quarta-feira, 11 de junho de 2014

A fúria dos drones contra Jack Bauer em 24 Horas: Viva um Novo Dia


[SPOILERS]

Jack Bauer teve que encarar uma corrida contra o tempo e fugir da perseguição dos novos inimigos dos ingleses: os drones. Nesta semana foi ao ar o sétimo episódio de 24 Horas: Viva um Novo Dia. Olha, nunca vi um 24 com violência explícita quanto agora. Foi algo mais do que realista e apresentou as consequências de um fanatismo extremista, além de conspirações e uma péssima surpresa ao final do episódio.

Jack e Kate vão até o hospital donde Simone estava internada, após sofrer um atropelamento. Pra que ela não caia nas mãos da polícia e fale sobre o controle dos drones, Margot planeja um ataque ao hospital. E o que é pior: para matar a sua própria filha. Mais uma vez a desgraçada poe sua própria filha em risco para justificar seus fins. 

Jack a interroga Simone e tenta torturá-la, mas não consegue. Ou o cara perdeu a prática ou a moça estava muito fraca pra falar. Tudo se complicou mais quando um dos capangas de Margot se infiltra no hospital e acaba sendo perseguido por Jack e Kate. O terrorista é morto pelos seguranças e Jack corre contra o tempo quando descobre que um dos drones estaria chegando em poucos minutos.


Os dois policiais conseguem tirar Simone de lá antes do atentado, que fez uma desgraça no prédio. Pra você ter uma ideia, tinha até gente que perdeu o braço. Foi uma cena de dar dó das vítimas e sentir mais raiva da vilã. E mais ainda quando a tensão aumenta entre a perseguição do drone contra os três. Jack dribla de todas as maneiras pra fugir de um engarrafamento, se despistar em uma rua estreita e se esconder num túnel. Ah, não contei que ele teve que bater num civil pra pegar um caminhão.

Jack ainda tem que roubar um carro pra escapar e colocar uma pedra no freio no outro carro em que estavam, para enganar Margot. Logo a "bruxa" descobre pelo ângulo da câmera que o carro estava vazio. A perseguição explosiva foi uma das melhores coisas que aconteceram na franquia.

Paralelo a isso, Mark se encontra com o oficial da Embaixada Russa que havia ligado para ele na hora anterior. O homem (da barbicha mais feia que apareceu na TV) já tinha sacado de sua armação e do medo de perder Audrey para Jack. Mark é ameaçado e tem mais um prazo para entregar Jack, ou sofrerá as consequências. Quem mandou fazer besteira, né?

Sobre a conspiração na CIA, Steve Navarro fala com seu contato. Ele nada mais é que Adrian Cross, da Open Cell. Pra tirar Jordan do caminho, antes que ele descubra sobre as provas que incriminaram Adam Morgan no passado, Navarro o pede para pegar uma encomenda. Tudo não passava de uma arapuca para ser assassinado. Jordan forja sua morte ao se esconder no lago, onde foi baleado.

Quanto ao Presidente Heller, descobrimos que ele é um traidor de seu país. Sabe aquele ditado que diz que os americanos não negociam com terroristas? Então, no final do episódio Heller entra em contato com Margot e diz que vai se entregar para que vidas inocentes não sejam mortas. Como assim, Mr. Presidente?

Daí você pergunta: que tipo de relação Heller poderia ter se metido com essa diaba? Teriam eles sido amantes ou algo assim no passado? Isso tem que ter uma boa desculpa pra justificar essa atrocidade. Agora faz sentido o Heller falar em renúncia quando voltar aos EUA. Tem cabimento isso? Que papelão, hein.


Nenhum comentário:

Postar um comentário