segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Participação de Jiraiya em Ninninger é melhor que o próprio Super Sentai; E isso não é saudosismo

Jiraiya ressurge impetuosamente em Ninninger

De cada dez imagens na tokunet, onze são do Jiraiya. A volta (passageira, ok mancheteiros?) do Sucessor de Togakure é inevitavelmente o assunto do momento. Pelo menos por aqui no Brasil, onde o herói marcou um fenômeno avassalador nos anos 90. O retorno do carismático ator Takumi Tsutsui à pele de Toha Yamaji (Yamashi na dublagem brasileira da extinta Álamo) se deu no episódio deste domingo (18) da série Shuriken Sentai Ninninger.

Comentei outra vez aqui no blog que o atual Super Sentai (e não Power Rangers, ok mancheteiros? 2) está passando por uma fase terrível onde as histórias estão absurdamente infantilizadas e quase nada acontece acontece para acrescentar ou ajudar a mitologia dos jovens ninjas. Jiraiya não veio pra ficar (com trocadilho à trilha sonora nacional) desta vez até o fim e muito menos salvar a série das infantilidades e da má audiência. É apenas uma única participação especial (não três como diziam alguns trotes) que em nada garante a ilusão de uma nova série própria. Muito menos uma dublagem oficial (instantânea/mágica) do episódio como muitas "viúvas da Manchete" estão bobando por aí. Aliás, é mais fácil Ninninger virar uma futura temporada de Power Rangers e Jiraiya ganhar uma versão americana para um episódio específico (com a autorização da Toei, é claro). Preparem os calmantes, se for o caso.

Mas falando sobre o episódio, sim, este foi um dos melhores de Ninninger. Não porque ele fez parte da minha infância e sim pelo bom senso. Tem o lado da nostalgia que aflora. Isso é absolutamente normal. Fazendo justiça, fica ao lado do arco duplo que trouxe de volta Sasuke (de Kakuranger) e Hurricane Red (de Hurricaneger). O episódio 34 é o mais marcante de Ninninger, não por este blogueiro guardar um carinho especial pelo ninja vermelho, mas porque procurou dar uma continuidade ao herói, mesmo que parcialmente.

A impressão era de estar assistindo uma nova versão do Jiraiya, pois a introdução da abertura da série de 1988 foi refeita e com direito a logo da mesma. Algumas BGMs de Keisuke Yamakawa, feitas para o herói título, estavam lá. Parece que a Toei tomou gosto após a experiência na série Uchuu Keiji NEXT GENERATION. Claro, não poderia faltar a inserção do tema de abertura cantada pelo grande Akira Kushida. Até a instrumental do cativante encerramento "SHI-NO-BI '88" tocou com a mesma impressão de estar assistindo a algum episódio de Jiraiya.

Quem acompanha Ninninger, já poderia esperar que Toha caísse em alguns momentos de comédia. Foi inevitável, mas nada que viesse a constranger a sua imagem ou desrespeitá-lo. Outra referência que persistiu foi Jiraiya subir num prédio e passar rapidamente por um escritório, como acontecia na inesquecível abertura. O pano de fundo do episódio foi sobre um comitê que protege o bom nome dos ninjas que estava promovendo uma regra que alegava "falta de ética" às transformações. Por isso o encalço contra os Ninninger e principalmente ao Toha. Uma ideia meio boba que é passível. Nada de tão idiota como em episódios recentes.

Para os saudosistas que se perderam no "museu" dos Bloch, a cafonice do visual do Yokai Konakijiji é comum nos tempos atuais. Que diga seu ataque que fez com que as pessoas ficassem coladas na cacunda, mas tem contexto, se a gente observar.

