quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Perseguição dos justiceiros sociais contra Super Mario Run é muita falta do que fazer

Mario machista?

O game Super Mario Run foi lançado há uma semana e recebeu críticas por um simples motivo: o herói continua salvando a Princesa Peach em pleno ano 2016, assim como nos primeiros jogos nos anos 80. Claro, toda essa reclamação nonsense vem por parte dos tais justiceiros sociais - mais precisamente das famigeradas feministas.

Não há problema nenhum em Mario salvar a princesa e isso não é sexismo nenhum. E sim cavalheirismo. Aliás, essa sempre foi a graça da franquia de jogos e não tem que mudar por causa de uma meia dúzia barulhenta (que ataca como donos da razão). Super Mario Bros tem todo um contexto e as boas e decentes mulheres adoram isso. Talvez esse elo entre Mario e Peach seja uma das razões para atrair interesse das mulheres em conhecer o jogo e até outros games. E isso não é problema nenhum.

Na boa: Mario sempre vai salvar a princesa, Superman sempre vai salvar Lois Lane, Seiya de Pégaso sempre vai salvar a deusa Atena e não são os justiceiros sociais de plantão que vão mudar isso. Antes de virem querer mudar o sentido de algum game, filme, mangá, série de TV, etc, procurem pesquisar sobre tal título antes de sair reclamando nas redes sociais e nos deixem em paz.

Na boa 2: essa polemiquinha interneteira é falta duma lavagem de louça. Olha, essa chatice passou da conta.

3 comentários:

  1. O mundo ta virando uma piada de mau gosto

    ResponderExcluir
  2. È por isso que não quero uma adaptação hollywoodiana de Sailor Moon
    no momento.Para agradar os SJW iriam fazer uma Serena com sangue nos
    olhos.Mas o que dizer de pessoas que dizem defender os direitos das
    mulheres,comunidade gls,etc.mas gerelmente acreditam no comunismo-um
    regime nada amitoso com minorias...

    ResponderExcluir
  3. Cara, o mundo tá cada vez mais chato mesmo. Mario deveria salvar quem? O Koopa?

    ResponderExcluir