terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Comparação sobre "raíz" e "Nutella" prova o quão ainda temos que aprender com o tokusatsu

Não tenha vergonha desse Rider

Outro dia alguém me perguntou se eu sou um "tokufã de raíz" ou um "tokufã Nutella". Eu respondi imediatamente que nem um nem outro. Sou apenas um cara que tokusatsu, procura aprender com os heróis, gosta de pesquisar sobre o assunto e que eu não tenho essa frescura com diferença de geração pra acompanhar uma série ou um filme. Independente de época e efeitos especiais.

Me segurei pra não ter que escrever esse tipo de texto, mas vejo que uma brincadeira chata se tornou um pretexto absurdo de rebaixar o próximo. Tipo, por tudo agora alguém se intitula "fã de raiz" pra dizer, por exemplo, que nunca assistiu um Kamen Rider "feira da fruta" (perdeu uma grande série, minhas condolências). E por aí adentram debates que sempre quase sempre acabam em briga desnecessárias. Infelizmente o nicho do tokusatsu no Brasil não é um bom lugar ou, digamos, não tem maturidade pra lidar com diferentes opiniões e coisas afim. Claro que isso não se aplica a todos.

Por partes: não me considero "de raíz", pois quem é de verdade veio da geração acima da Manchete. Aquela das primeiras exibições de National Kid, Ultraman, Esper, Príncipe Dinossauro, Vingadores do Espaço, Ultra Seven, Spectreman, Robô Gigante e tantos outros clássicos que passaram no Brasil antes de Jaspion, Jiraiya e cia. E aderir ao novo e/ou buscar uma atualização não me faz ser um "Nutella" da vida ou algo do tipo. Bobagem. Sou da era Manchete, o que não quer dizer que fiquei parado no tempo. Apesar do tempo corrido, sempre busquei me informar sobre outras séries do gênero que não passaram pela extinta emissora carioca. E acredito que um bom fã de tokusatsu que se preze vai atrás, sem se prender ao passado nem rejeitar outras eras achando que só os heróis dos tempos da Manchete ou da Tupi é que são os melhores.

Na boa, esses rótulos só atrapalham o nicho e afastam novos fãs que querem conhecer esse universo dos monstros de borracha. Não é isso que aprendemos com os heróis do tokusatsu. Ainda temos muito que amadurecer, deixar de lado a meninice de aluno de quinta série e começar a enxergar o estilo que tanto gostamos com um olhar de um adulto. É um bom começo.

3 comentários:

  1. Cesar, gostaria de falr sobre outro assunto, o box do Ultraseven. comprei o meu essa semana ( quem quiser, corra atras, pq está sumindo das lojas ) após ter lido seu review e na verdade fiquei um pouco decepcionado. A qualidade da imagem está boa sim, porém os discos são de camada simples, diferentemente do lançamento da Shout!, que é em camada dupla. Tantos eps em dvds de camada simples resultaram em uma taxa de compressão que incomoda um pouco, não é exagerado, mas perceptivel. Custava tanto assim lançar em camada dupla, sendo a diferença de preço não ser tão grande assim ???

    ResponderExcluir
  2. De National Kid até Kamen Rider Gaim, eu vejo sem problemas, basta cada um extrair o que cada geração tem de melhor para oferecer, sem ficar preso à preconceitos bobos e infantis indignos para com os ensinamentos provenientes dessas series.

    ResponderExcluir
  3. Esse é o meme mais chato da história. A internet está morta.

    ResponderExcluir