quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Pitaco - Foi e colou legal


Em julho passado, estreou no canal pago Multishow o humorístico Vai que Cola, que seria uma nova aposta de sucesso. E não é que tá dando certo mesmo! A primeira nem acabou ainda e já está garantida a segunda temporada do programa para o ano que vem. Bom, pra falar a verdade eu só comecei a ver na semana passada. É que quando eu vi as chamadas eu pensei que fosse mais um daqueles sitcons de humor fútil e logo ignorei. Quando percebi o sucesso, resolvi dar uma olhada. Poxa, até que é legalzinho. Parece um Sai de Baixo à moda carioca -- já que esta se passava em São Paulo. Falando nisso, a turma do Largo do Arouche serviu de inspiração para a criação do Vai que Cola, afirmou o comediante Paulo Gustavo em uma das edições do programa Reviva, do canal Viva, dedicado ao Sai de Baixo. O formato é o mesmo com plateia. A diferença é que o palco é uma plataforma giratória onde pode-se ver os compartimentos da pensão. Uma coisa que senti falta é o improviso e algumas fugas de texto. Mas isso faz parte da característica própria do programa. Tem também lá uns palavrões (ás vezes sem o famoso "pi"), o que eu acho desnecessário, porém é coisa que dá pra passar e seguir adiante pra situações.

O protagonista é o malaca Valdomiro Lacerda (interpretado pelo Paulo Gustavo), que depois de se meter em falcatrua, resolve se mudar para uma pensão em um bairro do Rio de Janeiro, tentando fugir da Polícia. Ele é acolhido pela dona da pensão, Dona Jô (Catarina Abdalla, a Ronalda Cristina do Armação Ilimitada) e lá ele tem que conviver com os moradores malucos/esquisitos. A confusão é maior com a chegada da loiraça Verna (Fiorella Mattheis, que também está no filme Cine Holliúdy) que finge ser gringa (?!) e deixa os homens babando.

Vai que Cola vem sendo exibido de segunda à sexta no Multishow desde o dia 8 de julho e ficará até a próxima sexta-feira, 30 de agosto. Vou tentar acompanhar a segunda temporada assiduamente ou esporadicamente.

***

Paulo na TV

Na semana passada, no último dia de minhas férias do trabalho, parei para ver o programa do Paulo Oliveira na TV Diário (canal 22 em Fortaleza). Fazia um tempão que não assistia e cheguei a estranhar algumas mudanças. Ele tá colocando uns vídeos engraçados/polêmicos/assustadores da internet. Até aí tudo bem. O que eu senti falta mesmo foram as atrações bregas que iam por lá. Até tem ainda, mas com pouco espaço. São essas atrações trash que dão o ar da graça ao programa e jamais devem sair de lá. No dia foi engraçado a atração do cara que arrancava côco com os dentes e abria batendo com a cabeça (!). Coisa de louco.

Ainda sobre o Paulo Oliveira, no programa matinal que ele apresenta na Verdinha (810 AM de Fortaleza) às vezes pego um pouco do bate-papo com radialista Tom Barros. Umas conversas legais e descontraídas no horário das sete da manhã e sempre que posso acompanho alguma coisa. O que eu acho estranho é da saída da Maria Eugênia (da Rádio Tamoio do Rio de Janeiro) pra colocar o personagem Candinho (do humorista Ery Soares). Não que eu goste ou não goste do personagem. É que quando começa o horário das oito a qualidade do programa cai bastante por causa das piadinhas sem graça de duplo sentido e coisas do tipo. Agora cá pra nós, eu gosto de uma boa música brega (romântica no caso). Mas tem uma lá que toca que é tão pavorosa de um jeito que é pecado mortal comentar sobre isso. Ás vezes me dá vontade de mudar de estação ou de desligar o rádio. O negócio é pesado...

***

Jornalismo imparcial

Desde o lançamento da Tribuna BandNews FM, afiliada à Rede BandNews em Fortaleza, que venho acompanhando alguns noticiários. Acompanho mais a programação local e em especial a edição das nove da manhã com o Nonato Albuquerque. É um noticiário diversificado, que mesmo seguindo o padrão da emissora, tem um toque bem humorado. Eu curto mais é quadro Choque Elétrico, onde ele faz umas críticas no bom humor. Hoje a crônica fez jus ao título, devido ao blecaute de ontem na Região Nordeste. O texto tava muito bem redigido e com umas vinhetas engraçadas que casaram bastante com a situação. Ri demais na hora em que ele pede ao ministro para colocar o dedo na tomada (do Choque Elétrico, claro. kkk) depois da afirmação dele que o apagão foi "normal". Enfim, parabéns Nonato, pelo excelente programa que tem sido um grande diferencial no jornalismo local no últimos 5 meses.



***

Jornalismo imparcial 2

Essa eu não tenho como não falar. Se tem uma jornalista que admiro demais pela coragem e segurança de fazer críticas é a Rachel Sheherazade do SBT. Era alguém assim que tava faltando na TV. Não seria um exagero dizer que ela representa o povo quando ninguém mais teria coragem de se expressar. Não foi a toa que o Silvio Santos a contratou depois da famosa opinião sobre o carnaval, que se encontra fácil fácil no YouTube. Um jornalismo assim jamais deve ser calado. Outra que merece meus parabéns!

Nenhum comentário:

Postar um comentário