terça-feira, 29 de julho de 2014

O que falta para Mahouka Koukou no Rettousei ser mais badalado

Quando o anime Mahouka Koukou no Rettousei começou, a imprensa especializada apontou a série
como uma boa aposta para o ano de 2014. Daí podia-se esperar um boom como foi com Sword Art Online em 2012 e Shingeki no Kyojin em 2013.

O anime está no ar há quatro meses e ainda não caiu na boca do povo como sendo a série mais bem popular deste ano. Pelo menos por enquanto. Toda expectativa como tal foi devido ao sucesso da série de light novel lançada originalmente antes do anime.

Não que Mahouka tenha uma história ruim, mas peca em alguns detalhes. Ao invés da série ser mais carregada de ação e suspense, os bastidores da Escola de Magia é mais presente. Detalhe: é um ponto favorável na trama que explorou a entrada de Tatsuya no Conselho por ter uma habilidade excepcional, mesmo tendo tirado baixas notas.

Atualmente a série está em seu segundo arco, onde mostra um campeonato de magia onde nove escolas competem entre si. Confesso que não está sendo tão empolgante quanto esperava. Tipo, você esperava ter um up na trama. Pois era esperado uma rivalidade maior entre Tatsuya Shiba e Masaki Ichijô. O duelo entre os dois deixou a desejar. Faltou um toque mais, digamos, agressivo que deixasse um ganho para o episódio seguinte.

Agora, um ponto negativo para o anime é a estranha relação de irmandade dos Irmãos Shiba. Uma paixão incestuosa que a cada episódio fica bem mais que subtendida. Gosto do Tatsuya e não posso dizer o mesmo de Miyuki. Gostava dela até o inicio da série pela sua graciosidade. Mas ela é uma personagem chata que aqui acolá fica forçando a barra. Um bom exemplo disso, no episódio deste último final de semana ela pediu pra que Tatsuya a mimasse para que ela fosse dormir. Deprimente demais. O que falta para ela pedir que o seu irmão não faça? Prefiro nem falar nada.

Mahouka tem seus altos e baixo e precisa melhorar muito até o final pra surpreender e convencer que tem potencial para bater de frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário