quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Man of Steel e Wolverine



Mês passado foram as estreias de mais dois esperados filmes de super-heróis das HQs. Homem de Aço (Man of Steel) e Wolverine: Imortal (The Wolverine), respectivamente da DC e Marvel Comics.

Vou logo comentando rapidamente sobre o Homem de Aço. O que posso dizer é que este é o MELHOR filme do Super-Homem feito até hoje!! Falo sem exageros. Quem assistiu talvez concorde exatamente comigo ou quase 100%. Embora eu goste mais dos filmes com o saudoso Christopher Reeve na pele de Clark Kent, o novo longa teve uma abordagem mais renovada, sem perder a essência da história que conhecemos. Só pra se ter uma ideia, o prólogo sobre a guerra civil e destruição do Planeta Krypton foram marcantes e com CGIs de tamanha perfeição. Dignas de um Star Wars da vida. O pai do herói, Jor-El, foi interpretado por Russel Crowe, que deu mais brilho se comparado com Marlon Brando no filme de 1978. Chegando a dar uma boa surra no General Zod (Michael Shannon) nas primeiras cenas do filme. Sem contar os vários diálogos com o filho várias vezes, talvez bem mais que no primeiro filme com o Reeve.

Diferente dos cinco filmes anteriores (Superman I ao IV e Superman Returns), Man of Steel apresenta um lado do herói que nunca vimos antes, nem mesmo na série Smallville: Um Super-Homem mais humano. Nele vemos a dificuldade de Clark lidar com seus poderes e com a sociedade ainda na infância. Outros diferenciais no filme que posso destacar é a chegada de Zod à Terra: digna de uma invasão alienígena terrivelmente assustadora/catastrófica onde sua tropa anunciava sua ameaça em vários idiomas do nosso mundo. Quase um Independency Day.

Man of Steel teve também atuações ilustres como Laurence Fishburne (Perry White), Kevin Costner (Jonathan Kent), e a lindíssima Amy Adams (Lois Lane). O longa vale cada moedinha do seu bolso e garanto que quem assistir não vai se arrepender e jamais esquecerá da incrível batalha histórica entre o Super e Zod. Melhor do que isso só em 3D.






Wolverine: Imortal teve lançamento no Brasil e EUA em 26 de julho. Este foi bem melhor que X-Men Origens: Wolverine (2009). A história começa no final da Segunda Guerra Mundial, onde Logan (interpretado por Hugh Jackman) esteve numa prisão em Nagasaki. No momento da explosão da bomba atômica, Logan consegue salvar o então oficial do exercito japonês Shingen Yashida (Hioyuki Sanada). Agora nos dias atuais, Yashida, com idade avançada, convida Logan para que vá visitá-lo no Japão antes de morrer. O velho pede que Wolverine proteja sua neta, Mariko Yashida (Tao Okamoto), que é alvo de uma terrível conspiração. Além de também fazer uma proposta quanto à imortalidade do homem com as garras de adamantium. O longa também conta com personagens como Yukio (Rila Fukushima), o Samurai de Prata (Will Yun Lee), a vilã Víbora/Madame Hidra (Svetlana Khodchenkova), além de Jean Grey (Famke Janssen) que dá as caras depois de morta. 

Dica: se você é daqueles que sai da sala na hora dos créditos finais, deixe a pressa de lado e veja a cena final que é a chave de ligação para o filme X-Men: Days of Future Past, marcado para o dia 23 de maio do ano que vem nos cinemas americanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário