terça-feira, 7 de abril de 2015

Um pouco sobre os estúdios Gota Mágica

Logo dos extintos estúdios que dublou vários animes nos anos 90

Se você tem mais de 25 anos, provavelmente já ouviu em algum anime da época a seguinte frase dita pelo lendário ator/dublador Jonas Mello: "Versão brasileira: Gota Mágica, São Paulo". Hoje comumente é possível ser lembrada por alguém da nova geração que é fã do anime Os Cavaleiros do Zodíaco e que já deve ter assistido a primeira dublagem exibida pela saudosíssima Rede Manchete.

Mas Cavaleiros não foi o único trabalho do estúdio. A Gota Mágica também foi a grande mãe que acolheu tantos outros anime e até séries ocidentais naquela década. A Gota Mágica, além de dublar, também produziu temas nacionais de animes naquela década.


Mário Lúcio de Freitas, o dono do extinto estúdio

O proprietário do estúdio era o dublador Mário Lúcio de Freitas, que é um dos nomes importantes da gênese dos Cavaleiros no Brasil. Em 1993 ele estava saindo de uma sociedade com outro estúdio de dublagem, a Marshmallow (também de São Paulo), para criar este então novo estúdio. Foi quando surgiu a proposta de dublar uma série até então desconhecida pelo público brasileiro. Inicialmente, Mário não estava tão seguro em começar a trabalhar com uma série que nunca ninguém tinho ouvido falar em nosso país. Mas o seu cliente, Manolo (da também extinta Samtoy), o convenceu de dublar a série de Seiya e cia.

Os personagens principais foram escalados por Mário Lúcio. Para evitar um certo "nepotismo", foi ele mesmo que escolheu Hermes Baroli e Letícia Quinto para interpretar Seiya de Pégaso e Saori Kido/Atena, respectivamente. Uma vez que Gilberto Baroli era quem dirigia e escalava os personagens coadjuvantes e antagonistas. Os primeiros 52 episódios foram dublados na Marshmallow (sob assinatura da Gota Mágica, enquanto período de transição). Os demais episódios e filmes foram dublados no então novo estúdio da empresa. Seus trabalhos se encerraram em 1997, tendo sua total extinção em meados de 1999. Isso por falta de elenco para fazer vozes femininas, infantis, etc. Em outras palavras: problemas de extra campo, já que se tratava de uma empresa familiar. Uma pena, já que o estúdio tinha um sucesso consolidado por seu grandioso trabalho.

Relembre agora os trabalhos do estúdio que também é conhecida como "a casa dos animes":




Os Cavaleiros do Zodíaco

A obra prima dos trabalhos da Gota Mágica. Cavaleiros (Saint Seiya, 1986~89) tinha vários erros naquela dublagem, mas não por culpa da empresa. E sim do material vindo da Espanha (com dublagem local, obviamente) e da própria Samtoy, que assim exigia. Por isso, Jabu seria o Cavaleiro de "Capricórnio" ao invés de Unicórnio. Uma louca jogada de marketing para vender os action figures da série. Enfim, grande sucesso da saudosíssima Rede Manchete (exibida por lá entre 1 de setembro de 1994 e 12 de setembro de 1997) e que arrasta gerações até os dias atuais com novas produções que acrescentam a mitologia.




Sailor Moon

Com estreia na Manchete no dia 29 de abril de 1996, às 17h45, Sailor Moon (Bishojo Senshi Sailor Moon, 1992~93) apresentava a história de Serena (Usagi Tsukino no original) que um dia recebeu poderes para lutar contra as forças do grupo Negaverso (Dark Kingdom). Apesar de ser voltado para o público feminino e todo um marketing de produtos já encabeçado pela Samtoy, o anime fez mais sucesso com o público masculino. Claro, que as garotas também curtiam, mas de forma não tão expressiva. Sailor Moon voltaria anos mais tarde, em 2000, no Cartoon Network, com as temporadas R, S, Super S e Stars. Porém com novo licenciamento (que desconhecia a passagem da heroína nos anos 90) e novo elenco de dublagem, consequentemente.




Samurai Warriors

Originalmente atendido pelo título original japonês Yoroiden Samurai Troopers (1988~89), este anime foi adaptado nos EUA como Ronin Warriors. Afim de não causar uma possível confusão com o tokusatsu da Saban VR Troopers. Aqui no Brasil, Samurai Warriors estreava às 18h15 do dia 3 de junho de 1996, na Manchete. Com boa parte do elenco de dublagem conhecido de Cavaleiros do Zodíaco, o anime contava sobre a luta de um quinteto formado por homens contra o terrível Scorpio (Aragô).





U.S. Mangá

O título do programa era na realidade o mesmo da distribuidora que trouxe vários OVAs como Detonador Orgun, Zeorymer, Fatal Fury e tantos outros nas noites de sexta-feira. A partir do dia 8 de novembro de 1996, às 19h15. (NOTA: No dia 22 de novembro - duas semanas após a estreia - mudou de horário para às 18h45) Ficou no ar até meados de 1997.




Superhuman Samurai

Foi o único tokusatsu com adaptação americana exibido na Manchete. Superhuman Samurai (Superhuman Samurai Syber-Squad, 1994~95) foi a série que teve as honras de inaugurar o bloco JapAction, no dia 25 de março de 1996, às sete da noite. Fazia dobradinha com Ultraman no mesmo bloco e ambas iam ao ar, inicialmente, de segunda à quinta. Estrelada por Matthew Lawrence (do filme Uma Babá Quase Perfeita), a história contava - de uma forma precária - a saga do carismático adolescente Sam Collins, que um dia recebeu poderes para defender a realidade cibernética das mãos de Kilokhan, assumindo o codinome Servo. Originalmente, a Sato Company (empresa do sr. Nelson Sato) estava interessado mesmo em trazer a série original Denkou Choujin Gridman (1993~94). Mas por embargo da própria Tsuburaya, foi a versão americana que acabou vindo pra cá.




Guerreiras Mágicas de Rayearth

Lançado no SBT em 1996, Rayearth (Mahou Kishi Rayearth, 1994~95), do estúdio CLAMP, veio como o segundo anime shoujo pós-Cavaleiros. A dublagem sofreu adaptações nos nomes do trio de heroínas, por exigência da distribuidora local. Era exibida nas manhãs do programa Bom Dia & Cia e teve o primeiro tema de abertura nacional do anime cantado por Larissa Tassi.





Fly, o Pequeno Guerreiro

Produzida originalmente pela Toei Animation, Fly (Dragon Quest: Dai no Daiboken, 1991~92) passou também nas manhãs do SBT, no Programa Sérgio Mallandro, na faixa das onze da manhã. O anime (que permanece descontinuado) conta a história de um garoto que luta contro o terrível demônio das trevas Hadlar. Sua última exibição no Brasil acontecia em meados de 2000.




Dragon Ball

Esse dispensa comentários sobre a série (de 1986~89). Foi exibida no SBT inicialmente pelo Sábado Animado. Infelizmente, só foram exibidos os primeiros 60 episódios e (o patrão) Silvio "Ma oe" Santos não tratou de comprar o restante da série. Sua última reprise no SBT - ainda com a dublagem da Gota Mágica - aconteceu em 2000 no Bom Dia & Cia. Em 2003, todos os 153 episódios foram exibidos pela Globo e com nova dublagem da extinta Álamo. Consequentemente, com o mesmo elenco formado desde o lançamento de Dragon Ball Z no Brasil.





WMAC Masters

Série americana (de 1995~97) que mostrava um campeonato de artes marciais situado nos estúdios da Universal, na Flórida. Sua estreia no Brasil acontecia pela Manchete às 18h30 do dia 14 de abril de 1997. Teve exibição no Multishow em meados de 1996 (fazendo dobradinha com a série clássica Reboot) e era apresentado (com áudio original e legendas) sob o título A Força do Dragão. Sua última exibição no canal da Globosat teria sido nos finais de madrugada, em 1998.




Super Campeões

Mais precisamente sendo a segunda versão em anime para TV (Captain Tsubasa J, 1994~95), esta clássica série futebolística estreou no Brasil em 15 de setembro de 1997, às sete da noite. Ocupando o lugar de Cavaleiros na grade da Manchete e fazendo uma dobradinha com YuYu Hakusho (dublado pela carioca Audio News). Sua última exibição acontecia em 10 de julho de 1998, dois dias antes da fatídica final da Copa do Mundo na França. Porém, ficou até o final de setembro do mesmo ano, indo ao ar dominicalmente.




Bananas de Pijamas

Pode-se dizer que foi o grande último grande sucesso dublado pela Gota Mágica. A série australiana (Bananas in Pyjamas, 1992~2003) que apresentava B1 e B2 foi um boom de popularidade. Não só para as crianças, mas também com os jovens e adultos da época. Estreou no programa Eliana & Cia, do SBT, em meados de 1997.





Contos da Cripta (cartoon)

Inspirada na série televisiva em live-action da HBO, esta versão infantil (Tales from the Crypteeper, 1993~99) foi exibida no Brasil pelo extinto canal pago Fox Kids.



Clube do Chaves

Foi a versão mais recente de Chesperito e cia. Provavelmente sendo o último trabalho da Gota Mágica, esta foi um redublagem feita para o SBT, e que estreou por lá em 2 de junho de 2001 (sábado). Esta mesma havia estreado no Brasil em 1997 pela CNT, porém com outra dublagem.

Créditos: Diego Pontes (Grupo Henshin Gattai) e Matheus Mossmann (site Herói)

6 comentários:

  1. Cesar, se quiser guardar essas datas para utilizar em outra ocasião:

    Samurai Warriors - 03/06/1996 a 16/02/1997(Domingo) e depois de 05/01/1998 a 20/03/1998

    Sailor Moon - 29/04/1996 a 16/02/1997(Domingo)

    WMAC Masters - 14/04/97 a 20/03/98

    US Mangá - 08/11/1996 a 29/08/1997

    Rayearth - 5 de maio 96 (domingo)

    ResponderExcluir
  2. Cara, vou precisar e muito. Muitíssimo obrigado, Matheus. Valeu mesmo. :D

    ResponderExcluir
  3. Ah, Super Campeões passou até o final de setembro de 1998, mas apenas nos domingos pela manhã (o horário de desenhos durante a semana à epoca estava minado pelo maldito horario político). Na primeira semana de outubro de 1998, Shurato pegou o horario pela manhã de domingo, e a partir de 26 de outubro daquele ano, voltou a ser exibido diariamente em parceria com Shurato. Abs

    ResponderExcluir
  4. Mais uma: Clube do Chaves estreou só em 2 de junho 2001, com aquela dublagem bisonha do Cassiano Ricardo...E eu cheguei a gravar uns episodios desse troço nos sabados a tarde (que fiasco). A dublagem da CNT era bem melhor, se nao me engano era da BKS - e tinha a Chiquinha c/ a primeira voz no Br...

    ResponderExcluir
  5. Valeu pela força mais uma vez, Matheus. Inclusive, eu cheguei a ver essa ré-estreia do Shurato em 98. Foi numa manhã de domingo de outubro e era dia de eleicções presidenciais e estaduais no Brasil.

    ResponderExcluir
  6. Cara, eu de novo (rs)
    O WMAC Masters passava no Multishow junto com o Reboot, nos finais da tarde, já em novembro de 1996, antes da estreia na Manchete. Se não me engano passou de meio-dia, também. Pouco depois se eu não me engano Reboot passava 17h30 na Manchete e 18h no Multishow (mas não tenho certeza do horário)

    ResponderExcluir