sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Em 2016, Ultraman Orb fez escola para as séries Rider e Sentai

Orb em sua forma Trinity no filme de 2017

2016 foi um ano muito especial para o estilo tokusatsu e mais feliz ainda pra quem acompanhou Ultraman Orb. A série chega ao seu final e já na madrugada da próxima sexta pra sábado veremos em primeira mão via Crunchyroll.

Ao lado de Redman (série de 1972 exibida mundialmente via Ultra Channel, no YouTube), esta foi, sem dúvida alguma, foi uma grata surpresa neste ano. Aponto aqui alguns motivos que considero os fatores cruciais para o sucesso:

1) Comemorações dos 50 anos das séries Ultra

Ultra Q e Ultraman completaram meio século. As celebrações foram centradas mesmo na série do gigante prateado vindo da Nebulosa M-78. A franquia é uma tradição no Japão e tem bastante força quanto um Star Wars da vida.


2) Quebrou padrões

Aqui acolá sempre tem uma turma que acha que Ultraman é "a mesma coisa". Mas quem assistiu pelo menos umas três ou cinco séries Ultra sabem que isso não é verdade tem argumentos que derrubam facilmente tal desinformação. Orb foi uma série que quebrou padrões e superou Ultraman X, que ainda mantinha clichês como uma equipe anti-monstros. O trio da SSP é uma equipe improvisada e cheia de bom humor. Nada de exageros e pegadas infantiloides como acontecem viciadamente nas atuais séries tokusatsu da Toei. Kamen Rider Amazons é uma exceção, obviamente.


3) Miyabi Matsuura

A atriz é bonita sim. Nesse quesito, ela é um páreo duro em meio às gracisosas atrizes de Kamen Rider Ex-Aid e Zyuohger. Mas Miyabi, a nossa querida Naomi Yumeno, simplesmente detona elas com sua interpretação ímpar. Não que as atrizes de Rider e Sentai sejam ruins, veja bem. É que Miyabi tem um dom especial e uma química forte em cena. É só ver por exemplo os momentos em que ela contracena com Hideo Ishiguro, o Gai Kurenai da série.


4) Rivalidade inteligente

Gai e Juggler ensinaram a Toei como criar uma rivalidade consistente e sem abandonar personagens, como aconteceu infelizmente com Decade e Diend. A ligação entre o herói e o vilão ainda é um mistério e deve ser desvendado em The Orgin Saga, agora em dezembro. Juggler foi um vilão terrível e foi um misto de diversão e ódio. Sim. Juggler conseguiu agradar em cheio o público e vai nos fazer odiá-lo no último episódio.


5) Spin-off e filme em 2017

Os filmes de primavera agora são praticamente uma tradição e Orb nas telonas é motivo de muitas expectativas. Já o spin-off, que será o prólogo do herói, tem tudo pra ser uma jogada inteligente da Tsuburaya.


6) Exibição simultânea no Brasil

Ultraman Orb é a segunda série tokusatsu a vir mais rápido pra cá. A primeira foi Ultraman X no ano passado. Ambas derrubaram Jiban do topo de série exibidas no Brasil no mesmo período que no Japão. Os tempos são outros e a transmissão simultânea pelo canal de streaming Crunchyroll é uma grandiosa conquista. Orb teve uma audiência de 89% a mais que X. Sinal de que não precisamos mais esperar anos-luz pra ver uma série tokusatsu na TV brasileira. E além do mais, hoje em dia só é refém da pirataria quem quer.


7) Ultrapassou Kamen Rider e Super Sentai

Enquanto a Toei teve um ano aquém para comemorar os 45 anos de Kamen Rider e os 40 de Super Sentai, a Tsuburaya soube se planejar e criar um programa divertido, carismático e sem abuso de infantilidade. Não teve susto, mas muitas surpresas agradáveis que não deixaram o público se cansar. As séries Ultra estão em sua melhor fase nos últimos 10 anos e a Tsuburaya tem muito ainda que ensinar à nossa querida Toei.



Um comentário:

  1. Belo texto César ! Concordo com tudo !! A Tsuburaya sempre esteve um degrau a acima da Toei !!

    ResponderExcluir