sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Kamen Rider Ex-Aid é legalzinho, mas Poppi Pipopapo é dispensável

Poppi Pipopapo

Todo ano é aquela coisa. A Toei anuncia um novo Kamen Rider e o visual causa estranheza entre o público (pelo menos nos brasileiros) e por aí vai. Não tenho o costume de falar sobre visual, mas abri exceção quando saiu a primeira e assustadora imagem de Kamen Rider Ex-Aid. Sim, eu disse na época que seu visual é o mais horroroso da franquia. Mas também defendi que a série pode ser boa ou ruim independente disso. Essa coisa entre visual e roteiro ainda é bem confundida por parte do público brasuca, infelizmente.

Assisti aos primeiros episódios do novo Rider das manhãs de domingo da japonesa TV Asahi e achei a série bacaninha. Claro que fica atrás de títulos mais sérios como Kamen Rider Kuuga, por exemplo, e até mesmo do Kamen Rider Gaim - subestimado por muita gente que achou que seria ruim por causa dos elementos de frutas. Mas dá pra se divertir com o Ex-Aid. Pode ser que Ex-Aid venha a surpreender no futuro, mas vai chamar atenção mesmo da garotada que é o público-alvo. O que não quer dizer que um adulto não venha a gostar, certo?

Apesar da trama ser legal e usar vários elementos/referências de games como Super Mario Bros., algumas coisinhas estão bem estranhas na tela. A começar pela enfermeira Asuna Karino (Ruka Matsuda). A gatinha esbanja graciosidade servindo ao seu oficio. Até aí tudo bem. Só que ela é o alter-ego da infantilóide Poppi Pipopapo (apesar do nome esdrúxulo, ela é baseada na famosa personagem de anime PoPiPo) e sai por aí fazendo peripécias exageradas. É pra espantar qualquer interesse na garota durante essa forma. Aliás, nem precisava disso, mas a Toei quer fazer alguma referência do tipo. Vamos ver até onde isso vai dar.

Dentre os Riders, gostei do Hiiro Kagami (Toshiki Seto)/Kamen Rider Brave. Certamente ele dará aquele toque de rivalidade necessário para uma série da franquia.

Um comentário: