sexta-feira, 13 de março de 2015

Jaspion e a origem que o Brasil desconhece

Saiba a verdadeira concepção do nosso Ginga no Tarzan

Tá certo que Jaspion teve várias influencias de grandes obras cinematográficas. Principalmente de filmes como Star Trek, Star Wars e até mesmo de 2001 - Uma Odisseia no Espaço e A História Sem Fim. O que poucos sabem (pelo menos na grande parte da tokunet brasileira) é quanto às várias concepções e projetos que a Toei havia levantado para suceder o lugar da trilogia dos Policiais do Espaço. O Blog DAILEON apresenta agora com EXCLUSIVIDADE uma pauta que esteve na edição #26 da revista japonesa Toei Hero Max, do verão de 2008. As informações também foram discutidas na palestra do Grupo Henshin Gattai neste fim de semana no SANA Fest 2015, para as comemorações dos 30 anos de Jaspion/Changeman. Acompanhem agora a verdadeira gênese do nosso herói nas vésperas da data em que a série completa 30 anos de sua estreia no Japão, no próximo domingo (15 de março).


O início de roteirização


Páginas da edição da Toei Hero Max
#26 que conta como tudo começou
Como planejamento para a sucessão da série Uchuu Keiji Shaider (Policial do Espaço Shaider), que estava no ar durante o ano de 1984, o produtor Susumu Yoshikawa e o roteirista Shozô Uehara - ambos pela Toei Company - começaram a trabalhar naquela que seria o programa que deveria ocupar o horário das 19:30 das sextas-feiras a partir de março do ano seguinte (1985), na programação da TV Asahi. Havia uma hipótese de ter uma quarta série de Uchuu Keiji. Porém a Toei resolveu fechar a franquia com uma trilogia ainda nos primeiros meses de exibição de Shaider.

A proposta inicial não se tratava de um Metal Hero. O título provisório seria Ginsei Ouji Big Bang (Príncipe da Estrela de Prata Big Bang), que contaria a história de uma misteriosa fera espacial. Á pedido da Bandai (empresa de brinquedos japonesa e parceira da Toei Company), foi feita uma reformulação no roteiro. O novo projeto seria de um herói fugitivo, cujo seu planeta havia sido destruído por uma rainha do mal. Estes elementos foram utilizados futuramente para a série Jikku Senshi Spielban (Guerreiro Dimensional Spielban; Jaspion 2 – Spielvan no Brasil), que sucedeu Jaspion no ano de 1986. A partir daí a Toei decidiu que manteria o mesmo nível de efeitos especiais utilizados na trilogia dos Uchuu Keiji.


Ginsei Ouji Big Bang (Príncipe da Estrela de Prata Big Bang)


Inspirado nas teorias da formação do universo, Big Bang se passaria no espaço e teria como tema uma tenebrosa guerra cósmica. Enquanto isso, o sistema solar e a Terra estariam em paz. O império do mal se chamaria Space Storm Quasar e seria liderado pela imperatriz do mal Himeela (lê-se: himila - "h" com som de "r" de rir). Seguida pelo Astuto Estrategista Chi, Os 3 Belos Espiões: Preone, Pretwo, Prethree (ou equivalentes às posições “Alpha”, “Beta” e “Gama”, respectivamente). Abaixo deles viriam as Feras Lutadoras Artificiais Deistman, poderosas e terríveis feras que seriam metade máquina e metade animal.

Big Bang viu o seu planeta das águas ser invadido, durante a sua infância. Sem alternativa, Big Bang se refugiaria na Terra. O pequeno alienígena seria adotado por uma família de fazendeiros e se chamaria Tarô.

Como adulto, Tarô adquire a consciência de sua responsabilidade herdada de seu planeta natal e passa a usar um traje de combate. Afim de proteger a Terra e restaurar seu planeta. Tarô mantém sua identidade como Big Bang em segredo. Ele treinou arduamente para aperfeiçoar suas técnicas até o iminente dia da invasão do império Quasar.

Os roteiristas usariam elementos dos filmes holywoodianos Gremlins (1984) e Poltergeist (1982) para esta série. Embora a gênese lembra-se um pouco o Super-Homem. A partir daí, surgia um terceiro projeto, aproveitando as mesmas idéias planejadas.




Kaiju Tokusou Huntman (Investigador Especial de Monstros Huntman)


Ao invés de um herói vindo de outro planeta, este então novo projeto começaria na própria Terra. Seu nome seria Jimbo, e ao se transformar passaria a ser conhecido como o Homem-Fera Huntman.

Os demais personagens continuariam com as mesmas características. Para que ficasse tudo conforme o que já havia sido antes estipulado financeiramente, a idéia de uma guerra espacial foi abandonada. Ou seja, os eventos ocorreriam no nosso planeta. Segundo o produtor Susumu Yoshikawa, esta obra teria como inspiração o filme Os Caça-Fantasmas (1984).

Huntman contaria com o auxílio de um grupo de jovens que, ao seu lado, passariam a lutar contra criaturas estranhas que surgem em meio à sociedade humana.




Youjuu Tokusou Deniro (Investigador Especial de Feras Malignas Deniro)


Design do capacete de Deniro

Mais uma alteração. O quarto projeto seria a série Youjuu Tokusou Deniro. Assim como os demais Uchuu Heroes (a trilogia Uchuu Keiji e mais Spielvan), Deniro teria o seu nome como uma homenagem/tributo a algum artista estrangeiro. A vez seria do ator hollywoodiano Robert De Niro, que está na atividade desde 1963 e já era conhecido por filmes como Era uma Vez na América e Amor à Primeira Vista (ambos sucessos mundiais de 1984). As características dos Uchuu Keiji voltariam a ser cogitadas nos bastidores.

Com o surgimento de várias idéias de Saburo Hattê (pseudônimo dado ao grupo de roteiristas da Toei), Shozô Uehara propôs um novo título: Kyojuu Tokusou Juspion (Investigador Espacial de Feras Gigantes Juspion; lê-se: djaspion). A junção do nome do herói seria a fusão das palavras inglesas “Justice” e “Champion”. Ao pé da letra, o significado seria algo como “campeão da justiça”.

Juspion era um órfão treinado num pacífico planeta e desbravando pela galáxia, ele combaria o mal lutando contra as mais terríveis ameaças. Os destaques seriam das batalhas contra monstros gigantes. Juspion possuiria um poderoso combat suit (assim como os Uchuu Keiji). Além de uma nave-mãe gigante que transporta um tanque, uma jato e uma moto.

No Planeta Medes, o cientista Edgin decifra uma parte da Bíblia Galática que prevê o surgimento de Satan Gorth. Um poderoso demônio espacial que tem o poder de enfurecer os monstros (e deixá-los incontroláveis) e também o grande líder do Império Fog. Contudo, Edgin confia a Juspion a missão de defender a paz na galáxia. O trecho da Bíblia dizia algo como: “Quando Satan Gorth despertar a ira dos monstros espaciais, os planetas podem ser destruídos e as civilizações dizimadas. Lute contra estes monstros e elimine Satan Gorth. Você tem a missão de defender a paz neste universo!”

Juspion parte numa jornada ao lado de sua parceira Anri, que seria a filha do cientista Edgin e perita em computadores. A nave-mãe poderia se converter num robô gigante.

Durante o enredo, é revelado que Satan Gorth teme o Pássaro Dourado, criatura gerada de um ovo dourado. Em meio a missão de derrotar Satan Gorth, Juspion também corre em busca do tal Pássaro Dourado. Pistas apontariam que ele estaria no nosso Sistema Solar. Satan Gorth vai para a Terra. Ao saber disso, Juspion também vai para lá. Futuramente Juspion teria a ajuda de uma guerreira espacial chamada Jeannie, que viria à Terra para vingar a morte de seus pais e do irmão mais novo - exterminados por Fog - e passaria a ter uma identidade humana como Yumeko Hino.


A definição final de Jaspion


Daileon foi inspirado em Ultraman, como parte das batalhas contra monstros gigantes

Vários elementos de Big Bang, Huntman e Deniro foram aproveitados na construção dos episódios da nova série Juspion. Principalmente os capítulos iniciais. As feras gigantescas Irongiller e Winger foram rebatizadas como Tetsugos (T-Goss na dublagem) e Haneder. A maior curiosidade foi sem dúvidas na elaboração de Satan Gorth. O vilão foi concebido das mais variadas formas de inspiração de diversas mitologias e até mesmo do Antigo Testamento da Bíblia Sagrada. Desde grifos, dragões, e até o mitológico Cthulhu. Os designers da Bandai sugeriram um visual inspirado no vilão Darth Vader, da série de filmes Star Wars. A aparência de Cthulhu foi usada apenas nos episódios finais, quando o demônio espacial se torna o Dai Satan Gorth (Grande Satan Gorth ou Poderoso Satan Goss na dublagem).

Kerly e Hanna, os finados pais de Juspion, seriam algo como guias espirituais do herói pelo Pássaro Dourado. Outra definição seria o monstro Ballzoo como Marigos. Junto de Juspion e Anri é criada a monstrinha Miya. Nos preparativos das gravações do primeiro episódio, outras mudanças foram feitas. Anri continuaria sendo especialista em computadores, porém se tornou uma ginoide (mulher andóide). Marigos e Haneder foram escolhidos como os monstros estreantes, onde se passaria no Planeta Beezee. Neste estágio, o staff se empenhava tanto no início de produção de Jaspion e no final da série Shaider. Para a Toei, a dupla tarefa foi árdua e gratificante ao mesmo tempo.

A equipe de produção se reuniu numa premiere realizada em uma sala de projeção, duas semanas antes da estréia de Jaspion. A dupla Yoshikawa/Uehara estavam muito otimistas com a estréia da nova série. Os dois primeiros episódios foram dirigidos por Yoshiaki Kobayashi e o terceiro por Takeshi Ogasawara. A Toei decidiu que estes episódios iniciais se passariam no espaço. Com a intenção de causar impacto e por razão de orçamento. A partir do quarto episódio, a trama se passaria somente na Terra.

Apesar de Jaspion ter um apelo para o público infantil, a Toei tinha a intenção de melhorar o roteiro, com o passar dos episódios. Afim de obter melhor estratégia comercial, especialmente com os primeiros quatro episódios. Na mesma época ia ao ar a versão live-action de GeGeGe no Kitarô. Havendo então uma cooperação entre as duas equipes de produção. A filmagem da película era de 16mm, utilizado desde a série de TV Uchuu Kara no Message: Ginga Taisen (continuação do filme Uchuu Kara no Message), de 1978, e considerada como "alta qualidade" na série Uchuu Keiji Gavan, de 1982.





Quanto à audiência, a média de 11,8% foram bons índices de audiência. Contrariando a lenda brasileira que reza o “fracasso de Jaspion no Japão”. Apenas não atingiu a mesma popularidade que teve no Brasil ou até mesmo de Gavan em seu país de origem. A série não agradou tanto o público de Uchuu Keiji, mas chamou a atenção de um novo público mirim que, até então, não se interessava por esse tipo de programa. A intenção era agradar os dois públicos, ainda que a Bandai tivesse proposto elementos que seriam diferentes dos antecessores do nosso Ginga no Tarzan. Daileon foi uma idéia essencial, pois atrairia o público que já acompanhava a franquia Ultraman.


Créditos de informação: Michel Matsuda e Márcio Marzo (Fórum Tokubrasil)

*O texto acima não é essencialmente uma tradução direta da reportagem da revista japonesa Toei Hero Max.

+ Nostalgia: Ultraman Tiga estreava há 15 anos no Brasil

+ Nostalgia: Changeman completa hoje 30 anos

6 comentários:

  1. muito bom, se o nome Deniro tivesse se concretizado teria sido hilario.

    ResponderExcluir
  2. Sempre tive a impressão que o Daileon foi inspirado no Biorobô de Bioman, antecessora de Changeman.

    Além de o Biorobô ter com os heróis, a mesma empatia que Daileon com o Jaspion, a "montagem" também é parecida, mesmo sendo duas naves (gattai) em vez de uma (henkei).

    Não seria de se admirar, considerando que o próprio ator de Jaspion estreou nos tokusatsus fazendo uma ponta nessa série.

    ResponderExcluir
  3. Quem gostava de assistir Jaspion na Manchete no final dos anos 80, assistam esse vídeo que é pura nostalgia. https://youtu.be/CaNtc3-wyxo

    ResponderExcluir
  4. Ótima matéria, parabéns. Muito informativo e esclarecedor.

    ResponderExcluir
  5. Noooossa...quantas curiosidades nunca relatadas sobre o nosso eterno caçador de monstros!!!!!!!!!De tudo ai eu só sabia poucas coisas como a homenagem à Deniro e alguns outros detalhes, muito boa a matéria, parabéns!!!!!!!!

    ResponderExcluir