segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Petição para Power Rangers no SBT não faz o menor sentido


Recentemente surgiu na internet uma petição que reivindica a ida da franquia Power Rangers para o SBT. Atualmente as séries são exibidas na TV aberta via Band nos finais de semana na faixa das seis da madrugada. O texto da tal petição se resume apenas em um único parágrafo que diz o seguinte:

"Queremos um horário decente e uma valorização maior a série, nós fãs queremos acompanhar devidamente na televisão aberta. Achamos que o SBT é o único canal capaz de valorizar o seriado para exibir adequadamente Power Rangers para as crianças e adolescentes em um bom horário."

Não quero aqui desmerecer a iniciativa dos fãs que estão se reunindo. Mas a tal petição falha em vários pontos. Pra começar, o texto não argumenta o tal motivo pra que seja exibida na emissora paulista ou sequer é defendida a tese de que o SBT é o canal mais "adequado" pra passar a franquia. E sequer há uma compreensão sobre direitos de exibição e licenciamento.

Quem acompanha a TV brasileira há longa data sabe que o SBT, apesar de ter uma boa programação, vive mudando a programação e às vezes sem aviso prévio. A crise de programação mais memorável foi em meados de 2006 quando Silvio Santos resolveu mudar semanalmente sua programação. E o que é pior, na época, o site da emissora deixou de veicular a programação dos dias seguintes, se resumindo apenas ao dia presente. Já pensou se o SBT resolvesse alternar episódios de temporadas diferentes como acontece com o Chaves? Realmente não dá.

Tá certo que a Band já exibe Power Rangers há um bom tempo e eles podem passar pois tem contrato com a Nickelodeon, que é quem detém dos direitos da franquia atualmente (com exceção de Power Rangers Megaforce em diante, aqui no Brasil). Se for por condições de horário, a tal petição deveria ser direcionada para a Band e com as solicitações detalhadamente explicadas.

Mas eu me pergunto: por que fazer tal pedido se hoje em dia a TV está perdendo parte do espaço para os serviços streaming/on demand? No caso do catálogo da Netflix tem todas as temporadas da franquia. De Mighty Morphin até o Super Megaforce (o Dino Charge deve chegar em breve). Sem contar que há mais séries da Saban por lá como o re-version da primeira temporada, e temporadas completas de VR Troopers, Beetleborgs e As Tartarugas Ninja: The Next Mutation. Com um catálogo imenso nas mãos - por custo acessível - dá pra maratonar ou criar uma programação diária/semanal própria. Bem melhor do que esperar ou depender de horário ou da boa vontade dos canais, não é mesmo?

E pra não dizer que sou contra à petições, a que está sendo mais consistente e justificada é o abaixo-assinado que pede pra que a Netflix adquira os filmes inéditos do Digimon e mais o Digimon Adventure tri, que estreia no Japão em novembro que vem. Essa tem o apoio do dublador Ricardo Juarez, o narrador brasileiro das três primeiras temporadas do anime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário