domingo, 16 de fevereiro de 2014

ToQger tem boa estréia, apesar de umas estranhices...


Depois do espanto que os fãs de Super Sentai tiveram com o visual da nova série Ressha Sentai ToQger, é hora de "dissecar" o primeiro episódio, exibido neste domingo (16) pela TV Asahi.

ToQger teve uma boa estréia e não passa disso. O que normalmente acontece no começo de cada Sentai. Uma amostra do que os heróis podem fazer e coisa e tal. Sobre os objetivos dos heróis e dos vilões deveremos ver o aprofundamento disso no segundo episódio, como de costume.


O episódio mostra o ataque do Exército Maligno Shadow Line, criando imaginações nas mentes das crianças e raptando-as em seguida em um trem sombrio gigantesco. No veículo estava Right, que ainda não se tornou o ToQ 1-gô e é resgatado pelos outros quatros heróis. No trem, Right reconhece seus companheiros, que eram seus amigos de infância. E por aí vai...

Por outro lado, há os vilões da Shadow Line que tem aparências assombrosas. Tipo: contos de terror ou coisa do gênero. Não tanto assustadoras quanto nos anos clássicos dos sentais, mas pode-se dizer que supera alguma coisa entre os visuais dos vilões de sentai da última década.


Agora falando sobre as possíveis bizarrices que o povo estava um tanto pavoroso. A começar pelo condutor do trem. Ele é estático e anda com o fantoche Ticket. O boneco -- que parece um macaquinho (feio) -- aparenta ter vida própria. Isso se dá ao fato de termos um ator e um seiyu respectivamente para cada personagem. É coisa que a gente se acostuma com o tempo.

Outra coisa estranha é a troca de cores. Isso já era esperado há algumas semanas. Tá certo que há um conceito em relação a isso, pois como os heróis representam trens, há uma referência ao chokutsu (interligado). Uma expressão japonesa que designa a troca de nomes de uma determinada linha ao chegar em uma estação de destino. Mesmo assim, é totalmente dispensável, até que a técnica seja bem aprofundada no futuro. Caso contrário, vai ser trocar por trocar de cor. Não teria muita graça e a ideia poderia ser deixada de lado rapidinho.

Tem também o Rentetsu Bazooka que dispara uma torre de bonecos chorões contra o monstro antes de explodir. Ah, não poderia deixar de falar do Toq-Oh. O boneco gigante da Lego (kkkk). Pra ser sincero, gostei do robô. O capacete do bicho é bonitão. O resto do trambolho é "so so".

Enfim, a julgar pelo início, ToQger derrubou a teoria precipitada de alguns fãs em relação do que se aguarda pela frente. Pode ser que ela supere no enredo como pode retardar. Até aqui a coisa não virou um "Teletubbiy" da vida. O que esperamos que esteja bem longe de acontecer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário