terça-feira, 21 de março de 2017

O mistério do episódio banido de Ultra Seven

Seven contra Alien Spell

Dentre os 49 episódios de Ultra Seven, o décimo segundo foi banido da série como também da mitologia das séries Ultra. Sendo então um capítulo não-oficial. Até pouco anos atrás acreditava-se que o episódio jamais passou no Japão e que nós brasileiros fomos os únicos privilegiados por assistir um episódio a mais.

Vamos compreender por partes. O episódio 12, conhecido em nosso país como "Presente Nocivo", teve sim exibição no Japão na noite do dia 17 de dezembro de 1967, dentro do bloco Takeda Hour. Com a participação de Hiroko Sakurai (Akiko Fuji em Ultraman), a audiência marcou 32.8%. Este episódio também passou normalmente na primeira reprise de Ultra Seven, em 1969. Ficou conhecido pelos relógios que sugavam o sangue das pessoas.

Até aí tudo bem. Nenhuma polêmica à vista. Tudo começou mesmo em outubro de 1970. O problema não foi o episódio em si, entenda, e sim por causa da edição de novembro do mesmo ano da revista educativa Shogaku Ninensei, da editora Shogakukan. Nela vinha uma coleção de cards de monstros como brinde. Dentre os personagens estava o Alien Spell, o monstro deste mesmo episódio. Ao lado do seu nome acompanhava a legenda que dizia "Hibaku Seijin" (alienígena vítima da bomba nuclear).

Hibaku é um termo usado para classificar as vítimas da bomba que explodiu em Hiroshima e Nagasaki, durante a Segunda Guerra Mundial. Ironicamente, o Alien Spell era humanoide e suas manchas lembram as queimaduras nucleares das vítimas. O Japão não estava totalmente recuperado da tragédia nuclear. Havia ainda muito preconceito por boa parte da população japonesa contra os moradores de Hiroshima e Nagasaki por medo de serem contaminados com a radiação.

E foi por causa do tal termo pejorativo usado pela revista que se desencadeou a polêmica. Uma garota percebeu o detalhe no card do Alien Spell e mostrou para seu pai, que era um membro de um grupo que ajudava as vítimas da bomba. Como decorrência, o mesmo pai enviou uma carta para a editora Shogakukan. Consequentemente, a Tsuburaya sofreu pressão de outros grupos, de Hiroshima e Nagasaki. Não deu outra: a produtora excluiu o episódio logo na segunda reprise, em 1970. Porém, no episódio 45 de Ultra Fight, exibido em abril de 1970 (também pela TBS), Alien Spell aparece e imediatamente os mesmos grupos fizeram oposição. O roteirista Mamoru Sasaki, que escreveu o episódio 12 de Ultra Seven, disse que jamais criou a legenda "Hibaku Seijin" e culpou a revista por este mal entendido. Desde então, sempre nas listas de lançamentos para TV, home-vídeo e streaming, a Tsuburaya salta do episódio 11 para o 13.

Nos lançamentos de Ultra Seven em DVD no Brasil e nos EUA, o episódio "Presente Nocivo" ficou de fora. Aliás, encontrá-lo com boa qualidade só em gravações com a dublagem gringa da TNT americana, que também passou nos anos 80 e 90 sem tantos problemas.

Créditos: Alexandre Nagado, Michel Matsuda e Rodrigo de Goes (e-book Cultura Pop Japonesa - Histórias e Curiosidades)

2 comentários:

  1. Sei que vai ser quase impossível alguém me ajudar, mas não custa tentar, né? Tenho 34 anos e quando era criança (por volta dos 6 anos de idade) assisti a um tokusatsu (pelo menos acho que era um) na tv aberta (sbt, manchete, globo ou bandeirantes, não me lembro), e tinha uma cena de uma vila de fazendeiros onde todas as pessoas se transformavam em "homens sapos". Acho que na época, fiquei traumatizado com as cenas (kkkkkkk) e não me lembro de mais nada. Quando fiquei jovem, procurei por esse episódio em vários tokusatsus, mas sem sucesso. Alguém ai já assistiu algum tokusatsu onde o(s) herói(s) entrava(m) em uma vila de fazendeiros que se transformavam em homens sapos (cabeça e mãos de sapos e corpo de homens e mulheres)?

    ResponderExcluir
  2. Obs: esse monstro parece com o Tweleve do Street Fighter III

    ResponderExcluir