quinta-feira, 19 de março de 2015

Séries japonesas nas madrugadas da Rede Brasil não devem durar muito tempo

Jiban é uma das séries a passar em altas horas

Outro dia eu conversava com uma amiga, que também é fã de tokusatsu, sobre as inconstantes mudanças de programação da Rede Brasil para com as séries Jaspion, Changeman, Jiban, Ultraman e do anime clássico da Sailor Moon (primeira temporada com a dublagem dos estúdios da extinta Gota Mágica). Na conversa chegamos a conclusão de que a emissora UHF de São Paulo usa a exibição das séries como tapa-buraco e sequer tem uma devoção ou compromisso com os programas.

Nesta semana, as séries que tinham reprises às dez da manhã (a primeira exibição de cada acontece às 7h) passaram para o horário das 23h30. É um horário interessante, pois chega próximo a um horário shin'ya (tarde da noite) das exibições de anime/tokusatsu na TV japonesa nos fins de noite/madrugada. O problema é a própria falta de respeito e compromisso do canal para com o público (cujo parte ainda incentiva inconscientemente para esta famigeração), a cronologia que é desrespeitada sem dó e nem sequer passa da metade de cada série, e com os horários que mudam sempre e sem qualquer sinal de aviso.

Emissoras como a Rede Brasil, que não pagam os direitos para exibição, estão longe de terem uma organização da TV japonesa. De seguir um cronograma de cours trimestral/semestral, onde pode haver mudanças de horário quando há necessidade de formação na grade do próximo trimestre. Se a Rede Brasil tivesse ao menos uma dimensão do que é isso, ela poderia muito bem firmar este horário. Coisa que não deve acontecer por burrice mesmo.

Veja bem, eu mesmo tinha defendido a Rede Brasil neste espaço quando seu sinal havia chegado nas TVs por assinatura. Não demorei muito pra me decepcionar ao acompanhar e ver a bagunça que é a programação. E confesso que, sempre que posso, acompanho as séries por causa delas e para prestar atenção nas mancadas da emissora. Mas nada melhor que nós mesmos fazermos nossos próprios horários com as mídias físicas e móveis. Sejam materiais oficiais ou de divulgação/alternativos, né?

PS: A emissora deveria seguir o exemplo da PlayTV, que vai passar animes neste mesmo horário a partir de abril e deve se firmar por um bom tempo, se nada der errado por lá.


Sailor Moon é outra vítima noturna do canal

Um comentário:

  1. Isso me lembrou bastante a forma como a Bandeirantes tratava os tokusatsus na virada dos anos 80 pros 90. Também eram simples tapa-buracos na programação, que eu cheguei a ver passando de manhã, de tarde e de noite!
    Infelizmente, Goggle Five, Machineman e Metalder tiveram esse tratamento por lá naquela época.

    ResponderExcluir