segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Entre reprises e remakes! A relação de Globo e SBT com a nostalgia

No meio de tanta bizarrice nas grades de programação atual da TV aberta brasileira, é inegável que há duas das emissoras majors que investem direta ou indiretamente com o segmento retrô/nostalgia.

Desde 1980, a Rede Globo mantem no ar o bloco Vale a Pena Ver de Novo em horário vespertino, onde é reprisada uma novela por vez. Além da Sessão da Tarde que aqui acolá exibe filmes antigos. Mas o chamariz da vez é o mal chamado remake! A Globo recentemente recriou novelas como Ti Ti Ti, Guerra dos Sexos, Gabriela. Atualmente está no ar a nova versão de Saramandaia e tramita-se nos bastidores da "toda-poderosa" que as próximas a sofrerem com a nova tendência televisiva são Roque Santeiro e Dancin' Days. Pra falar a verdade, não curto muito essa ideia, salvo exceções. O problema específico é que parece que os autores perderam a criatividade em criar algo novo e tentam "renovar" com versões recauchutadas, ao invés de criar novas histórias. Mas nem isso mais é preocupado mais na Globo, já que hoje qualquer barraco nas produções originais é motivo de picos de audiência, né? Fala a verdade.

Quanto à programas antigos, a Globo possui o canal pago Viva, no ar desde o dia 18 de maio de 2010. (Nota: 18 de maio é comemorado o dia do museu) Vale lembrar que antes da inauguração, outros canais como GNT e Multishow (ambas também da Globosat) já reprisaram programa do acervo da Globo. Até o ano passado, o forte apelo da emissora eram programas dos anos 80. Em geral foram exibidos programas de 1985 pra frente. Porém nem tudo é como a gente quer. As novelas, por exemplo, dependem da autorização de seus autores, ou de suas famílias para a veiculação. Já os programas musicais como Cassino do Chacrinha e Globo de Ouro, por motivo desconhecido, só passaram episódios do final de 1987 em diante. O repertório mais exaustivo de ambos foram do ano de 1988. Uma pena que nas reprises dos programas de auditórios nunca passam em ordem cronológica. Atualmente há mais programas dos anos 90 do que da década antecessora. Os pedidos dos telespectadores para as veiculações de programas mais antigos são inúmeros. A coisa pode mudar com a volta da novela Água Viva de 1980, sendo a mais antiga até agora na história do Viva e escolhida em enquete interativa. O programa mais velho a passar até agora foi a série Malu Mulher (1979-1980), onde o Viva passou 8 de seus 76 episódios.



Já o SBT é conhecido por ser o canal oficial do Chaves no Brasil. Essa parte da história o povo já sabe de letra. Bem, Silvio Santos já tentou resgatar programas extintos e antigas fórmulas de se fazer sucesso na TV e que deram certo no passado. Alguns deram certo e outras caíram no fracasso ou não tiveram popularidade. Por um lado, o SBT também investe em remakes de sucessos dos anos 90. Como é o caso de Carrossel e Chiquititas. A nova geração está fazendo sucesso, porém eu penso que deveria se feita uma reprise das originais. Nas novas versões, os roteiros estão cheio de coisas inventadas e nonsenses. Tipo umas meia falantes e vai daí pra pior.

Na parte da tarde estão passando reprises da novelas da Televisa. A emissora mexicana voltou com a parceria com o SBT, depois de um certo tempo -- nada promissor -- com a Record. O SBT por enquanto investe em mais reprises, como Rebelde, Marimar, e agora com Maria do Bairro que vai pra sua sexta exibição! Enfim, nostalgia na TV é bom quando se há qualidade. Mas tem horas que precisa-se dar uma renovada e usar a criatividade pra não parar no tempo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário