quarta-feira, 13 de julho de 2016

Yumi Matsuzawa - 20 anos de inspiração e romantismo

Ela é ou não é uma princesa?

Já fiz alguns posts neste espaço falando sobre a Yumi Matsuzawa e já tá mais que na hora de escrever algo sobre a carreira desta mulher de 40 (42 anos, sendo mais exato) que jamais perdeu o seu jeitinho de menina. Depois de uma turnê em alguns países como EUA e França, Yumi está de volta ao Brasil.

Ela nasceu no dia 29 de março de 1974, na cidade de Fujimi, cidade da província de Saitama. Seu sonho de criança era ser uma lutadora de luta-livre. Ela também tinha outras opções como ser motorista de táxi e ser cantora de sucesso como a famosa Seiko Matsuda. Desistiu do sonho de ser lutadora pois uma vez ela brincou disso e levou uma baita surra e, é claro, doeu bastante. (Venhamos e convenhamos, ainda bem que ela desistiu disso a tempo.) Yumi achou que ser motorista não seria uma boa ideia, pois seria arriscado uma mulher dirigir à noite. 

Aos 19 aninhos, passou um período como modelo. Serviu como um "bico" e experiência de vida. Como é padrão das revistas de moda, há sempre comentários de quem posou para os ensaios fotográficos. Nessa ida, perguntaram para ela sobre o que queria ser no futuro. Sua resposta foi curta e direta: quero ser cantora.

A partir de então, Yumi começou a participar de testes e auditions, até que finalmente, aos 20, foi escolhida para interpretar a canção "You Get to Burning", tema de abertura da série de anime Kidou Senkan Nadesico. No filme baseado na mesmo programa de TV, Yumi interpretou o tema de encerramento "Dearest" (particularmente a minha canção favorita dela). Nadesico foi um passo importante para sua a carreira solo, interpretando desde então temas de anime e games e embarcando nesse universo. Na série de Nadesico, Yumi dublou a personagem Junko Mizuhara (foi substituída pela dubladora Yuka Imai apenas no filme).

Em agosto de 1997 lançou três singles e começou a colaborar com outros artistas. Chegou a interpretar canções de outras séries como Bucky e Gate Keepers.

A saga de Hades de Os Cavaleiros do Zodíaco foi também um trabalho importante para Yumi. Além de interpretar as famosas músicas "Chikyuugi", "Kimi to Onaji Aozora" (ambas da fase do Santuário em Hades) e "My Dear" (encerramento da fase do Inferno em Hades), foi a própria que compôs as canções. Seiya e seus amigos foram também parte de sua infância/adolescência e ela jamais imaginava trabalhar com o grande clássico de Masami Kurumada


Uma curiosidade interessante é que "Chikyuugi" surgiu de improviso num momento em Yumi estava tomando banho. Sem perder tempo, ela ligou para seu produtor para saber o que achava. A letra foi feita independente da série, sendo que Yumi imaginou o momento atual vivido por guerras, conflitos e ataques terroristas. Ela queria passar uma mensagem que diz que, apesar de cada um de nós termos poucas forças, o mundo pode caminhar em paz através de nossos próprios esforços.

Mais tarde, quando abriram o concurso, perguntaram para Yumi se ela não queria mudar a letra de "Chikyuugi", afim de se aproximar do contexto da série. Ela defendeu a sua visão de Seiya é que ele era - até então - um Cavaleiro de Bronze. Estava abaixo dos Cavaleiros de Ouro. Ainda assim, Seiya sempre ousou em superar os obstáculos e sem desistência. A ideia de Yumi era que ela não poderia cantar algo parecido como os clássicos "Pegasus Fantasy" ou um "Soldier Dream" onde abordava o Cavaleiro de Pégaso como um ser invencível. Yumi queria mostrar um lado mais humano de Seiya para a canção e assim foi. Afinal, Seiya também tem suas fraquezas (e apanha muito) e sempre supera as barreiras com muito custo.


Yumi no palco em sua performance angelical

A carreira de Yumi é cheia de premiações no mundo dos desenhos japoneses e também da música popular japonesa. Foi jurada da competição anual Animax Anison Grand Prix ao lado de outros dois grandes monstros sagrados de animesong, Ichiro Mizuki (atualmente canta o tema de abertura de Ultraman Orb) e Mitsuko Horie.

Yumi se apresentou pela primeira vez no Brasil em 2006. Em seus primeiros shows fora do Japão, se apresentou em palcos da Espanha, Argentina, etc.  Nos últimos anos, fez shows em outros países, sendo um dos mais recentes o evento Anison USA 2016, em Los Angeles em fevereiro passado. Lá ela dividiu o palco com a cantora Halko Momoi (série tokusatsu Akibaranger) e Nozomi (ex-Little-non).

Agora é a vez de Yumi voltar ao Brasil. No próximo sábado, 16 de julho, ela se apresenta palco do Anime Friends, em São Paulo. A atenção deve ser especial, pois o show será comemorativo aos 30 anos de Cavaleiros. Junto com ela estarão Nobuo Yamada e o quarteto do Cavaleiros In Concert (Ricardo Cruz, Larissa Tassi, Edu Falaschi e Rodrigo Rossi). É esperado um dueto de "Chikyuugi" entre a cantora original e a intérprete brasileira aconteça. E aqui em Fortaleza no dia seguinte, em 17 de julho, no palco do Sana. O evento cearense também vai celebrar as três décadas do anime junto com Nobuo e Ricardo. É provável que haja alguma homenagem ao cantor Koji Wada, falecido em abril deste ano, que também cantou ao lado dos três na oitava e mítica edição do Sana.


Duas gotas de ternura na Terra da Luz


Yumi numa foto tirada em Fortaleza, em janeiro de 2011

Lembro muito bem do sábado daquele show de oito anos atrás. Infelizmente não pude ir na sexta-feira, por motivos de trabalho. Foi nesse dia em que Yumi e Nobuo deram autógrafos. Perdi essa oportunidade. No dia 12 de julho de 2008, consegui um autógrafos e fotos do saudoso Koji Wada (chamado carinhosamente pelo público como "FeijoAda" e "KeijoAda) e Ricardo Cruz.

Á noite, fui direto para o antigo anexo do Centro de Convenções (mesmo local onde Akira Kushida e Takayuki Miyauchi cantaram no ano anterior) para assistir ao show de Nobuo e Yumi. Quem abriu o show foi o roqueiro com "Pegasus Fantasy". Gosto muito das músicas do Nobuo, mas a estrela maior do show (pelo menos pra mim) foi Yumi. Lembro dela vestir um quimono na primeira apresentação. Começou cantando o tema principal de Nadesico e no decorrer do show cantou temas de Cavaleiros e de outros animes dos quais já trabalhou.

Lembro bem que quando ela cantou "Chikyuugi" o povo foi ao delírio. Quem estava longe ao fundo correu para a frente. Me encantei mesmo com "Dearest" que já era minha favorita. De vez em quando soltava um "cantem comigo".

No dia seguinte, uma multidão parou pra ver o show dos quatro cantores convidados. A fila era imensa (veja aqui). Atravessou multidões. A expectativa era que seria um grande show. E foi mesmo. Todos os quatro se apresentaram com uma banda (nos dois dias anteriores as músicas foram tocadas em playback). Sobre a Yumi, a grande surpresa foi quando ela cantou "Chikyuugi" acústico e em português. E digo pra vocês que ela superou o Kushida (que cantou "É Isso Aí", de Ana Carolina e Seu Jorge no Sana 7). Não foi um português perfeito, mas deu pra notar o seu esforço. Aquele dia 13 de julho de 2008 foi perfeito. Pra terminar, o "quarteto" cantou Pegasus Fantasy, coisa que ficou marcada por vários shows futuramente.


Yumi voltou em 29 e 30 de janeiro de 2011. Foram dois anos e meio de espera para a volta da minha querida ternurinha. Antes do Sana Fest daquele ano, resolvi fazer um presente para ela. Confesso que sou um péssimo desenhista e pedi ajuda à minha irmã (que só aprecia o seu trabalho) para fazer um desenho para ela. Então o tal presente acabou sendo nosso. Da minha parte eu escrevi uma mensagem em inglês. 

Os dois shows foram marcantes. No sábado, levei uma edição do caderno Zoeira, do jornal Diário do Nordeste onde Yumi aparecia na capa. Em alguns momentos do show eu levantei a mesma capa. Mas no meio daquela multidão, ela consegui me avistar e acenou para mim e ainda fiz um "thumbs up". E Yumi respondeu com o mesmo sinal. Aquilo foi importante e não esqueço jamais disso. Foi rápido, porém guardo aquele momento com carinho e felicidade.

No domingo eu estive na fila dos autógrafos. Estava nervoso, pois iria ver de perto a musa inspiradora, a princesa que encantou este humilde plebeu. Finalmente eu a vi e entreguei o presente para Yumi. Ela gostou muito e assim tirei uma foto com ela (relatei o momento aqui no blog). Semanas depois Yumi postou em seu blog pessoal o presente que a dei.

Voltando sobre aquele domingo, fiz questão de estar na frente. Ao cair daquela tarde, já não me importava mais o resto do evento. Eu queria mesmo era ouvir de perto aquela doce voz angelical que sempre me conquistou. Por isso, umas quatro e meia eu já tava na fila. E assisti aquele último show como se não houvesse amanhã.

Após o show, bateu aquele sentimento de saudades. Cenas de Yumi no Sana 8 e naquele Sana Fest passaram na minha mente como um filme. No dias seguintes os sentimentos que passavam por mim eram de felicidade e também de saudade. Pode ser loucura o que eu vou dizer, mas o sentimento de saudade que eu sentia era parecido com aquele sentimento de quem estava se despedindo de um grande amor.

Yumi tem 20 anos de carreira e ainda inspira ter o frescor de 20 anos de idade. Não apenas fisicamente, mas de longe é possível perceber que sua alma também é jovem. Dona de um belo sorriso e de uma voz que acalma até uma fera. Yumi é assim. Só sabe descrever tais sentimentos quem a admira como fã e quem um dia realmente já se apaixonou. Ah! Quem me dera um dia ser o seu príncipe e tomar sua mão... Quem sabe então um outro eu de algum universo paralelo tenha tido essa bendita sorte.

2 comentários:

  1. Ela já se casou e tem 2 filhos... /o/
    Se quiser umas fotos dos CDs originais para postar é só avisar.

    ResponderExcluir
  2. Se possível poderia disponibilizar as páginas do diário do nordeste onde o Kouji Wada apareceu ?

    ResponderExcluir