terça-feira, 26 de maio de 2015

Entenda sete importâncias sobre a chegada das séries de tokusatsu à Netflix

Kamen Rider pode ter seu último episódio dublado para a plataforma

O Dia do Orgulho Nerd teve um motivo a mais pra se comemorar, mais precisamente para os fãs de tokusatsu. Na tarde desta segunda (25) o site Jbox divulgou com exclusividade uma bomba de mil megatons. É que a Sato Company, empresa do sr. Nelson Sato (o mesmo que trouxe a série Cybercop por aqui em 1990) está fechando com a gigantesca plataforma de streaming/on demand Netflix um pacote com séries japonesas clássicas exibidas pela extinta Rede Manchete. Portanto, em breve veremos por lá Jaspion, Changeman, Flashman, Jiraiya, Jiban, além de Kamen Rider Black, National Kid e o inédito Garo. Vamos tentar entender sete pontos imprescindíveis deste processo por partes:

1) Licenciamento - É óbvio que a Sato Company adquiriu os direitos das séries clássicas através da Focus Filmes. Uma vez que o contrato de cinco anos da empresa de home-vídeo com Toshihiko Egashira foi expirado recentemente (começou em 2009). O lançamento é somente na Netflix brasileira, por se tratar de licenciamento nacionalMuito provavelmente veremos o mesmo material de episódios dos DVDs da Focus. Ou podem ser corrigidos, talvez. Não se sabe ainda detalhes sobre isso e só o Sato poderá nos garantir no futuro.

2) Garo - Uma pergunta que não quer calar é sobre a dublagem ou não de Garo. Há possibilidades da série ser dublada, porém não há confirmado ainda. Veja bem, não estou afirmando nada. Apenas dizendo que há uma possibilidade, veja bem, embora não haja garantias de que veremos Garo dublado. Mas a Sato Company tem material dublado, como é o caso de Doraemon, lançado em dezembro de 2014 no serviço pelo selo da distribuidora. Uma dublagem do Cavaleiro Makai seria um ponto a mais e de maior apelo. Mas caso não haja dublagem, ainda assim é muita coisa. Pois é um material de tokusatsu original/japonês chegando ao Brasil e que deve ser um atrativo não apenas para o nicho específico de fãs desta esfera, mas também para os fãs de animes (que estão acompanhando as séries recentes por fansubs) e também para os aficionados por cultura estrangeira ou até mesmo do gênero terror. Independente de qual versão vier, a nossa audiência é de extrema importância, pois esta é a chave para a vinda de novos títulos para o Brasil. Essa oportunidade não podemos deixar passar ou nunca mais na vida.


Ultraman 80 (Eighty) é o mais recente
tokusatsu lançado no Brasil
3) Primeiros tokusatsus no on demand - Esta não é a primeira vez que temos um contato de séries de tokusatsu em serviços on demand. Ainda na Netflix temos filmes da Família Ultra (sete dos nove filmes lançados em DVD pela Focus), além de todas as temporadas de Power Rangers - de Mighty Morphin ao Super Megaforce e mais o primeiro filme e também as séries VR Troopers e Beetleborgs. Na Crunchyroll brasileira temos disponíveis quatro séries da Família Ultra: Ultraman Max, Ultraman Mebius, Ultraman Leo e Ultraman 80 (Eighty). Estas são as quatro séries que sucedem Ryukendo e a defunta era de tokusatsus na TV aberta e podem ser acessadas por acesso gratuito.

4) Mobilidade e poder de escolha - Tanto a Netflix quanto a Crunchyroll são serviços que funcionam como canais de TV na internet. A diferença é que você mesmo faz sua própria programação e não depende de horários. Tal mobilidade é o que define um dos maiores avanços da tecnologia em nossa atual era digital. Podendo ser acessado onde e/ou quando quisermos por TV, computador, tablet e celular. E nada mais justo assistirmos nossas séries japonesas clássicas/recentes com a livre escolha de opção de áudio e legenda (caso disponíveis).

