curte as séries Ultra e busca saber mais sobre o universo da Tsuburaya, provavelmente você deve ter dedicado pelo menos três minutinhos por dia - de segunda à sexta - à série Redman nos últimos seis meses. O spin-off de Ultraman chegou ao último episódio nesta terça (11) pelo Ultra Channel (canal oficial do estúdio via YouTube).

No caso deste blogueiro que vos escreve, a exibição do "serial killer vermelho" - alcunha batizada pelos próprios japoneses durante esta reprise - era obrigatória no café-da-manhã. As esquetes feitas com baixo orçamento - do próprio estúdio que na época estava investindo forte na produção de Ultraman Ace - se tornaram rotina e passou a ser mais do que a mera necessidade de informação. No começo era impossível não rir das pirotecnias e cenários improvisados. E apesar da Tsuburaya taxar o herói como um ser "pacífico", Redman era na realidade um assassino frio e calculista de monstros. Até os mais bonzinhos que surgiram nas séries Ultra como Pigmon (de Ultra Q e Ultraman), por exemplo, foram vítimas do "vermelhinho" da Tsuburaya. Herói é pouco. Redman é um anti-herói e um dos mais importantes do estúdio do eterno "deus do tokusatsu". Não o subestime pelos efeitos. A série conquistou a atual geração do nicho japonês e se tornou um dos ícones da Tsuburaya. Merece uma releitura nos dias de hoje e quem sabe isso possa ser uma dor de cabeça aos Ultras.

Os três últimos episódios de Redman foram diferentes. Na sequencia vimos Redman se duplicar, vimos pela primeira e única vez o golpe Red Thunder (a única coisa come efeito especial na série) e a cabeça de um monstro rolar. No caso, a última vítima foi Eleking (de Ultra Seven). As situações fugiram por completo do que estávamos acostumados a ver durante os primeiros 135 episódios (de um total de 138).

Redman vai deixar saudades. Pelo simples motivo de ter agitado o público local, a série de 1972 merece ser lembrada como uma das séries tokusatsu que marcaram 2016, junto de Ultraman Orb, Zyuohger, Kamen Rider Amazons, etc. Não é qualquer reprise na mídia japonesa que consegue fazer um êxito como fez Redman desde abril pra cá. Aliás, reprise essa que alcançou nível mundial através do YouTube. Além disso, Redman foi lucrativo para a Tsuburaya neste ano e ainda é. Que reprise de série tokusatsu no Japão consegue fazer isso? Redman conseguiu e bonito.

As minhas manhãs não serão mais as mesmas sem aquele psicopata carismático do tokusatsu. A quem não acompanhou Redman, minhas profundas condolências. Perderam uma das melhores coisas do tokusatsu. Ainda dá tempo de ver os últimos episódios nesta playlist. Red fight!

Assista ao último episódio de Redman:


PS: Redman irá ganhar um evento de exibição que acontecerá no Japão entre os dias 17 e 28 de novembro. Além de mais produtos à venda. Quer mole ou quer mais? Veja as imagens:




3 comentários:

  1. Tenho a impressão que a repercussão da exibição do Redman no Youtube não vai ficar só nessa exposição e na venda de produtos.

    Sinceramente, não ficaria espantado se a Tsuburaya ressuscitasse o Redman em live-action, em alguma produção própria (menos provável) ou como convidado (ou talvez antagonista) de alguma série ou filme dos Ultras.

    ResponderExcluir
  2. Também penso o mesmo, Ricardo. Quem sabe o Redman ganhe uma releitura ou um traje repaginado, né? Eu acho que ele poderia aparecer como vilão em algum filme do Ultraman talvez. Redman foi promissor pra Tsuburaya, sem dúvida nenhuma.

    ResponderExcluir
  3. Vou sentir saudades do "Red Fight!", sem sombra de dúvidas.

    ResponderExcluir