sexta-feira, 17 de julho de 2015

Máscara da Morte justiceiro ou como detonar um vilão?

O Cavaleiro de Câncer no episódio desta sexta, dia 17 (Foto: Reprodução/Daisuki)

Por algumas ocasiões em que Máscara da Morte aparecia em Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro, eu havia comentado sobre sua estranha e mal-explicada mudança de personalidade. Um dos meus posts dedicados ao Cavaleiros de Câncer repercutiu nas redes sociais e as opiniões ficaram divididas. Uns entenderam o meu ponto de vista de que aquilo estava estranho para o vilão e outros interpretaram como uma perfeita redenção para ele e que minha análise não passou de mais um "mimimi gratuito" (e não foi, ok?).

Como eu disse uma vez, Máscara pode se apaixonar por quem quisesse. O problema é que não houve uma ponte pra que justificasse isso. Pareceu que ele foi jogado na beira da bondade sem mais nem menos, ou até que ele tivesse perdido parte da memória, ou ali fosse um sósia do cara. Podem falar a vontade, mas Máscara da Morte apareceu bem estranho e além do mais estava com um traço que o lembrava em partes. Tá certo, merece uma redenção. Mas antes de tudo, uma razão que faça valer todo o sentido.

Parece que a coisa deu uma leve "melhorada" pro seu lado. No episódio desta sexta (17), o "ex"-vilão teve traços consertados e que lembrou mais de sua (antiga) personalidade. Não sei por quanto tempo isso vai durar, bem conhecendo a oscilação que a animação vem tendo desde o terceiro episódio, não há muita garantia. Mas talvez fique assim enquanto estiver com sua armadura de ouro.

Ainda que lutasse contra seu oponente, Fafner de Nidhogg, na terrível Colina do Yomotsu, o que atrapalhou um pouco foi o que seria a intervenção dos irmãos da falecida Helena, a amada do Cavaleiro. Máscara da Morte pode ter sido herói, mas não teve como não lembrar da sua mudança de personalidade que marcou demais nesta série. Pode até ser que eu veja Máscara da Morte com os olhos de antigamente ao rever a série clássica ou na saga de Hades. Mas ao vê-lo em Alma de Ouro, a lembrança será a mais icônica possível.

Mas fazendo justiça, Máscara da Morte se saiu bem como um digno Cavaleiro de Atena, apesar dos pesares. Tenho também que dizer que a luta entre Shaka de Virgem contra Balder de Hraesvelgr chegou perto do nível da mitologia de Masami Kurumada. Foi rápida (por razões que quem acompanha, sabe), mas que foi uma das melhores coisas que aconteceram até aqui nesta temporada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário