segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Pitaco - Banana sem Chiclete


Na semana passada, o cantor Bell Marques anunciou sua saída da banda Chiclete com Banana, onde ele lidera há 31 anos. Ele deixou um anúncio oficial em vídeo no YouTube, dizendo que encerraria a agenda em março de 2014 -- depois do carnaval, portanto. Pelo vídeo, percebe-se o cara tava com um semblante triste. Talvez tenha sido por algum desentendimento com alguém... não sei. Isso é com o pessoal dos bastidores. Agora, tanto faz ou tanto fez a saída de Bell, já que o Chiclete praticamente só toca as mesmas músicas nos trios-elétricos da vida e raramente emplaca um novo sucesso nas paradas. A saída do Bell para um carreira solo pode até gerar um novas músicas. Quem sabe de sua autoria. Falando por mim, não sou um grande fã do Chiclete com Banana. Gosto de umas músicas antigas deles e tal, mas nada espetacular. Pra banda sobreviver tem que ter algum cantor que chegue à altura do Bell e que tenha uma voz marcante. Essa tarefa é difícil.






***

Poderosa do funk nada prendada

Todo mundo já sabe que a cantora Anitta, aquela do famigerado sucesso 'Show das Poderosas' (ô música chata do meu abuso, nam!), xingou um "fã" que jogou uma latinha contra ela. Pra começo de conversa: o cara que jogou a latinha tá errado e no mínimo fez isso por não gosta dela. Sim, pois fã de verdade jamais trataria mal seu admirado artista. Se não gosta, fica em casa lavando louça que é melhor. Por outro lado, a cantora foi muito infeliz com o tratamento cheio de palavrões e até desrespeitou os pobres. Não precisava disso e era só ter tirado de letra. O mais chato é que ela ainda é defendida pelos fãs nas redes sociais e o povo dizendo que tem "orgulho" da Anitta. Com todo respeito a cantora e nada contra ela, eu não me orgulharia de alguém que trata mal outra pessoa, por mais ruim que outra tenha feito. Provavelmente isso seja comum mesmo num meio musical onde há muito tempo perdeu contexto e qualidade e não acrescenta em nada, culturalmente falando.






***

Repórter Assombrada

E a nossa "querida" Rede Globo teve o que talvez possa ser o pior mico do ano. Foi quando a repórter Liliana Junger, de Belo Horizonte, "travou " durante uma entrada para o Jornal Hoje. Depois de poucos segundos de silêncio, o âncora Evaristo Costa encerrou a participação da jornalista. Caramba! O que foi isso? Será que ela viu alguma assombração ou coisa parecida? Falando sério, não desejaria pra ninguém. Pior é o constrangimento de quem passa. Por outro lado, até o Bonner, Witte Fibe e outros já escorregaram. Mas cada caso é um caso. Boa sorte pra repórter.






***

Um rock mestiço

E as atrações da atual edição do Rock in Rio, hein? Poxa, tem mais pop do que rock. Tá certo que antes o evento já era eclético e tal, mas pela lista das atrações tem umas nada haver (Tipo: Ivete Sangalo, Beyoncé, Justin Timberlake...). Isso é uma opinião minha e de mais alguns, claro. Na TV eu só pude ver o começo do show do Muse no sábado. Não sou fã da banda e nem conheço o repertório deles, mas achei legal. Não tive tempo de ver mais do Rock in Rio na TV, pois o final de semana foi puxado e o sono não me peredoou. kkkk... Talvez eu consiga ver alguma coisa no segundo final de semana e comentar aqui na coluna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário