sábado, 4 de janeiro de 2014

Hikonin Sentai Akibaranger - Season Tsuu


Como eu havia comentado na postagem anterior, estou tentando tirar o atraso de alguns tokusatsu exibidos no ano passado -- que por algum desleixo meu, deixei acumular. Bom, agora sim eu pude assistir a segunda temporada do AkibarangerNa época eu tinha assistido apenas ao primeiro episódio e ficou por isso mesmo. Caramba! Essa foi a melhor temporada do Esquadrão Não-Oficial. Aliás, Akibaranger é a melhor coisa que a Toei Company já fez em suas mais de seis décadas. O final da primeira temporada foi uma das coisas mais loucas que já se teve numa série de TV. Mas o assunto aqui é sobre a fase "Tsuu". Então, sigam-me os bons...


[SPOILERS]

Hikonin Sentai Akibaranger: Season Tsuu começa de forma surpreendente, mostrando um final que nunca aconteceu! Uma desculpa pro Saburo Hatte tirar a suja do final do cours anterior. Ao invés de Nobuo Akagi/Akiba Red ser escolhido pelo Pentágono para ir à América, a Mitsuki/Akiba Blue é que foi no lugar, por causa de seu potencial nas batalhas e blá-blá-blá. Fora que deram uma desculpa pro Delu Knight ter aparecido mais cedo na trama do que originalmente. Enfim, a confusão começou com as misteriosas mudanças em relação ao legado das séries Super Sentai na realidade de Akibaranger. Tudo graças ao Tsu Shogun (ou General Tsu), um vilão com cara de demônio que é nada mais que um fanboy dos inimigos dos Sentais, e que tem acesso às desilusões, além de cantar karaokê de músicas dos sentais.


Como primeiro ataque, o esquadrão de Akihabara foi oficializado como o 17º da franquia dos multi-coloridos. Ao invés de Dairanger, que tornou-se Chinaman. Em meio ao desespero de Akagi pra que tudo voltasse ao normal, ele tem de volta a ajuda da cosplayer recém-casada Yumeria/Akiba Yellow e da novata Luna Iwashimizu. O que faz a garotinha entrar para a equipe e ser a nova Akiba Blue é o fato dela ser fã do tal "Gosei Sentai Akibaranger", que a mesma teria assistido em reprises do Toei Channel. (Hein?!) Na corrida para fazer com que China Red recuperasse sua memória dos tempos do líder Ryu Ranger, o Kiba Ranger (na voz de Wataru Abe - o Byakkoshinken na série original) também surge de forma estranha e fazendo furdúncio. Além de Malsheena, que surge como membro do novo "império do mal" Baros lol.



Após a resolução do caso, Luna volta a si (com a inexistência de Akibaranger na cronologia oficial dos Super Sentais) e volta e meia se queixa em querer ser uma Idol de grande sucesso. O que torna a personagem chata às vezes. O que a salva é o interesse da garota em conhecer a franquia Super Sentai, através de Akagi. Nada que supere a docilidade de Mitsuki.



Akibaranger 2 tem seus episódios isolados e várias referências. Vale um destaque para dois destes. O episódio 5, onde os heróis tem que enfrentar as suas versões americanizadas: os Powerful Rangers (paródia dos Power Rangers na parada). A história foi uma satirização à parte sobre a confusão que há entre os leigos no ocidente quanto às informações sobre as "crias de Saban" e os verdadeiros Rangers do Japão. Em meio ao esculacho (principalmente o fato dos Powerful Rangers falarem inglês e sem legendas!), curti demais a parte em que o Akagi diz algo como "Nós amamos os Sentais vindos do Japão". 

E o outro foi o episódio 8, com a participação especial do suit actor Yoshinori Okamoto. Conhecido pelos vilões Bio Hunter Silva, Booba, Bo Galdan, Oyobu e Doctor Ashura. O negócio é que Okamoto havia "negociado" para que os poderes de seus vilões fossem usados como legados do mal para o monstro Mutoumushite. Sua luta final contra Akiba Red teve um toque de improvisação que animou bastante pela referência à batalha final entre Change Dragon e Booba no episódio 52 de Changeman. O final do episódio teve uma participação ligeira do também dublê Seiji Takaiwa, conhecido atualmente por vestir os trajes dos Heisei Kamen Riders e por já ter vestido vários Red Sentais nos anos 90.



O final de Akibaranger 2 é mais engodado do que na temporada passada. Não teve o mesmo impacto que na época, mas foi legal. A ligação entre as memórias perdidas na mudança de roteiro provocada por Saburo Hatte e a "atual realidade" foi justificada na intervenção de Malsheena na produção da segunda temporada. Sem contar que houve uma espionagem de uma empresa estrangeira (Os fãs das série Ultra vão ligar o problema à piada) que teria "acertado" o fim dos Super Sentais nas manhãs de domingo da TV Asahi para dar lugar ao "Hikonin Kyojin Prism Ace" ("Gigante Não-Oficial Prism Ace") no outono seguinte. Quem empresta a voz da paródia dos Ultramen é o seiyu Toru Furuya (Aka Red dos Super Sentais e o Seiya de Pégaso em Cavaleiros do Zodíaco).



Akibaranger 2 tem tantos detalhes que não dá nem pra resumir num texto e descrever o quanto me agradou ver os novos episódios. O que posso dizer é que a temporada abusou merecidamente das homenagens, referências e participações especiais de celebridades envolvidas no meio Super Sentai. Os heróis também ganharam um novo robô... gigante. Akiba Red ganhou um power-up baseado na sua personagem favorita do fictício anime "Nijiyome Gakuen Z-Cune Aoi". Há rumores de uma terceira temporada para o ano que vem. Tomara que aconteça mesmo e que o "poderoso chefão" da Toei dê logo uma boa desculpa para que nossos heróis de Akihabara retornem das cinzas.



Nobuo Akagi é aquele tipo de personagem bacana que todo otaku queria chamar de amigo e papear bastante sobre essas séries. O competentíssimo ator Masato Wada se superou mais do que nunca na interpretação. Quem também estão de parabéns é o ator Ryo Horikawa como o Tsu Shogun, a atriz Honoka como Malsheena, e da atriz Karin Ogino nas múltiplas faces da divertida Yumeria. Claro que eu não poderia esquecer da talentosa (e admirada por este que vos escreve) deusa com ar de menina, a atriz e seiyu Maaya Uchida como a Hiroyo Hakase.



Pra fechar a prosa, que tal uma foto pra espantar muriçocas, hum? kkkkkk...



Nenhum comentário:

Postar um comentário