sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Ponto de Vista - Don Dracula


No fim de semana passado finalmente assisti ao anime Don Dracula. O clássico pode ser visto em DVD pela Cult Classic. Hoje, sexta-feira 13, vamos comentar no Ponto de Vista sobre essa hilariante saga do vampiro mais famoso do mundo que passou na Rede Manchete e é pouco conhecida entre os naruteiros de plantão.


Entendendo a produção


Osamu Tezuka (3/11/1928-9/2/1989)

Don Dracula foi uma criação do lendário "deus do mangá" Osamu Tezuka (o pai de Astro Boy, Kimba, A Princesa e o Cavaleiro, entre outros), por qual foi apresentado entre 28 de maio e 10 de dezembro de 1979 através de três edições da Weekly Shonen Champion. Sua série de animação estava programada para ir ao ar entre abril e setembro de 1982 pela TV Tokyo. Planejado para ter 26 episódios, somente 8 foram produzidos. Isso porque a empresa patrocinadora que cuidava da série faliu! Os quatro primeiros episódios foram ao ar entre 5 e 26 de abril daquele ano, no horário regular das segundas-feiras das 19:00 às 19:30. Para suprir o buraco na grade, a TV Tokyo tratou de repisar alguns episódios do anime Kerokko Demetan (Tatsunoko Productions, 1973) no lugar entre maio e junho. Os episódios "perdidos" foram apresentados no DVD da série, lançado no Japão em 2002.



O conde da Transilvânia brilha na TV japonesa

CUIDADO! Contém spoilers! ;)


Logo de abertura da série de TV
'Tezuka Osamu no Don Dorakyura'

A história começa quando vemos o Conde Drácula tentando chupar o sangue de uma garota bonita, o tipo de mulher que ele prefere. (Te cuida, Edward! Esse é macho. Hehehe!) Ao se aproximar, ele vê Blonda. Uma mulher feia e gorda (isso o que o Drácula diz toda vez) que sempre o persegue e deseja ser mordida por ele. Tudo não passava de um "pesadelo" para o vampiro. Logo vemos quem o acompanha na sua residência que é um "paradise" como diz o tema de abertura: a sua mansão de grande estilo, situada na cidade de Nerima. Drácula vive com sua filha Sangria (Chocola no original), que é mais sensata que o próprio pai. Além do seu criado Igor e do morceguinho Yasu, que serve como narrador das histórias.

Sangria, a filha super dotada de Drácula

O mordomo Igor


Yasu, o mascote narrador

Drácula se refugiou no Japão para se esconder do caçador Van Hellsing. Contrariando as tradições, o Hellsing da ficção é baixinho estressado! E sempre que fica nervoso quando está prestes a matar o vampiro e se desespera em correr ao banheiro. É que o nanico tem problemas de hemorroidas. Essa vergonha alheia é uma das coisas que garantem boas risadas ao assistir o anime.


Van Hellsing

Hellsing é um famoso caçador que vindo da Alemanha se instalou como professor na escola onde Sangria estuda. Pois assim ele suspeitava que um vampiro estivesse lá. Logo no primeiro episódio o cara faz todo um alarde sobre a existência de vampiros no local. Bem, no final do mesmo ele encontra a mansão. Para o clímax ser mais engraçado, os problemas intestinais de Hellsing são resolvidos... bem, no caixão de Drácula. kkkkkkk!!! Tanto é que ele se presta a lavar o dormitório. E olha que ele tava com a faca e o queijo na mão pra pegá-lo, hein. A graça só perdura com a perseguição aparentemente sem fim.


Don-dora.. kyura!

Don Dracula, até onde foi televisionada, não acrescentava tanto na sua mitologia. Ao contrário dos demais animes que tinham continuidade a cada episódio, este tinha episódios isolados. Era uma comédia com o humor japonês herdado dos anos 70. Tinham uns momentos marcantes como por exemplo onde o Drácula teve que ajudar um fã clube de vampiros -- sem eles notarem que ele é o conde das trevas, manja -- e ele teve que que se vestir de mulher para atrair um vampiro, sem contar que o tal clube era liderado por uma velha que batia no Drácula constantemente no episódio. (kkk) Havia também um episódio em que o conde teve que enfrentar um rato possuído, que ao atacar Sangria ele a deixou somente de calcinha e sutiã. Nessas duas situações o Drácula acabou morrendo e foi ressuscitado com ajuda da filha.








Sobre Blonda, o que se pode dizer é que sabemos que fora casada com um homem que havia se apaixonado por ela -- quando magrinha -- nos tempos de escola. O rapaz chama-se Dorian Grey (uma referência ao personagem do livro O Retrato de Dorian Grey do autor Oscar Wilde [1854-1900]) que vendera sua alma ao diabo para tê-la para todo o sempre. Como não se negocia com demônio, em troca o rapaz foi aprisionado numa pintura de um monstro. Com o sumiço de Grey, Blonda começa a comer sem parar até engordar. O tal quadro foi entregue misteriosamente à mansão de Drácula e atormentava, ou melhor, pedia socorro à Sangria. O desfecho pode ser visto no terceiro episódio ("O Gigante que Vendeu sua Alma").


Blonda, a perseguidora apaixonada


O horrendo Dorian Grey!

Outros personagens surgem na história. Como Nobuhiko, o amado amigo de Sangria que é líder de um clube de ficção científica. E o Inspetor Murai, que tem a mania de atirar para o alto com seus revólveres de munição "ilimitada". No anime estava para entrar em cena Carmella, a mãe de Sangria e uma lobisomem que teria se casado com Drácula e se divorciado por ele ser contra à filha matar humanos. Drácula teria alegado à Sangria que a mãe morreu doente. Infelizmente o capítulo do mangá nunca chegou a ter sua versão para o anime.

Houveram também alguns momentos de drama. Quando Drácula e Sangria estavam com dificuldades em conseguir um sanguinho pra tirar a barriga da miséria. O que era cômico virou um momento sentimental entre pai e filha, onde a garota pede a ele para se alimentar de seu próprio sangue. Os dois se abraçam e Drácula e recusa o humilde pedido da filha. Em outro capítulo, Drácula encontra lagartos mutantes da Amazônia que estavam presos à bonecas infláveis de Hellsing e fogem ao raiar do sol para tentar encontrar o lar. E o mais triste de todos: o penúltimo episódio ("A Grande Trapaça"), quando Sangria cuida de um panda e um filhote de tigre, que são sobreviventes de um acidente aéreo e passam a serem perseguidos por caçadores. No final, Sangria é encurralada pelos tais e os animais tentam salvá-la e acabam sendo mortos. Os minutos finais são de partir o coração, que até comoveram todos os personagens envolvidos na cena.


Um drama em meio à comédia,
o episódio 7 teve um triste final.

Don Drácula termina com o episódio "O Alho, a Cruz e o Dentista", onde o vampiro tem que regular sua arcária dentária num consultório. E acaba fugindo por medo de água e obturação. Foi um final engraçado e que dá uma vontade de ver o que aconteceria até o final. Não tem como não gostar dessa versão do Drácula. Quem assiste acaba desassociando à fama que conhecemos e se diverte com suas trapalhadas.

Infelizmente Don Dracula não foi um grande boom no Japão como as demais obras de Tezuka. O anime não foi de grande repercussão como deveria. Independente disso, o programa de TV é inesquecível para quem acompanhou e vale como uma preciosa raridade que deve ser assistida e apreciada para rir de montão, nem que seja para uma maratona num feriado. Gargalhadas garantidas ou seu mau humor de volta. :D


Don Dracula homenageado
 no Tezuka Day em
17 de dezembro de 2011

Uma curiosidade dos bastidores: a dublagem japonesa contou com a voz do recém-falecido seiyu Kenji Utsumi (o Odin de Cavaleiros do Zodíaco) como Don Dracula e Saeko Shimazu (a Kodachi Kuno de Ranma ½) como Sangria. O próprio Utsumi é quem canta o tema de abertura "Paradise Dracula", juntamente com a banda Koorogi '73 (conhecida por tocar em temas das séries Super Robot e Super Sentai). Já o de encerramento, "Otõ-san wa kyuketsuki" (Traduzindo: "Meu Pai é um Vampiro") é cantada por Yoshimi Niikura. As músicas são bem engraçadinhas.


