terça-feira, 22 de março de 2016

Faltam suspense e dinâmica em God Eater


Tudo bem que o anime tem uma arte belíssima - de deixar olhos marejados e diferente do que estamos acostumados. É baseado numa série de video games com o mesmo nome. Tem ação, violência, temática apocalíptica, monstros horrendos e tudo mais que um bom amante do gênero procura.

Só que God Eater tem um problema. A série é sisuda demais e seu desenvolvimento não é tão atraente assim a ponto de criar situações imprevisíveis. Não é tão surpreendente (com exceção de algumas cenas sangrentas). Tudo é muito arrastado e excessivamente triste que dá sono muitas vezes (isso se você deixa pra ver animes antes de ir pra cama).

God Eater gerou uma certa expectativa nos fãs. O anime sofreu um atraso no acabamento final da produção que levou a adiar a estreia em uma semana na temporada de verão do ano passado. Os últimos quatro episódios estão em exibição no Japão (no Brasil é transmitido gratuitamente via Daisuki) e eu esperava um diferencial nesta reta final. Algo mais frenético. Dá pra entender que é o clima da trama é assim mesmo, mas o anime poderia ter ousado mais em seus elementos. Tentou ser legal, mas não chega ao top 5 dos animes do último verão e deste inverno (japoneses).

Nenhum comentário:

Postar um comentário