O momento ápice, sem dúvida, está nos momentos finais do episódio. Takaharu (AkaNinger) recebe uma shuriken flamejante que dá acesso aos poderes de Jiraiya. Tal fanservice é válido, pois trouxe de volta a impetuosamente a Jikou Shinku Ken (Espada Olímpica como foi batizado no Brasil) sem muitos exageros e muito menos algum compromisso de explicação científica. Milagre considerável. A mesma shuriken despertou o espírito do faraônico Jiraishin (Deus Jirai) que ainda continua vagando pelo espaço desde o final de Jiraiya. Na última cena, Toha estava com um dos figurinos semelhante ao que vestia na época. Mais precisamente de jaqueta branca, camisa verde e calça jeans. Provavelmente uma referência ao episódio 11 de Jiraiya, onde Toha recebe os equipamentos do Jiraiya Power Protector. Falando nisso, é interessante notar que Toha agora veste a armadura com o tal upgrade. Creio que tenha mais haver com a superioridade do herói como lendário ninja mundial. Algo similar acontecia com Gavan que era capitão da Polícia Galática até o último episódio de Shaider (em março de 1985) e reapareceu como Lendário Policial do Espaço a partir do filme Gokaiger vs. Gavan (em janeiro de 2012). Bem, não é a primeira vez que Jiraiya aparece diretamente assim (ou pelo menos sua imagem). Há dois anos e meio, no filme Super Hero Taizen Z (abril de 2013), Jiraiya e mais Jiban, Janperson, Draft Redder (Exceedraft), Blue Beet (B-Fighter) e B-Fighter Kabuto aparecem dispensavelmente como Ranger Keys e foram utilizados pelos Gokaiger. Jiraiya foi usado pelo Gokai Green.

O episódio teve outras participações especiais. O mais curioso é do Yoshi Sudarso, o Koda/Ranger Azul de Power Rangers Dino Charge (atualmente em exibição nas TVs americana e brasileira). Ele era apenas um turista (e não um filho de Toha como arrisquei num palpite neste espaço) que estava sendo atacado pelos Kibaoni. Apesar de rápido, o diálogo entre ele e o AoNinger foi curioso. O personagem de Sudarso gritava "Somebody help me!" e Yakumo o salva dizendo "Get away". O turista respondeu dizendo "Okay, thank you". Outro ator que é não menos importante é o suit actor Hideaki Kusaka como um dos oficiais do comitê. Kusaka foi dublê de vários heróis, vilões e até robôs gigantes de Super Sentai. Destacando alguns como: Goggle Robo (Goggle V), Gyodai, Change Robo (ambos de Changeman), Flash King, Monarca La Deus (ambos de Flashman), Great Five, Rei Zeba (ambos de Maskman), além de alguns como Grey (em Jetman) e Topat/Baboo (Zyuranger/Power Rangers). Fora outros mais curiosos como Satan Goss (Jaspion) e Kamen Rider J. Seu currículo é extenso e ele havia aparecido em Ninninger como o yokai Franken (episódios 23 e 24).

Falando sem saudosismo e com os pés no chão: Jiraiya bem que poderia ganhar um V-Cinema nos mesmos moldes de Uchuu Keiji NEXT GENERATION. É bem impossível ter todos os atores de volta, mas seria bacana. O nosso ninja merecia mais uma passagem e sendo mais explorado.

4 comentários:

  1. Gostaria é de ver uma série nova, depois da original, com Tora agora mais maduro e os seus irmãos também mais maduros ao lado dele....Seria demais

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente. Jiraiya, assim como todo esse universo shinobi, tem muito pano pra mangas e pode ser explorado sim. Veja Naruto que parece não ter fim. Jiraiya merecia uma continuação, um filme e uma história relacionada ao guerreiro que veio do espaço trazendo Pako que trajava a armadura olímpica. Tenho dito!!!hehehehheh

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto! Só uma ressalva: algumas alfinetadas desnecessárias na galera que é do tempo da Manchete.Muitos daquela época, não pararam no tempo, assim como vc diz. Eu e outros muitos que conheço, já sabem diferenciar os Power Rangers de Super Sentais.E parece que, talvez, vc seja um desses mancheteiros que evoluíram já que cita que Jiraiya fez parte da sua infância. Resumindo, ótimo texto, concordo quando vc diz que os Sentais estão infantilizados, atualmente e só discordo das 04 alfinetadas que vc deu nos antigos da Manchete, já que nos mais jovens que acham que só existem Power Rangers, vc não deu nenhuma. E não precisava, dar mesmo. Seria bobagem. Boa tarde.

    ResponderExcluir
  4. Dem uma olhada nessa meninsa de 4 anos falando de jiraya kkkkk

    o mundo ainda tem jeito, o futuro ainda pode ser salvo kkkk

    https://www.youtube.com/watch?v=fnYCQMXWIMo

    ResponderExcluir