Don Dracula no Brasil

O anime estreou por aqui em 1984 pela Rede Manchete, no programa Clube da Criança -- apresentado pela então futura "Rainha dos Baixinhos" Xuxa. Numa época em que a emissora carioca nem sonhava com sucesso que viria a ter com tokusatsus como Jaspion, Changeman, Jiraiya, e animes como Cavaleiros do Zodíaco, Sailor Moon, YuYu Hakusho e uma enxurrada de outros enlatados japoneses. As cenas de abertura eram a mesma da versão original. Porém, sem os créditos e com uma música instrumental bacaninha -- que não tinha nada haver. Don Dracula foi distribuído pela Network, que trazia junto outros animes que agitaram os fins de tarde da Manchete. Como Patrulha Estrelar (Uchuu Senkan Yamato, 1974~75), por exemplo. Num vai e vem na Manchete, a série ficou cerca de três anos na programação.

O mais curioso é que algumas coisas passaram despercebidas pela censura, em pleno Regime Militar, que ainda era vigente no nosso país. (NOTA: Em 1984, o Presidente do Brasil era João Figueiredo) Como na cena em que Hellsing mostra a bunda para os policiais no primeiro episódio, as bonecas nuas no episódio 4, e a "nudez" de Sangria. Isso tudo passou dentro de um programa infantil e em horário diurno. O que justifica a reclassificação atual para 12 anos.


Hellsing fez escola para Bart Simpson e
Ace Ventura em matéria de irreverência.

Anos mais tarde, em 1994, Don Dracula passaria na CNT. Junto com Patrulha Estrelar e outros desenhos da Network. Por ser um anime de "curta vida", ficou pouco tempo no horário nobre na emissora dos Martinez.

Em home-video, Don Dracula teve duas fitas VHS lançadas pela Network. Em 2013 teve a merecida chance de ser lançada em DVD pelo selo da Cult Classic. Aqui a dublagem original foi mantida e os episódios estão na íntegra como abertura e encerramento originais e com eyecatches (as vinhetas de entre intervalo). Tudo do jeito que um bom anime merece e deve ser visto. (Né, Seu Afooooonso?)


DVD nacional de Don Dracula,
 pela Cult Classic

Ah, não podemos deixar de citar a dublagem. Os trabalhos foram feitos nos estúdios da carioca Telecine (não confundam com os canais da Globosat, criançada). Os destaques vão para o ator/dublador Paulo Pinheiro (in memorian) como Drácula e Mirian Fischer (antes de dublar a Botan em YuYu Hakusho) como Sangria. Hellsing também é dublado pelo Ayrton Cardoso (o Broodwing em Power Rangers S.P.D. e o Hessler em Uchuu Keiji Shaider).




Para fechar a matéria, fica o que há de melhor no Drácula: suas caretas!











Um comentário:

  1. Engraçado é que na serie
    infanto-juvenil inglesa Young Dracula (exibida na hbo family)o
    Conde(pai do herói-titulo) tem
    muito da personalidade de Dom Dracula com trapalhadas impagáveis
    e tentando ensinar o filho a ser
    mau além de enfrentar um Van Helsing
    igualmente trapalhão no início
    da serie ! Com a ajuda da internet é perfeitamente possível
    que alguém na produção tenha se
    inspirado em Dom Dracula.
    Também tem uma vampira gatinha
    Ingrid, mas é o oposto exato de
    Sangria em personalidade e
    inteligência !

    ResponderExcluir