quinta-feira, 13 de abril de 2017

Não há motivo algum pra odiar o Goku de A Força do Querer

Yuri e sua mãe na novela das nove (Foto: Divulgação/Globo)

Sendo bem sincero, não costumo acompanhar novelas da atualidade. Sempre que posso assisto uma ou outra reprise das mais antigas. Fiquei curioso pra ver A Força do Querer pelo simples motivo de ver o tal garoto que quer ser o Goku de Dragon Ball (ou pelo menos é um cosplay do herói). Não assisti o capítulo da sexta-feira passada, mas vi o vídeo no sábado. Parei pra assistir na noite do mesmo dia.

O capítulo de sexta (7) foi da estreia de Yuri, um garoto de aproximadamente 14 anos que se veste como o nosso Saiyajin e assim quer ser chamado. Ele é do tipo caricato. Frequenta eventos de anime, anda com cosplayers, tem notas baixas na escola e ainda por cima se comunica com os pais falando ao celular. Sim, tem cara de mais um daqueles personagens estranhos que Glória Perez costuma colocar em suas novelas.

Enfim, o fato de ter um otaku na novela das nove não é motivo de barulheira entre os haters de plantão. Não vejo problemas em ter um personagem do tipo. Muito pelo contrário, é até bom os leigos terem uma visibilidade do que é um cosplay, o que é anime, etc. A primeira aparição de Yuri/Goku me lembrou aquelas séries animadas onde o personagem principal é relaxado e coisa do tipo. Alguém aí lembrou da Serena? Do Ash? Pois é.

O problema mesmo é como deve ser a visão de Glória Perez sobre essa cultura. Isso vamos saber daqui a semanas/meses. Ainda é cedo pra discutir. Não é que todo cosplay seja relaxado nos estudos ou coisa do tipo. Estamos falando de um adolescente que curte estas tralhas inúteis como a gente. Pela idade do personagem, é compreensível todo esse comportamento. Seria estranho se fosse um adulto de 30, 40 ou 50 anos agir feito criança. Entenda, não estou dizendo que quem está nessa faixa de idade mais "avançada" não possa fazer cosplay. Conheço amigos que se vestem e interpretam personagens ligados à cultura pop oriental e ocidental e são pessoas responsáveis. Eu mesmo pensei uma vez em fazer cosplay e tocaria pra frente se eu tivesse tempo e recurso.

Voltando sobre a novela: achei engraçado o Yuri (ou Kakaroto Son Goku) e alguns adolescentes são quase assim como ele, sejamos honestos. Odiar o cosplay ou o ator-mirim Adriano Alves, de 14 anos (fará 15 no próximo dia 18 de abril) é coisa digna de otakinho e não tem argumento nenhum. Se for só porque a Globo tá passando, lembre-se que a emissora carioca abriu espaço para animações japonesas numa era distante ao lado da concorrência. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

2 comentários:

  1. Do jeito q a Globo e cia limitada costumam ser,não duvido nada de q esse personagem vai ser usado p/ denegrir a imagem dos otakus e afins,já q um fã de anime a mais pode vir a ser um fã de novela a menos.Alem do mais ,mesmo q venham a deixar claro q nem todo otaku é como esse personagem,o estrago estará feito,pois grande parte dos fãs de novela não agem c/ discernimento e certamente farão de tudo p/ intensificar a campanha contra os otakus!! Lamentável!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, se a Glória Perez vacila, o menino pode cair no fanatismo total. Como na recente cena em que ele retruca a mãe dizendo que ele é o Goku e não o Yuri. Esse assunto vai render e devo escrever mais sobre o assunto.

      Excluir