5) Dublagens e legendasAqui é um ponto onde é preciso bastante atenção e informação pra não se levantar reivindicações vexaminosas ou desavisadas. Na Netflix existem séries de anime onde há opções com áudio original japonês-inglês e outros com inglês-português. Uns clamam por dublagem, outros renegam as dublagens de animes que já foram exibidos na TV fechada (como Animax, por exemplo), e vão reclamar diretamente ao serviço (como se tal fosse responsável por isso). A Netflix, assim como qualquer plataforma on demand ou também emissoras de TV aberta/fechada apenas recebem o material das distribuidoras com as quais fecham parceria. Ou seja, vamos saber pra quem vamos nos reportar, amigos. No caso de animes mais recentes como Madoka Magica, Blue Exorcist, Mahouka Koukou no Rettousei, Arpeggio, Samurai Flamenco, Kill la Kill, etc, dificilmente virão com dublagem, uma vez que o licenciamento é internacional. Assim como acontece na grande maioria do catálogo da Crunchyroll. Por esse mesmo motivo, não dá pra ficar exigindo uma dublagem das séries da Tsuburaya (que trouxe as quatro séries de Ultra recentemente) no serviço especializado em animes e dramas. Muito menos do serviço que apenas exibe. Uma vez que este licenciamento - mais especificamente das Ultra Series - atinge outros países como EUA, Canadá, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia e América Latina (onde o nosso Brasil se situa). Isso geraria mais demoras e uma maior administração para cuidar das dublagens de cada país e isso não é tão viável como é para um canal de TV por assinatura, até mesmo por conta da versatilidade/praticidade que os serviços on demand exigem. Outros títulos que não possuem áudio original japonês como Gun Frontier, Demon Lord Dante e Musumet dependem da distribuição local que uma vez já licenciou estes materiais para a TV fechada no Brasil.

6) Outros tokusatsus exibidos na TV - Pode haver a possibilidade de mais séries antigas e novas de tokusatsu pintarem na Netflix, se depender da nossa audiência, certo? Sobre as demais séries exibidas na Geração Manchete irem para a plataforma, isso depende de um outro fator: renovação de contrato. Muitas séries licenciadas no passado pela Everest/Tikara, Oro Filmes e Rede Globo teriam que ter renegociadas caso seus respectivos empresários (caso tenham interesse em voltar ao mundo dos tokusatsu) ou terem suas dublagens passadas para alguma outra distribuidora. Mas isso só dá pra saber com o tempo. Aguardemos. Como as séries estão sendo trazidas pela Sato Company, talvez haja alguma esperança de um dia vermos Cybercop por lá. Mas o sr. Sato teria que renovar seu contrato com a Toho e outro trâmite estaria em negociação.

7) Novas mídias x TV aberta - De uma coisa temos que calcar em nossas mentes: A expansão de tokusatsu nos serviços on demand é de extrema importância em nossos dias atuais e isso só prova de uma vez por todas que TV aberta, hoje em dia, é uma mera ilusão do passado. Não podemos descartá-la totalmente das nossas vidas, obviamente. Mas quanto às séries japonesas de anime/tokusatsu, sabemos bem que já não dá mais pra contar com os nossos canais há vários anos. Há quem ainda "espera na janela" por algum Jaspion ou um Changeman nas emissoras majors (Globo, Record, Band...) ou dá crédito à emissoras que nem sequer pagam direitos de transmissão e mudam de horário com total desrespeito ao público. Estamos no ano 2015, século XXI e a tecnologia está ao nosso favor e com preços justos. Muito mais do que na época da própria Rede Manchete. Independente de vir dublado ou legendado (pelo menos já sabemos da garantia das clássicas que voltarão), temos que dar total apoio e valorizar os materiais licenciados deste nicho para o Brasil. Independente se já termos materiais originais ou alternativos. Como verdadeiros fãs de tokusatsu (tokufãs) temos mais é que consumir e ajudar o mercado de tokusatsu a se reacender no Brasil e entender como a coisa funciona antes de qualquer campo das ideias. Seja na Netflix ou na Crunchyroll, particularmente eu recomendo os dois serviços. Pois são os maiores e os melhores do ramo on demand. E não há motivo pra fazer tempestade em copo d'água (como alguns gatos pingados já choraram no passado com a chegada de um destes serviços por aqui). Muito pelo contrário, quanto mais retorno pelas vias oficiais, mais as empresas nacionais e estrangeiras irão investir no Brasil com outros produtos e mídias além das próprias séries. E pensem aí na possibilidade de um Zyuranger da vida pintar por aqui ou vermos a volta de Metalder e Spielvan no Brasil. Tudo é possível. Como mesmo disse ontem o Danilo Modolo, do TokuDoc, vamos espalhar a notícia e tocar o tokusatsu pra frente.


Garo finalmente ganhará uma exibição oficial no Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário