quarta-feira, 2 de março de 2016

Ultraman Ginga estreia na Crunchyroll; mas Brasil fica de fora da lista


Uma notícia boa e outra ruim sobre a Família Ultra na Crunchyroll. A boa é que as séries Ultraman Ginga e Ultraman Ginga S foram adicionadas às cinco da noite desta terça (1) pelo horário do pacífico americano, no serviço oficial das séries japonesas em streaming.

A notícia ruim é que Tsuburaya, infelizmente, não liberou as duas séries para a Ásia e principalmente para a América Latina. Ou seja, o Brasil fica de fora da lista de países que recebem estas duas séries de forma oficial/legalizada e fica impossível de acessar os episódios, mesmo que seja pela versão americana e britânica do serviço (por limitação de região). O que é uma pena, pois Ginga e Ginga S era uma das séries mais esperadas para serem lançadas através deste formato. Uma bola fora da distribuidora (e não da Crunchy que sempre transpareceu interesse de expandir este tipo de mercado).

Ginga e Ginga S foram exibidas respectivamente em 2013 e 2014, ambas como parte do programa Shin Ultraman Retsuden, da TV Tokyo. O protagonista é o jovem Hikaru Raidou que retorna para sua cidade natal e descobre uma série de ataques de monstros. Hikaru recebe o poder do Ultraman Ginga para defender a Terra das mãos das criaturas. O clímax aumenta em Ginga S com a chegada do herói Ultraman Victory. A equipe anti-monstros das duas séries é a UPG (Ultra Party Guardians). O enredo introduziu os elementos Spark Dolls, que mais tarde foram utilizadas na série Ultraman X (disponível na versão brasileira da Crunchyroll).

Ultraman Ginga e Ultraman Ginga S renderam três filmes no cinema japonês entre 2013 e 2015 e tais títulos também permanecem inéditos no Brasil até o momento, como é o caso das duas séries de TV. Uma pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário