quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Ultraman Max, o primeiro tokusatsu da era pós-Ryukendo no Brasil

Max está disponível oficialmente no Brasil desde 2014

Você é daqueles que pensam que a série Madan Senki Ryukendo (2006) ainda é o último tokusatsu exibido com direitos no Brasil? Então você está redondamente enganado. Ele continua sendo o último a ter sido lançado, mas na TV brasileira (mais precisamente em 2009 na RedeTV!). Estamos vivendo novos tempos e novas mídias oficiais estão aí como alternativa, em fase de ascensão e salvando o mercado de séries japonesas ao redor do mundo. E para manter esse legado vivo, presente e de forma legalizada, a Tsuburaya Productions vem distribuindo internacionalmente algumas séries de sua maior franquia de tokusatsu e também uma das maiores e melhores do Japão.


O pioneiro da nova geração Ultra no Brasil

A primeira desta leva é o Ultraman Max (2005-06) que está disponível em nosso país pelo serviço de streaming Crunchyroll desde o dia 20 de novembro de 2014. (NOTA: a série foi lançada primeiramente pela versão americana do serviço em 14 de outubro do mesmo ano) Pra quem ainda nunca ouviu falar, a Crunchyroll é uma das maiores plataformas de on demand ao lado da Netflix (onde lá estão oito dos recentes filmes da Família Ultra). O acervo da Crunchyroll (ou "Crunchy" para os íntimos) é calcado em animes e J-dramas. Ou seja, direcionado para os aficionados por séries japonesas, além de lançamentos. Em sua grande maioria com produções recentes e atuais lançados por simulcast (transmissão simultânea) e até algumas séries antigas. Ambos os serviços servem como TV na internet, podendo acessar, escolher programas e assistir a qualquer hora e lugar (que tenha internet) apenas num simples clique, com comodidade e mobilidade. Sem contar que os custos são irrisoriamente acessíveis. Ah, e o que é melhor: Ultraman Max pode ser visto sem aquele relógio zombeteiro no canto da tela. Além dele, também estão disponíveis no Brasil, através da Crunchy, as séries Ultraman Mebius, Ultraman LeoUltraman 80 (Eighty), além do novíssimo Ultraman X - exibida todas as terças-feiras a partir das 7h30 da manhã. Vale mencionar também o possível lançamento da série inédita Garo, em breve na Netflix, como outro tokusatsu que veio após a vinda do carismático Guerreiro Madan nas nossas telinhas.


O enredo


A equipe DASH

"Século 21... Desastres naturais têm ocorrido em todo o mundo. Além disso, monstros os quais pensávamos serem criaturas imaginárias também começaram a aparecer. Para lidar com essa ameaça, as Nações Unidas criaram a FDU, a Federação de Defesa Unida. E sua equipe de elite é o time de combate a monstros, a DASH."

A história se passa em um universo paralelo aos Ultras da era Showa. Alguns monstros conhecidos das séries anteriores aparecem como Eleking, Red King, Pigmon, King Joe, etc. Neste mundo alternativo, Ultraman Max veio diretamente da Nebulosa M-78, assim como os demais gigantes prateados. Na Terra, um grupo de defesa denominado DASH (Defense Action Squad Heroes) luta contra monstros gigantes que aterrorizam o nosso planeta (ou seria Tóquio?). A equipe é um ramo da UDF (United Defense Federation).


Kaitô Touma, o destemido
 alter-ego de Max
O primeiro episódio começa com os ataques dos monstros Grangon e Lagoras contra a capital japonesa. Em meio ao caos, somos apresentados ao protagonista Kaitô Touma. Um jovem de bom coração que não mede esforços para ajudar as pessoas em seu caminho, mesmo que isso custe sua própria vida. Vendo sua coragem, Ultraman Max o escolhe para que este seja o seu hospedeiro na luta contra as criaturas que visam o nosso planeta. Como é de praxe da franquia, quando o Color Timer pisca a luz vermelha, Ultraman tem um limite de três minutos, por conta de sua fraca irradiação solar da Terra em relação à Nebulosa. Max conta com dois ataques finais: o Maxium Cannon, desferindo raios de sua mão esquerda; e Maxium Sword, um poderoso bumerangue gerado de seu capacete com um terrível poder de corte. Técnicas estas que referem ao Ultra Seven, além de sua aparência facial.

Kaitô passa a ser integrante do DASH ao ser reconhecido por sua bravura. O esquadrão é liderado pelo Capitão Shigeru Hijikata. O herói-protagonista tem como parceira a pilota Mizuki Koishikawa, que tem uma certa queda pelo herói. Além dos oficiais Kenjiro Koba e Sean White, o DASH conta com Elly. Uma linda ginoide (androide feminina) que obtém informações dos monstros e aprende sobre o comportamento humano. O DASH também conta com o auxílio do Chefe Kenzô Tomioka, que supervisiona a equipe, e também da Profª. Yukari Yoshinaga, que pesquisa sobre as anomalias provocadas pelos seres espaciais.


Mizuki Koishikawa, a inseparável parceira de Kaitô

A graciosa androide Elly

Ultraman Max é uma série que carrega muitas referências às Ultra Series da era Showa. Em termos de desenvolvimento, é superado pela sua sucessora (Mebius). Vale a pena conferir, tanto pelo carisma quanto pelas peculiaridades. Quem curte boas histórias de ficção científica, a série também é uma boa pedida. Há alguns episódios de Max que são bizarros e alguns acabam ultrapassando o cúmulo do nonsense com seu lado humorístico. No mais, Ultraman Max possui vários episódios marcantes e memoráveis.

Em um deles, o guerreiro é derrotado pelo monstro IF (leia: If) que possui um altíssimo grau de destruição. Para detê-lo, um inesperado milagre de uma criança acontecia, marcando um dos episódios mais emocionantes. Outro destaque da séries é em um arco duplo onde tivemos a participação especial da atriz Nao Nagasawa (a Hurricane Blue do Super Sentai Ninpuu Sentai Hurricanger, de 2002) como Natsumi, a filha de uma filha de Zetton que possui poderes extrassensoriais e além de lutar arte ninja (referência direta à série que a consagrou). Neste mesmo arco, Max conta com a ajuda de Ultraman Xenon (leia: Zenon), que esteve de passagem pela Terra para uma missão secreta e lhe entrega a arma Max Spark, como ataque final mais potente em crises de batalha. Contraditoriamente, há uma ligação direta com o episódio 8 de Ultra Seven durante um dos episódios, uma vez que o universo da série não é o mesmo dos Showa Ultramen ou dos individuais da Era Heisei que o antecederam.


Natsumi, a filha de Zetton, vivida por Nao Nagasawa


Ultraman Xenon, o passageiro herói secundário

Max medindo forças contra o terrível monstro IF,
em um dos episódios mais marcantes do seriado


Produção e exibição no Japão

Ultraman Max foi exibido originalmente na TV japonesa entre 2 de julho de 2005 e 1 de abril de 2006. Sempre aos sábados pela manhã, das 7:30 às 8:00, no canal TBS. O horário sucedia as séries Bishojo Senshi Sailor Moon (o TV drama tokusatsu de 2003-04) e Ultraman Nexus (2004-05). Foi substituída por Ultraman Mebius (2006-07; também disponível no Brasil via Crunchyroll) logo após o final. Porém este último ocupou o horário das 17:30 de sábado na TBS e MBS. A série possui um total de 39 episódios e mais um especial pós-final intitulado "Special Finale - Ultra no Mirai e", que permanece inédito fora do Japão.

Max teve outras aparições nos filmes Ultraman: Mega Batalha na Galáxia Ultra (2009), Ultraman Zero: A Vingança de Belial (2010) e retornou recentemente em 14 de março de 2015 no filme Gekijô-ban Ultraman Ginga S kessen! Ultra 10 yushi!, que reuniu os 10 Ultras da era Heisei (de Tiga pra frente). Em 2015, aparece no episódio 8 de Ultraman X, lutando contra o lendário Zetton.

O programa tenta resgatar a essência e elementos das séries clássicas de Ultra, porém tendo um tom mais contemporâneo e isolado. Um pouco mais corriqueiro e com efeitos especiais melhorados. As homenagens são bem visíveis na abertura e nas leves referências e aparições de monstros conhecidos. Esta também possui uma semelhança com Ultraman 80 (leia: Eighty) por conta de luzes multicoloridas na filmagem. A aposta da Tsuburaya foi além ao convidar os atores Susumu Kurobe (como Tomioka) e Hiroko Sakurai (como Yoshinaga). Eles foram nada mais e nada menos que Shin Hayata/Ultraman e Akiko Fuji, respectivamente, na série Ultraman (1966-67). Os dois já trabalharam em outras séries e filmes da franquia (incluindo o pioneiro Ultra Q) como outros personagens e já chegaram a reprisar os seus personagens clássicos da segunda série japonesa exibida à cores.



Ryu Manatsu (Leo) e Kohji Moritsugu (Seven)
 tiveram participações especiais em Ultraman Max

Além destes, os atores Kohji Moritsugu (Dan Moroboshi/Ultraseven), Ryu Manatsu (Gen Otori/Ultraman Leo) e Masanari Nihei (Mitsuhiro Ide em Ultraman) fizeram participações especiais. No episódio 29, há uma homenagem à série Ultra Q - que estava completando 40 anos em janeiro de 2006 - com as participações dos atores Kenji Sahara e Yasuhiko Saijou, que viveram respectivamente os personagens Jun Manjome e Ippei Togawa e interpretaram versões alternativas dos próprios atores no universo de Max, abordando a relação entre um episódio lendário que jamais foi ao ar e o monstro Geronga.

Curiosamente o elenco de Ultraman Max teve um gaijin (estrangeiro) como membro oficial de equipe. Ele é o ator Sean Nichols (como Sean White), que é famoso no Japão por um popular programa infantil chamado Eigo de Asobo.

Ultraman Max também possui um especial de oito minutos lançado direto-para-DVD.

3 comentários:

  1. Se eu não me engano, Ultraman Xenon (lê-se Zenon) era um dos nomes provisórios de Ultraman Max. Acho que o Xenon foi colocado, pra levantar a audiência.
    Bem que no Brasil, poderia ter licenciamento deprodutos.

    ResponderExcluir
  2. O primeiro ator estrangeiro na franquia Ultra foi Samuel Pop Aning, o Michael Simmons de Ultraman Gaia de 1998.

    ResponderExcluir
  3. Em Ultraseven temos um ator estrangeiro, aparece logo no primeiro episódio, é um dos militares.

    ResponderExcluir