quarta-feira, 25 de maio de 2016

Revisitando os Ultra filmes no Brasil #9 - Ultraman Saga (2012)

O trio Dyna, Zero e Cosmos

Depois de uma comemoração tímida de 45 anos de Ultraman em 2011, a Tsuburaya começa o ano seguinte com mais um filme da franquia. Ultraman Saga estreou nas salas de cinema do Japão em 24 de março de 2012. Cerca de um mês antes do primeiro filme da série Super Hero Taisen, da Toei Company, que fez uma lambança monstruosa numa guerra nonsense entre Kamen Rider e Super Sentai.

Sendo o último filme da trilogia que começou com Mega Batalha na Galáxia Ultra e prosseguiu em Ultraman Zero: A Vingança de Belial, este reúne três Ultramen de mundos diferentes e sem muita explicação. Ultraman Zero - que ainda estava no universo alternativo onde Belial fora derrotado - rebebe uma misteriosa mensagem que diz para ele ir à Terra. Zero chega ao universo onde ocorreu os eventos da série Ultraman Dyna (que também é o mesmo de Tiga).

Passaram-se 15 anos após o final de Dyna. Somos apresentados ao novo membro da Super GUTS, Nozomu Taiga (interpretado pelo cantor DAIGO). Durante uma perseguição, Taiga é salvo por Zero e ambos entram em simbiose. Porém, podem se comunicar entre si, sem deixar o hospedeiro adormecido (como na outra vez). Taiga é teletransportado por uma Granspheres e vai para um outro universo onde Alien Bat domina e cria o monstro Hyper Zetton.



Este universo desconhecido (chamado de "universo Saga") é protegido pelo Team U, da Earth Defense Force (EDF), formado por garotas (todas interpretadas por integrantes do grupo AKB48). Elas protegem crianças que foram separadas de suas família após um ataque de monstros. No passado, Shin Asuka (Takeshi Tsuruno), o Ultraman Dyna, conheceu a equipe e as crianças. Até que desapareceu após uma batalha feroz. Neste mesmo mundo também aparece Musashi Haruno (Taiyo Sugiura), o Ultraman Cosmos na luta contra os invasores.

O filme pode parecer confuso para algum leigo em Ultraman, mas isso se deve ao conceito de multiversos formado pela Tsuburaya nos últimos anos e usado mais explicitamente nesta trilogia. Na realidade o filme se passa em quatro universos diferentes: da Nebulosa M-78 (de Man ao Zero), de A Vingança de Belial, de (Tiga/)Dyna e o apocalíptico de Ultraman Saga. Se você não ficar atento, pode achar de primeira que houve uma "fusão" destes mundos. O que não acontece aqui.

Contando com parte do elenco original de Ultraman Dyna, a Super GUTS contou com o novo integrante interpretado pelo cantor DAIGO, que deu um tom mais humorado. Este é o terceiro ator a viver um hospedeiro de Ultraman Zero. O primeiro foi o apático Yu Konayagi como Ran em A Vingança de Belial. O segundo foi Daisuke Watanabe (George Ikagura em Ultraman Mebius) como Shin no show Ultraman Premium Stage 2011. Todos eles dublados pelo grande Mamoru Miyano ao assumirem a identidade do herói. O ator Taiyo Sugiura (Musashi/Cosmos) estava com 30 anos, portanto em plena forma. Agora, Takeshi Tsuruno (Asuka/Dyna) está com uma aparência mais velha do que em sua última aparição dois anos antes em Mega Batalha na Galáxia Ultra.



Os atores Susumu Kurobe (Shin Hayata/Ultraman), Kohji Moritsugu (Dan Moroboshi/Ultraseven), Jiro Dan (Hideki Gô/Ultraman Jack), Keiji Takamine (Seiji Hokuto/Ultraman Ace) e Ryu Manatsu (Gen Otori/Ultraman Leo) retornam como seus respectivos personagens e com mantos que lembram bem os Jedis de Star Wars.

Com direção de Hideki Oka, Ultraman Saga tem ótimas sequencias de ação (uma delas vai lembrar séries mais antigas de tokusatsu, quem viu sabe de qual estou falando) e as maquetes voltaram (Aaaaaaaaaaaleluia!). O legal é quem há alguns takes de explosões onde Zero e Cosmos correm ao ar livre. Claro, alguns cenários feitos anteriormente em CGI (imagem gerada por computador) estavam presentes, como o País da Luz na Nebulosa M-78 e a vista dos multiversos. Ultraman Saga, o herói que dá o nome ao filme, nada mais é que o resultado da união de Zero, Dyna e Cosmos (foto ao lado). O filme tem seu lado cômico como também tem altas doses de drama. Uma coisa curiosa no elenco é que o grupo AKB48 participa, mas não chega a cantar um único tema sequer. Aliás, o tema de encerramento "Lost the Way" é cantado pela banda japonesa DIVA. Ainda bem, pois o estilo musical do AKB48 não combina em nada com a pegada de Ultraman.

Ultraman Saga foi lançado no Brasil em DVD pela Focus Filmes em meados de 2014. O último filme da franquia a vir pra cá até o momento. Ainda não há previsão de lançamento nos serviços de streaming Netflix e Looke, mas deve acontecer mais cedo ou mais tarde. Ainda é possível encontrar a mídia física em lojas virtuais.

Agora uma coisa que me decepcionou um pouco é que a dublagem mudou de casa. O estúdio encarregado de Ultraman Saga foi a paulista Lexx (a mesma do anime Robô Gigante e do tokusatsu Ultraseven X) e não mais a Dubrasil/Rio Sound. O trabalho da Lexx é bacana, mas infelizmente não cria uma ponte entre os elencos de São Paulo e do Rio de Janeiro. Felipe Grinnan, que já trabalhou em outras produções de tokusatsu como as séries Power Rangers Turbo, Power Rangers no Espaço (ambas como T.J.), Ryukendo (como Master Ryukendo) e o filme Ultraman Zero: A Vingança de Belial (como Glen Fire), volta como Nozomu Taiga. Sua interpretação melhorou e lembrou o auge das séries mais antigas que acabei de citar. Mas ele não consegue mais fazer gritos. A impressão é que sua voz falha nessas horas. Mais uma falha que ficou estranha e ainda não consigo entender o que houve com Grinnan, que é um dos dubladores que admiro.

Boa parte do elenco dos heróis foram trocados. Da antiga formação Dubrasil/Rio Sound retornam para os respectivos papéis o saudoso Hamilton Ricardo (Jack), Orlando Viggiani (Ace) e Nestor Chiesse (Leo). Curiosamente, Affonso Amajones volta a dublar Hayata/Ultraman depois de quase 20 anos da redublagem de Ultraman (feita pela BKS nos anos 90). Esta dublagem não ficou ruim, entenda. Mas às vezes parte o coração por não ouvir mais as vozes de Alfredo Rollo e Hermes Baroli, por exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário