quinta-feira, 30 de abril de 2015

Porque você deve aliar Ultraman X ao rol do eixo Rider-Sentai

O mais novo caçula da Família Ultra

Tudo bem, você pode até torcer o nariz e não dar a mínima para a franquia das Ultra Series e preferir Kamen Rider e Super Sentai (o que não é mal nenhum) mais do que qualquer outra franquia de tokusatsu. Mas todo fã do gênero que se preze deveria ter no mínimo alguma curiosidade em procurar acompanhar a franquia. Independente de escala, tempo, quantidade, cronologia ou mais alguma outra termologia adequada à uma sessão/bloco/maratona.

Ultraman X (lê-se: "éks"), a mais nova série da Tsuburaya, estreia em julho que vem. Praticamente é uma prévia das comemorações dos 50 anos da estreia do gigante prateado original da Nebulosa M-78 na TV japonesa, que serão comemorados em 2016.

E porque devemos colocar este novo programa na mesma balança da Toei? Vamos começar por um simples fato: Ultraman é praticamente uma paixão nacional (no Japão, claro) das séries de todos os tempos. Algo próximo acontece entre os fãs americanos. Sinceramente não consigo entender qual o problema no Brasil. A empolgação para uma nova série ou filme da franquia é pífia. Isso pra não dizer que é quase nula. Aliás, Ultraman tem muitos fãs no Brasil, mas a divulgação é tímida diante dos Riders/Sentais. A coisa não deveria ser reduzida assim.

Ultraman X é uma boa oportunidade para todos os amantes de tokusatsu acompanharem semanalmente. No Japão é normal a maioria das pessoas não conseguirem assistir a todas as séries da franquia. Aliás, poucos são os que conseguem assistir a todas as séries de uma grande "família" de tokusatsu, né? Isso é com o tempo e com paciência. Nada que isso venha a impedir de alguém assistir à uma destas de forma isolada ou por curiosidade.

As Ultra Series podem não ser as minhas grandes favoritas (como particularmente são os Metal Heroes), mas tenho uma profunda admiração e tenho minhas prediletas na ponta do lápis. Ultraman é um gênero que jamais deveria ser apagado da memória e do interesse dos fãs brasileiros de tokusatsu. E digo mais: é uma porção de "muito mais além" do que qualquer modinha feita para Rider, Sentai ou até mesmo pros heróis da Geração Manchete, como acontece por aí em algumas áreas da tokunet brasileira. Entenda, não estou dizendo que é errado ver estas séries. Eu mesmo assisto as mesma, mas procuro me atualizar e mudo o meu foco em outras séries do passado e do presente. E é assim que se ultrapassa barreiras de algo que admiramos.

Voltando sobre o Ultraman X: pelo o deu pra tirar da sinopse, tem tudo pra ser mais séria. Ainda é cedo, mas é uma boa expectativa e que pode vir a nos surpreender. É preciso prestar bem atenção nos detalhes e referências que podem surgir no decorrer da trama. No mais, é um bom momento pra analisar e criar nossas próprias impressões no mesmo ritmo cantado tradicionalmente em fevereiro (Sentai) e outubro (Rider) de cada ano.

Como disse numa outra oportunidade aqui neste espaço: Ultraman é um gênero que tem o seu valor quanto às grandes franquias da "toda-poderosa". E sua divisão de conceitos e também de multi-versos são grandes diferenciais a serem debatidos na net afora.

Ah, uma sugestão: Ultraman poderia muito bem virar um tema específico para o dia do tokusatsu no ano que vem. Quem sabe isso desperte um justo interesse pelos Ultras, hein? Seria bacana.

2 comentários:

  1. Concordo que o público brasileiro deveria rever sua posição em relação a franquia Ultraman, talvez gerada pelo fato de muitos de nós sermos da geração Machete onde o original foi exibido de forma meio jogada na programação e, seu sucessor na Record , Ultraman Tiga, ter tido o mesmo problema ( inclusive com a própria apresentadora falando publicamente que não gostava do herói!). O que me fez realmente curtir a franquia foram os filmes inéditos lançados pela Focus e que passam na TV a Cabo, que me transformaram em fã do Ultraman Zero. Agora acompanho Max e Ultra Leo no Crunchryoll, esperançoso que eles também exibam Ultraman X na forma de simulcast.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Luiz. Também espero que Ultraman X venha para o Brasil pela Crunchyroll. Tomara que a Tsuburaya dê esse passo para o simulcast. Também tenho uma coleção dos DVDs dos Ultra filmes lançados pela Focus e isso me fez ver que a franquia tem seu valor mais do que se pode imaginar de longe. Mas foi por causa das séries que estão na Crunchyroll que me despertou ainda mais o interesse e busca pela franquia. A minha primeira paixão pelos Ultras foi com Ultraman Tiga, na Record.

    ResponderExcluir