sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A possível re-ascensão dos animes no Brasil em 2014


Por sinal as emissoras brasileiras de televisão e distribuidoras locais estão voltando a investir no mercado dos animes. Isso é um bom sinal pra quem apenas tem a internet como refúgio. O sucesso de bilheteria do filme Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses, que arrecadou cerca de R$ 4 milhões, pode ser considerado como um começo de uma nova chance para as animações no Brasil. Ou quem sabe uma porta aberta para um filão de novas séries do gênero.

Após o anúncio da PlayTV quanto ao retorno das séries no canal, houve um grande "pipocar de fogos" dos otakus. Além do tempo que esse tipo de produção esteve fora da grade da emissora, as expectativas giram em torno da interrogação sobre quais séries serão veiculadas. Certamente seriam duas das que quais já foram ao ar no extinto bloco Otacraze. Ou quem sabe, talvez, duas séries inéditas que poderiam ter sido licenciadas em off e serem anunciadas em breve, antes da estreia. Pra ser honesto, a segunda opção é a mais improvável. Mas sabe lá o que a PlayTV está planejando para melhor investimento.

O que vem a ser grande chamariz da vez é o filme Saint Seiya: Legend of Sanctuary. A Toei Animation sabe da importância dos Cavaleiros do Zodíaco em nosso país. Nos bastidores da "toda-poderosa" nipônica, há um forte interesse num lançamento simultâneo no Brasil. Além de França, México e Argentina, onde a série passou e fez sucesso. O filme deve estrear depois da Copa do Mundo. Sabendo da correria que será por aqui por conta do evento esportivo -- começando meses antes -- a Toei estudou a possibilidade de previsão entre o final de julho e início de agosto. Sem dúvida é uma decisão acertada, pois é mais tempo ganho para as divulgações serem trabalhadas com mais afinco. Para nós, brasileiros, o momento será um marco inesquecível para a prévia das comemorações dos 20 anos da série no Brasil, em setembro próximo.

2014 tem tudo para ser um ano de um pontapé inicial de uma nova fase de animes no Brasil. Depois de um jejum de alguns anos sem uma série que causasse um burburinho como no tempos áureos de Cavaleiros, Dragon Ball, YuYu Hakusho, Pokémon, Digimon, InuYasha e tantos mais. Antes do hiato, tivemos o bloco TV Kids da RedeTV! que não teve um boom suficiente como deveria no horário nobre. Além da série Naruto no SBT, que teve maior projeção devido aos fansubers. 

Pra que tal aconteça agora, três fatores são de extrema importância: As emissoras e as distribuidoras, para que formem parcerias sólidas afim de planejem melhores horários e divulguem os produtos com mais agressividade. Logo a terceira opção é o X da questão: os próprios fãs! Sem a participação destes (me incluo nessa) para uma melhoria na comunicação, um novo boom poderia avassalar um maior reconhecimento da cultura popular japonês entre os brasileiros. Já temos há mais tempo os eventos, mas precisa-se de mais na TV e no cinema nacional. Outra coisa que seria fundamental são pesquisas onde os fãs pudessem opinar em relação a novas séries que gostariam de ver na TVs aberta e paga e como as exibições destas deveriam ser tratadas. De preferência, na íntegra (sem cortes!) e em horários acessíveis ao público. O que seria uma boa chance do telespectador interagir com os programadores e estes nos ouvirem em plena era digital. Só não vale retrair e dizer que "a TV brasileira está brega", "fico só com os que estão na internet" e tal. O segredo é reclamar menos e expor mais ideias. ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário