terça-feira, 1 de novembro de 2016

Senpai TV é curto, sem novidades e deveria ser um programa de curiosidades

Marcelo Del Greco na estreia do Senpai TV (Foto: Reprodução)

A noite desta segunda (31) foi marcada pelo retorno de Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball Z na Rede Brasil. Durante a exibição houve aquele burburinho nas redes sociais que ajudaram a comemorar a volta destas duas séries de anime. Não é a toa, pois são duas das obras mais importantes da Toei Animation e da história dos desenhos japoneses no Brasil. O sucesso foi tanto que o site do canal congestionou no horário de CdZ e quem tentou até o fim só conseguiu acompanhar na parte B do episódio de estreia de DBZ. A exibição foi em HD remasterizado - material vindo da própria Toei - e o mais estranho foi que os títulos das séries e dos episódios estavam em português, ao invés de manter a originalidade (o que seria mais legal). Mas isso é o de menos. O que importa é que tudo foi apresentado sem cortes e está num horário justo (apesar da audiência não ter alcançado um ponto inteiro).

Durante a exibição houveram passagens do novo programa Senpai TV e a fórmula é batida: apresentar o episódio que vai começar. Tudo bem que isso caia bem nos anos 1990/2000 numa fase longínqua da TV brasileira, mas esse tipo de formato não convence mais. Melhor dizendo, é desnecessário e a impressão que fica é que é um programa "infantil" voltado para adultos de trinta e poucos anos.

O Senpai TV é curto pra tanta informação. Como é o primeiro programa, as informações foram as de sempre. Talvez seja para atender a nova geração que não viveu o auge desses títulos por aqui, mas precisa de mais tempo e inovar o quanto antes. Seria interessante o programa mudar o formato para um debate descontraído e trazer curiosidades. Só quem se saiu bem até agora foi Marcelo Del Greco. Afinal, ele é veterano na área desde os tempos da revista Herói e continua na ativa na editora JBC. Penso que ele é quem deveria apresentar ao invés do Clayton Ferreira que parece querer elevar o cosmo ou o chi a todo o momento. Já o José Carlos Alves estava bem tímido e acanhado.

Espero que o Senpai TV aumente sua duração pra 30 minutos e desmistifique lendas sobre Cavaleiros e Dragon Ball. Só com breves passagens não será o suficiente pra deixar alguma marca na memória do público.

PS: Os eyecatches das duas séries não foram limadas. Curiosamente, durante as passagens de DBZ a dublagem da Álamo chamava a série como "Dragão Z". Gafe que ficou de fora da memória afetiva graças a Band, Cartoon e Globo. Uma pena.

2 comentários:

  1. Realmente, acho que Marcelo Del Greco era quem deveria ser o apresentador. Clayton parece que não conhece Cavaleiros. O que está estragando mais ainda é comentar episódios que ainda estão muito longe de acontecer. Já exibiram cenas da saga de Hades. Tudo bem que já não chega a ser um spoiler, mas é para quem tá assistindo agora? Onde fica aquele gostinho de "o que vai acontecer", mesmo já sabendo do final? Como vc bem disse, trazer novidades (olha aí Saintia Shô, que Marcelo fez questão de apresentar). Curiosidades: por exemplo, algumas comparações com o mangá, a criação de Kurumada! Enfim, "eleve a cosmo!"

    ResponderExcluir
  2. Eles tinham que convidar os caras do Vai Seiya

    ResponderExcluir