sábado, 23 de novembro de 2013

Final forçado em Cybercop


Hoje cedinho terminei de assistir o Cybercop. Sabe aqueles episódios finais que a Manchete segurou por quatro anos e nunca passaram e só foram vistos tempos mais tarde na CNT/Gazeta? Então, o arco entre os episódios 33 e 34 foi forçado demais. Eu já tinha lido nas Hérois e nos JBOXs da vida. Tinha até uma expectativa pensando que seriam emocionantes, mas agora vendo o final da saga com mais calma vi que o rumo do enredo mudou bruscamente de foma louca.


[SPOLIERS]

Primeiro que a Madame Durwin -- sem querer querendo -- ouve uma conversa entre o Barão Kageyama e o chefão Führer sobre eliminar Luna por ela não ser programada para amar, já que estava nutrindo sentimentos por Akira/Marte. OK, a madame fica na dúvida e questiona o Dr. Ploid quanto à razão da existência dos cientistas da Destrap (Death Trap no original). OK, aparentemente o roteiro anda bem. Agora sabemos que eles são androides. (?!) O negócio descarrilha quando o Ploid descobre, lutando contra Saturno e Mercúrio, que teria morrido há mais de 60 anos e agora é uma máquina. A cena mais podre é quando a Durwin do nada resolve avisar Luna que vai mandar Harkos atirar contra o trem em que ela, Akira e Tomoko estão. Caramba, uma coisa é estar em choque com a descoberta de sua origem, certo?. Acompanhem o raciocínio, que vilã avisaria pra sua vítima que vai matá-la ali num ato terrorista? Antes nem mirasse e se escondesse. Bem feito pra ela que morreu nas mãos do Kageyama e de forma pífia, pra deixar de ser besta.

O pior vem depois quando o Kageyama trai Führer e usa-o para se fundir e ainda diz que ele também é a sua criação. Como assim, Zé? De vilão pacato e calculista, do nada o cara vira criador/dizimador da própria organização. O roteiro final de Cybercop pecou também em não dar muita ênfase à paixão entre Akira e Luna. Durou pouco e seria interessante ver isso mais explorado, caso a série tivesse mais tempo de sobrevida. A "garota" morreu tristemente não mãos do jovem e pra tranquilizá-la o rapaz ainda diz que o sangue dela é vermelho. Tá "serto". Então eu tenho óleo correndo nas veias. :P


Chefão, hein? Sei...

A luta final entre os policiais contra o verdadeiro mandante da Destrap teve um leve pingo de sensatez. O que estragou tudo foi quando o vórtex do tempo se abre e Júpiter e Lúcifer decidem partir para mudar o futuro no século XXIII. Pior mesmo foi desculpa esfarrapada da Tomoko pra ir junto de seu amado e insistindo em dizer que ele precisaria de alguém do passado para mudar a história. (?!²) Não seria mais jogo pra Toho ter deixado a moça lá no seu tempo presente e se despedir de forma emocionante? Aliás, foi isso mesmo que faltou no final: emoção. Se hoje trolamos a Toei por fazer umas burradas em seus filmes e crossovers entre Rider e Sentai, na época a Toho fez escola. Dá pra perceber na cara dura o desespero por parte da produtora em cumprir tabela da Nippon TV às pressas, já que não tinha-se mais condições em manter o programa no ar.

Leva eu...

Isso não faz o Cybercop ser uma série ruim, veja bem. Pode ter seus defeitos especiais sim, e isso jamais ofuscou o carisma do personagens. Vendo a saga completa dos membros do ZAC, penso que se o final fosse ao ar com o auge que estava ainda em 1994, quando o Circo Show dos heróis estavam viajando pelo Brasil afora e fazendo sucesso por onde passava, seria frustrante pra Manchete, pro Nelson Sato (dono da licenciante Sato Company) e pros pequenos telespectadores que os acompanhavam. O encanto se perderia num piscar de olhos.

Ah, teve lá uma cena no episódio 32 em que o Takeda e a Tomoko quase se beijam de novo e são interrompidos por Akira. Isso imitando a mesma cena do episódio 14, só que agora era de dia e foi sem graça. Mata de vergonha...!!

PS: Tá certo que os episódios 35 e 36 (Request Top 10 Special Part 1 e 2) são "inúteis" por sinal. Mas, por favor, alguma alma caridosa poste isso na rede pra completar a coleção. Tantos extras e logo esses oficiais ficaram de fora, pô?

2 comentários:

  1. h???
    achei um do finais mais tristesde toda a historia dos tokusatsus exibidos aqui no brasil claro e ha... os extras eu vi no site do dailymotion em 09/013 e tbm no vehoh ambos sem legendas e da uma procurada lá pra ver se t acha eles ok?
    ass; Eduardo - punk da periferia

    ResponderExcluir
  2. Cybercops merecia ser refeito. Com um orçamento monstro e efeitos especiais a la Hollywood, uma historia densa e cheia de reviravoltas e também que a historia se desenvolvesse no decorrer dos capitulos e como series americanas que cada capitulo tem principio, meio e fim, sendo independente dos outros.

    ResponderExcluir