quinta-feira, 24 de abril de 2014

PlayTV não ajuda com a sua programação de animes


Outro dia estava lendo a última edição da Editocrítica do pessoal do site JBox sobre a programação dos animes na PlayTV. Lá tá bem explicado em termos técnicos e populares sobre os problemas da exibição de Bleach e Death Note na emissora como todo. O assunto é a onda do momento entre os otakus brasileiros.

Falando sob minha ótica pessoal como telespectador, acho que deve ser também a de muitos, a PlayTV ferrou ao escolher a faixa das cinco da tarde para passar episódios "inéditos". É um horário inacessível pra quem estuda e trabalha durante o dia e enfrenta tediosos engarrafamentos. Eu esperava que passasse na faixa das dez, onze, ou até meia-noite. Aliás, esse foi o horário mais votado na enquete que o canal fez em seu site no final do ano passado.

Tem também as reprises nas manhãs seguintes, que são horários bem bizarros. Eu cheguei a ver mesmo nas reprises de sábado à noite e domingo à noite. O lance do sábado é passar algum episódio aleatório de cada um que passou na semana. Por exemplo, na semana de estreia, passou o primeiro episódio de Bleach (às 20h30) e na sequencia o segundo de Death Note (às 21h00). Sendo que são dois "inéditos" durante a semana. No domingo acontece uma dobradinha de ambas. Mas passam em horários separados. Tudo bem estranho e confuso. 

Não morro de amores por Ichigô e apenas aprecio a história de Light contra L. Mas sempre que posso eu assisto os dois animes no canal. Acho que a programação para ambas as séries deveria ser melhor distribuída. Tipo, à noite, lançando um "novo" episódio semanalmente ou diariamente (de segunda à sexta).

Outro agravante que queria tocar: Estes animes tem classificações de 14 e 16 anos. Respectivamente citando Bleach e Death Note. O correto deveria ser passar após às 21h/22h. Sabe-se que essa censura não rola muito nos canais de TV por assinatura, porém aparecem uns breves avisos de faixa etária nas aberturas. Ainda assim, é estranho ver duas séries juvenis com temáticas sobrenaturais passarem quase como se fossem "pra crianças". O passa longe do propósito e do público alvo do canal. É quase parecido com o que acontecia nos tempos da saudosa Rede Manchete.

Bom, os tempos são outros agora e as emissoras e distribuidoras deveriam acordar pra vida e planejar melhor essa grade, como acontece nas tabelas de programação noturna de TV no Japão. Isso sim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário