terça-feira, 24 de setembro de 2013

Elysium


Em agosto passado foi lançado nos EUA o filme Elysium, e o longa chegou nas telonas brasileiras no último final de semana. Elysium marca a estreia de Wagner Moura (o eterno Capitão Nascimento de Tropa de Elite 1 e 2) em Hollywood e tendo a chance de contracenar ao lado de estrelas como Matt Damon, Judie Foster e Alice Braga. Além da participação de William Fichtner (o Mahone de Prison Break). A direção é do sul-africano Neill Blomkamp, o mesmo de Distrito 9.

O filme se passa no distante ano de 2154, onde o mundo é dividido em duas classes: a dos ricos que habitam na colônia espacial Elysium; enquanto a classe dos pobres que vivem na Terra, onde a humanidade é policiada por robôs e as doenças se multiplicaram. Em Elysium, Jessica Delacourt (Jodie Foster), a secretária de Defesa do governo americano, investe pesado na luxuosidade da estação espacial. Na Terra, o civil Max da Costa (Matt Damon), que vive em liberdade condicional e trabalha numa linha de montagem da corporação Armadyne, sofre um acidente de trabalho e é exposto à uma radiação, reduzindo o seu tempo de vida para menos de uma semana.

Para buscar a cura e cumprir uma promessa para sua amiga de infância, a enfermeira Frey Santiago (Alice Braga), Max arma um plano para entrar clandestinamente em Elysium. Para isso ele tem que contar com o apoio do contrabandista Spider (Wagner Moura). Em troca, Max se submete a uma implantação de um exoesqueleto e de um chip com dados armazenados. Isso como parte de uma ação para roubar os dados de John Carlyle (William Fichtner), o CEO da Armadyne.

Achei o filme mediano. Tem bons efeitos especiais, porém não empolga tanto. Isso não tira a minha recomendação para conferir, pois vale a pena. Wagner Moura ainda não pegou um grande papel, mas mandou bem na estréia nos holofotes hollywoodianos, tanto é que o cara foi bastante elogiado pela imprensa norte-americana. A gente sabe que ele vai longe e é promissor para o cinema mundial. Falando em Moura, o próximo filme estrangeiro que ele atua é Trash, uma produção britânica e o enredo se passaria no Rio de Janeiro -- previsão para 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário