sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Almost Human


Na noite de ontem, a Warner Channel estreou a nova série de J. J. Abrams (criador de Lost, Alias, Fringe, Person of Interest) para esta temporada. Almost Human teve seu lançamento adiado nos EUA pela Fox americana para o dia 17 de novembro (domingo), seguido do segundo episódio no dia seguinte, em seu horário oficial. Nas segundas-feiras às 8:00 PM. Por consequência, a estreia no Brasil foi adiada em duas semanas.



O enredo acontece no distante ano de 2048, época em que o policias tem androides como seus parceiros nas missões de campo. A primeira cena nos mostra o Detetive John Kennex (interpretado Karl Urban) em um tiroteio contra um grupo criminoso chamado Insyndicate, no qual perde sua perna para tentar salvar seu parceiro humano de uma explosão. Kennex passa 17 meses em coma e retorna à ativa com a convocação de sua ex-capitã Sandra Maldonado (Lili Taylor). Kennex tem seu novo parceiro, um androide do tipo MX-43. Durante um patrulhamento, o robô questiona Kennex sobre sua apreensão no passado. O que o deixa fulo da vida e arremessa o policial de lata -- inexpressivo -- para fora do carro.



Mesmo solitário, Kennex ainda precisaria de um parceiro que tivesse empatia com sua personalidade. Para isso, Maldonado escolhe um androide ideal do modelo DRN. Ele é Dorian (Michael Ealy), que esteve inconsciente por mais de quatro anos. Automaticamente Dorian lê o histórico de seu novo parceiro, porém ainda desatualizado. Inicialmente Kennex apelida quase constantemente o seu novo parceiro de "sintético", termo pejorativo que o incomoda bastante. Enquanto isso, um dos policiais da Delta Division é sequestrado pelos capangas do Insyndicate. Dando pontapé inicial à primeira de várias missões da nova dupla.

Ao assistir, dá pra perceber que apesar das diferenças o humano e o robô criam um laço de amizade que poderá combinar no futuro em suas ações. Dorian não é um robô comum. Suas habilidades se assemelham como um ser humano. Um dos pontos fortes que comprovam isso é em uma cena em que ele discute com Kennex livremente. Talvez nunca foi visto um "bate-boca" entre humano e máquina igual na TV. (rsrs) Sem contar que o androide é quase um psicólogo. Consegue compreender os motivos que incomodam o seu parceiro. Como tema paralelo, Kennex sofre por não ter mais notícias de sua namorada que desapareceu logo após o ataque que o deixou inconsciente há quase dois anos. Presume-se que ela tenha sido raptada.



A julgar pelo episódio-piloto, Almost Human deverá seguir uma linha de episódios isolados com alguma eventualidade que possa acrescentar algo importante na sua mitologia. Até aqui não se torna uma grande série espetacular, mas agradou pela temática futurística de tecnologia e investigativa.

Almost Human vai ao ar todas as quintas-feiras às 22h25 na Warner Channel, com reprises na madrugada de sexta pra sábado à 1h da manhã e no domingo às 13h. Horário brasileiro de verão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário