segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Nostalgia: Changeman completa hoje 30 anos

"Esquadrão Relâmpago... Changeman!"

As séries Super Sentai são patrimônios tombados e carimbados na cultura pop japonesa. Mais comumente no ocidente conhecemos a franquia pela suas contrapartes americanas, realizadas por Haim Saban. Mas bem antes do megasucesso noventista Mighty Morphin Power Rangers, um sucesso do gênero de tokusatsu dos esquadrões multi-coloridos originais (do Japão) foi responsável por um fenômeno que, ao lado de Jaspion, abriu as portas para um filão de outras séries japonesas live-action com efeitos especiais no Brasil. Além, é claro, dos animes.

Dengueki Sentai Changeman (Esquadrão Relâmpago Changeman) completa hoje 30 anos de sua estreia no Japão. Tudo começou às 18:00 (JST) do dia 2 de fevereiro de 1985 - sábado - quando a TV Asahi deu continuidade à franquia dos sentais com a mais nova série do gênero da Toei Company, até então. Sucedendo o legado iniciado por Gorenger e seguido por JAKQ (estas duas incluídas na franquia a partir de 1995), Battle Fever J (outrora primeiro Super Sentai), Denziman, Sun Vulcan, Goggle V, Dynaman e Bioman.


Os Defensores da Terra

O trio poderoso de Gôzma: (esq. pra dir.)
 Shima, Giluke e Buba

A série - que originalmente seria chamado como Uchuu Sentai Cosmoman (Esquadrão Espacial Cosmoman) e teria expedições espaciais como tema principal - conta a história de cinco soldados do exercito dos Defensores da Terra que são banhados por uma força misteriosa conhecida como Força Terrestre (Earth Force no original) que emana do nosso próprio planeta. Os jovens foram treinados pelo Sargento (Comandante) Ibuki para combaterem as forças do terrível Gôzma, liderado pelo Rei Estrelar Bazoo (Bazeu; similar ao Espectro Negro de Power Rangers no Espaço).

O quinteto é liderado por Hiryuu Tsurugi/Change Dragon, um ex-jogador de beisebol e destemido em situações de extremo perigo; seguido por Shô Hayate/Change Griphon, o segundo no comando e rival metido a mulherengo; Yuuma Ozora/Change Pegasus, o intelectual com atitudes infantis; Sayaka Nagisa/Change Mermaid, a graciosa "cérebro" da turma; e Mai Tsubasa/Change Phoenix, uma poderosa e valente motoqueira.


Eyecatch de Changeman com ilustração do Change Robô

Para se transformarem, os Changeman erguem os seus Change Brace ao gritarem "Vamos Change!" ("Let's Change!"). Em ação, armam-se com as pistola chamadas Change Fogo (Change Sword) nos modos de tiro e espada-escudo. Sem contar com as poderosas "Zookas", que juntas formam a Power Bazooka (chamada algumas vezes pela nossa dublagem como "Poderosa Bazuca"). Sendo a primeira arma fatal dos Super Sentais contra os monstros da semana. Os heróis também contam com as motos Auto Changers e o carro Change Cruiser. Ah, não podemos nos esquecer do arrimo dos Changeman: o gigante Change Robô. Formado a partir da junção dos veículos-componentes (Jet Changer 1, Helichanger 2 e Landchanger 3) transportados pela nave-mãe Shuttlebase, cujo tinha a Espada Relâmpago (Dengueki Ken) e desferia o mortal Super Thunderbolt.

Já o núcleo do mal, ao lado de Bazoo, o bando é composto pelo medonho General Giluke (Girook), o pirata espacial Buba (Booba), a mulher de voz masculina Shiima, e o navegante Gaata (Gator). Como todo bom grupo maligno de Super Sentai dos anos 80, Gôzma tinha os soldados Hidler (Hidrer) como tropa e o icônico monstro Gyodai que ressuscitava os monstros e os tornava gigantes. Alguns destes monstros serviam a Bazoo por ceder às chantagem do tirano.


A diabólica Rainha Ahames

Hiroko Nishimoto nos
bastidores de Changeman

Mai Ooishi como Mai Tsubasa

Changeman é uma série que possui fluidamente um carisma cativante em cada um de seus 55 episódios para TV e os dois filmes pro cinema. Ora com momentos engraçados e meio infantis, ora com uma considerável carga dramática que prende a atenção de algum telespectador que pode se deparar em qualquer ponto do desenrolar da trama. O que empolga mais na série são as divisões de sagas que surgem com o passar do tempo. Como a aparição da maléfica Rainha Ahames, a rival direta de Giluke que dá baitas dores de cabeça aos nossos heróis. A busca de Nana, uma ser espacial do planeta Tecnolíquel (Rigel) que emana a poderosa força Aura Energética (Aura Rigel), visada e disputadíssima por Giluke e Ahames. São histórias que vão evoluindo e aumentando mais ainda a tensão em torno da trama.


Kazuoki Takahashi, o eterno
 Change Griphon
Os atores principais da série deixaram suas marcas nos tokusatsu. Após Changeman, Haruki Hamada, fez uma considerável participação no episódio 38 de Choujin Sentai Jetman (em 1/11/1991); Shirô Izumi participou rapidamente do episódio 3 de Machineman (27/1/1984) e já também no episódio 18 de Sukeban Deka II (13/3/1986) e esteve nos especiais Kamen Rider World e Super Sentai World (ambos de 1994) como um único personagem chamado Masato. Mas foi em 1992 que se também se destacou em outra série Super Sentai como Burai/Dragon Ranger em Kyoryu Sentai Zyuranger (nada mais e nada menos que a versão original da primeira temporada de Mighty Morphin Power Rangers); Hiroko Nishimoto esteve no episódio 29 de Kamen Rider Black (1/5/1988); e Mai Ooishi esteve nas séries Uchuu Keiji nas séries Sharivan (1983-84) como uma das garotas da Ilha Iga e como a Garota 2 em Shaider (1984; dos episódios 10 ao 35).

Do elenco principal, o talento maior ficou por conta de Kazuoki Takahashi, que deu um misto de drama e comédia por onde passou. Regularmente viveu nas séries de Metal Hero como o canastrão Satoru em Choujinki Metalder (1987-88) e o vilão George Makabe em Tokusou Robô Janperson. Brilhou também no episódio 21 de Choushinsei Flashman (em 26/7/1986) como Miran - o suposto irmão de Sara/Yellow Flash. Além como Aman Negro no episódio 30 de Sekai Ninja Sen Jiraiya (em 14/8/1988), e demais participações nos episódios 14 de Patrine (8/4/1990), 37 de Solbrain (29/9/1991), 32 e 33 de Kamen Rider Kiva (14-21/9/2008). Recentemente, em 5 de fevereiro de 2012, apareceu no episódio 49 de Kaizoku Sentai Gokaiger reprisando como Hayate de Changeman, ao lado de alguns outros veteranos do Super Sentai.


O tema de abertura é um hino eternizado pelo lendário Hironobu Kageyama, que atualmente lidera e é o fundador da banda JAM Project. Em Changeman, Kageyama estreava no cenário tokusatsu cantando vários outros hits eletrizantes do programa. Imortalizou demais temas de abertura e encerramento nos sentais Maskman (também exibido no Brasil pela extinta Manchete) e Jetman (inédito no Brasil). Além de temas de outras séries de tokusatsu como Fiveman, Janperson, Kakuranger, Ohranger, Ultraman Dyna, Gaoranger, Hurricaneger, Abaranger e Garo (onde emprestou a voz ao anel Zaruba). Nos animes, seu nome ficou arraigado pelos títulos Os Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball Z e Dragon Ball GT.

O demoníaco Super Giluke

As BGMs foram compostas pelo músico Tatsumi Yano, que havia trabalhado também em Bioman. Podemos dizer que estas trilhas sonoras inspiram toda uma nostalgia dos tempos dourados da Manchete. Outro talento que merece ser mencionado é o character designer Yutaka Izubuchi na criação dos vilões. Izubuchi havia contribuído com o mesmo serviço no sentais Dynaman, Bioman e Flashman (série que sucedeu Changeman e também exibida no Brasil). Além de diversos trabalhos em outros tokusatsus e animes como Gundam e Patlabor.

Ah, não poderia esquecer do trabalho dos dublês da JAC (Japan Action Club; atual JAE - Japan Action Enterprise). Os heróis eram formados por Kazuo Niibori (dublê de vários Reds), Koji Matoba (dublê de Jiraiya), Tsutomu Kitagawa (dublê de Godzilla), Masato Akada e Yuichi Hachisuda (o dublê de heroínas e vilãs). Vale ressaltar que esta mesma formação já trabalhou com a respectiva hierarquia de cores nas séries Flashman e Maskman. Destaques também para Hideaki Kusaka (dublês de robôs gigantes e vilões dos Sentais) como Gyodai e Change Robô; e ao grande Yoshinori Okamoto como Buba. Após Changeman, ele sofreu um acidente automobilístico que o impossibilitou de atuar em Flashman. Só voltaria nos episódios finais como Bo Galdan após suas recuperação.


