sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Final de Os Cavaleiros do Zodíaco - Alma de Ouro é mais um fanservice previsível


Seja sincero. Você esperava que o final de Os Cavaleiros do Zodíaco - Alma de Ouro (Saint Seiya - Soul of Gold) seria mais que emocionante? Então, o último episódio foi certamente o mais carregado de puro fanservice. Talvez o fandom aceite isso numa boa e exagere dizendo que foi mais "um clássico". Na realidade, quem já analisava vários pontos e identificava vários furos na série, percebe que o desfecho não poderia ser tão emocionante assim como se aguardava.

Não digo que foi ruim. Apenas não foi tão criativo a ponto de inovar algo que diferencie dos finais das sagas do Santuário, Asgard, Poseidon e Hades. Já esperávamos que Os Cavaleiros de Ouro iriam partir de volta para o além depois da batalha final contra Loki. Mas referencias foram indispensáveis para o fim da trama paralela a Hades. Foi o caso das armaduras de ouro serem banhadas pelo sangue de Atena (que ainda estava no inferno), que ajudou de certa forma no clímax. Pra não dizer que não valeu, a aparição de Poseidon foi uma grata surpresa, ao lado de Sorento de Sirene. Uma pena que o tempo entre a Terra e Hades não tenha sido explicada e ficado apenas na teoria.

Alma de Ouro não foi lá uma série emocionante. Está acima da série Omega, mas bem inferior a The Lost Canvas. Mas valeu pela nostalgia e rever nossos Cavaleiros de Ouro de volta à ação. Apesar de alguns personagens como Camus de Aquário e Máscara da Morte não receberem o tratamento que mereciam e serem fiascos.

Que o anime merecia mais um cours para manter a prolixidade, merecia sim. Talvez certas coisas no rumo seriam diferentes.

PS: Em todo o caso, valeu pela força e o marketing consciente - e sem paradoxos - para a divulgação da transmissão simultânea em todo o mundo, incluindo Brasil.

Um comentário:

  1. Eu particularmente achei o Soul of Gold legal. Só que com um porém: achei as coisas muito corridas. Deveria ter tido uns 20 episódios.

    ResponderExcluir