quarta-feira, 15 de março de 2017

Rede Brasil tenta insistir de novo com "tradição" de reprises, mas ninguém deu a mínima para a polêmica

Masayuki Endo no programa Em Revista (Foto: Reprodução/Rede Brasil)

Nesta terça (14) o programa Em Revista dedicou mais um programa voltado para Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z. As duas séries de anime viraram carro-chefe da programação e agora são produtos exclusivos da emissora. Isso se tratando de TV aberta brasileira, é lógico.

Como resposta à reação dos fãs sobre as reprises que começaram praticamente sem tanta antecedência em fevereiro, Evê Sobral tentou insistir na tal "tradição" de reprisar as séries após parar num determinado ponto das respectivas tramas. Artifício que foi usada várias vezes pela extinta Rede Manchete com as séries japonesas (anime e tokusatsu). Não houve alarde como na vez passada onde e isso nem foi o forte do programa. Aliás, ninguém ligou muito pra isso. Foi agradável, a julgar pela interação dos espectadores nas redes sociais.

O programa se voltou mais para papear sobre ambas as séries. O que é divertido para nós fãs e bom para os leigos se inteirarem. Lá estavam Marcelo Del Greco, Cassius Medauar (ambos da editora JBC), Edurado Vilarinho (do site CavZodiaco) e o cantor William Kawamura (que tive a honra de entrevistá-lo aqui no blog no final de 2014).

Também rolou uma entrevista exclusiva com Masayuki Endo, o presidente da Toei Animation. O próprio confirmou a exclusividade da Rede Brasil quanto à exibição de Cavaleiros e Dragon Ball Z. Feito que nenhuma emissora brasileira conquistou em mais de seis décadas de TV brasileira. Venhamos e convenhamos, é louvável. Muitos podem até dizer que a Rede Brasil e a Toei vão começar a "caçar as bruxas" contra as emissoras que transmitem ilegalmente, mas é isso mesmo. Ambas estão certas e a parceria tem mais é que ser valorizada e respeitada.

Evê ainda garantiu que os episódios vão continuar do ponto onde cada série parou e que elas vão ganhar reprises em horário alternativo. Taí a boa opção pra manter as turmas de Seiya e Goku no ar por mais tempo na programação.

2 comentários:

  1. *Concordo totalmente com o texto!! Aliás, eu gostei do final do penúltimo parágrafo do texto que diz: "...Muitos podem até dizer que a Rede Brasil e a Toei vão começar a "caçar as bruxas" contra as emissoras que transmitem ilegalmente, mas, é isso mesmo. Ambas estão certas e a parceria tem mais é que ser valorizada e respeitada.". Resumindo, tem que caçar mesmo e tirar com todo o rigor de lei!! Como péssimos exemplos, eu tenho 2 a mostrar: na rede nacional, a BAND que fica fazendo graça em passar o anime Dragon Ball Z e, em rede local, uma emissora paraense chamada TV Marajoara, que era afiliada Rede Brasil, continua passando, ilegalmente, também, o anime "Os Cavaleiros do Zodíaco. Agora, vamos ver mesmo mais respeito com os fãs de animes iguais a mim, em todo o Brasil sermos respeitados de verdade e acabar de uma ver por todas, com esse jejum que a TV aberta impõe contra os animes no Brasil!! Parabéns pelo texto e até mais, pessoal!! [^J^]*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carlos. Só uma ressalva: atualmente a Band tem direitos do Dragon Ball Kai, que é a versão recauchutada do DBZ. Até aí nenhum problema já que a exclusividade da série original pra TV aberta agora é da Rede Brasil. Abraços.

      Excluir