Yoshinori Okamoto, o dublê de 
clássicos vilões dos super esquadrões
No Brasil, Changeman chegou por intermédio do sr. Toshihiko Egashira (Toshi) em 1986 e inicialmente lançado em VHS no ano seguinte pelo selo da distribuidora Everest Vídeo, junto com - o maior tokusatsu original de estrondoso sucesso em nosso país - Jaspion e o anime Comando Dolbuck. Só a partir de 22 de fevereiro de 1988 (segunda-feira), que Jaspion e Changeman estrearam na programação da saudosíssima Rede Manchete. Garantindo sucesso absoluto de audiência e popularidade nos fins de tarde do programa Clube da Criança (apresentado na época por Angélica), e mais tarde com horário alternativo nas manhãs do programa Cometa Alegria (comandados por Cinthya "Biba" Alegria e Patrick "Simba" de Oliveira), Changeman, ao lado do nosso Ginga no Tarzan, rendeu vários brinquedos e produtos ligados ao sentai. Além de um circo show que foi garantia de sucesso por onde passava.

Changeman foi exibido na Manchete até por volta de 1992. Sendo que o último episódio foi exibido cerca de dois anos e meio depois de sua estreia na TV brasileira, em agosto de 1991. Passou também na tela da Record entre 1994 e 1996, pelo bloco Tarde Criança, curiosamente omitindo os primeiros 16 episódios, devido a problemas nas fitas masters. Lá fez sucesso mediano ao lado de Jaspion, Flashman e mais outras séries licenciadas pela italiana Oro Filmes como Goggle V, Machineman e Sharivan. Sem contar que sua última exibição oficial na TV brasileira se deu entre 1997-98 nas manhãs da CNT/Gazeta. Em 2009 foi lançado em DVD pela Focus Filmes, onde não recebeu lá um belo tratamento de luxo que merecia pela empresa de home-vídeo.



E a dublagem clássica da Álamo? Simplesmente maravilhosa. Apesar de sofrer adaptações e alguns erros de tradução, Changeman teve um elenco de primeira linha. Nos primeiros 16 episódios, Paulo Ivo dublou o Change Dragon. Mas foi substituído por Ricardo Medrado (in memorian) que deu uma interpretação ímpar e marcante. Passaram também pelo quinteto as vozes de Carlos Takeshi (que também dublou o próprio Jaspion), Armando Tiraboschi, Neusa Azevedo e Márcia Gomes na ordem hierárquica do grupo. Vale citar também Gilberto "Saga de Gêmeos" Baroli (como Ibuki), Lúcia Helena (como Nana e Aira), Maximira Figueiredo (como Zole), Líbero Miguel (in memorian; interpretando alguns monstros), Borges de Barros (in memorian; como Gaata) e tantos outros. O destaque fica para os saudosos Mário "Seu Barriga" Vilela nas vozes de Buba e Gyodai; e Marcos Lander com as múltiplas facetas de Giluke e Super Giluke onde foi sensacional.

Certamente foi um dos maiores sucessos da Toei e os fãs brasileiros recordam com carinho a série como um cult da geração Manchete. Redobraremos as comemorações dos guerreiros mitológicos para o dia do tokusatsu, em 3 de novembro, junto com Jaspion. Vale a pena relembrar.

2 comentários:

  1. Excelente materia,porém acredito que vc tenha cometido um equívoco,ao que me lembro os últimos episódios de Changeman foram ao ar em 1991(ano da última remessa de tokus da Everest antes de se tornar Tikara filmes),No ano de 1993 a Manchete(que já estava mal das pernas) retirou quase todas as séries tokusatsus da grade programação, deixando a apenas o Kamen Rider Black no ar,isso até ser substituído por Cybercop

    ResponderExcluir
  2. Olá, Marcelo. Corrigi a informação precisando o mês e ano da exibição do final de Changeman na Manchete (dois anos e meio depois da estreia). Changeman deve ter ficado por lá até meados de 1992. Obrigado.

    ResponderExcluir