quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Por um triz não tivemos um Max alternativo em Ultraman X; ou melhor, tivemos sim

Já era esperado que Ultraman X investisse em aparições de personagens de outras séries da Família Ultra e sem se importar muito com o lance dos multi-versos. Mas quanto aos heróis,

O crossover entre Daichi e Touma em
Ultraman X
além do Ultraman Zero, um dos primeiros a aparecer depois de meros episódios isolados (que foram muito bons, inclusive), é o Kaito Touma (interpretado por Sota Aoyama).

O alter-ego do herói-título Ultraman Max (o sucessor de Ryukendo nas séries de tokusatsu exibidas no Brasil) teve uma aparição um tanto estranha e sem explicações. Por ainda não sabermos qual é a proposta da Tsuburaya em relação à mitologia em que se situa a atual série, dava pra ter uma impressão de que aquele Kaitô Touma era alternativo. Algo que lembrou Kamen Rider Decade. De início, Kaitô era referido como "Dr. Touma" e era um cientista que estava criando uma armor para X com os poderes do clássico vilão Zetton (que foi um dos monstros desta semana). O mais estranho é que Touma estava inteligente demais para os padrões e dizia conhecer o pai de Daichi há cerca de 15 anos. Mas nesse tempo, Touma era apenas um civil e ainda não tinha sido agraciado para ser o hospedeiro do Max.

Mas isso foi justificado no meio do episódio, pelo menos em partes. O tal Dr. Touma era na verdade o Alien Sran Quila (que apareceu pela primeira vez na série do Max) e planejou uma emboscada contra o caçula da Família Ultra. O verdadeiro Touma estava investigando as ações do malfeitor. Até aí tudo bem, mas será mesmo que ninguém do UNVER tinha percebido ou feito uma vistoria sobre o tal pseudo-cientista? Bem estranho, não? Enfim, a aparição de Touma/Max não teve lá grandes referencias. Mas também não chega a ser um fanservice. Aliás, foi um tributo ao décimo aniversário do Ultraman vermelho e seu auxílio foi de suma importância para ajudar a livrar X do perigo, uma vez que estava usando um armor sabotado pelo Sraniano.

Foi um bom episódio e pode se considerar como nostalgia para o antigo público que acompanhou a série Ultraman Max entre 2005 e 2006. O mais curioso é que Aoyama está atualmente com 35 anos (fará aniversário no próximo dia 17) e não envelheceu nada de dez anos pra cá. Está do mesmo jeito. É como se Touma tivesse viajado no tempo usando o uniforme da DASH.

Uma pena que não tocou a instrumental da abertura do Max, mas seu retorno contou muito, apesar de sem muitas explicações.

PS: Os efeitos especiais do Max de 2015 estão melhores que do Max de 2005.


Max e X juntos no episódio desta terça (8)

Nenhum comentário:

Postar um comentário