segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Silvia Abravanel é esperança incerta de Power Rangers na TV

Megaforce seria a primeira proposta da Saban para o SBT

Na semana que passou saiu uma nota pelo portal Na Telinha que informa que a Saban Brands está em busca de uma emissora que daria "maior visibilidade" à franquia Power Rangers. Insatisfeita com os horários ingratos da Band nos fins de semana, a empresa visa o SBT pelo simples motivo de ser a única emissora aberta (das cinco principais) a ter mais duração de programas infantis. Fora que também as emissoras Globo, Record e RedeTV! extinguiram programas infantis de suas respectivas grades. Parece que a única esperança dos fãs brasileiros dos Rangers é Silvia Abravanel (não lembro qual número é a filha de Silvio Santos), que coordena a programação infantil do SBT e está restringindo programas com conteúdos de violência.

O problema é que Power Rangers tem esses elementos. Aliás, tanto as lutas como a violência são moderadas. Nem sangue há e é mais fácil encontrar faíscas. Brincadeiras à parte, Power Rangers não deixa de ser uma programa didático, pois em vários episódios encontramos lições de vida, moral da história e tantos outros ensinamentos importantes.

Cá pra nós: Silvia não é uma boa opção, apesar dos pesares. Power Rangers pode fazer sucesso no SBT? Sim, mas tem outro problema que os fãs esquecem. É que o SBT é conhecido por alterar programação (muitas vezes sem aviso). Já teve uma má fase em meados de 2006 onde a cada semana a grade mudava. E quem garante que o SBT exibiria em um bom horário, né? Volta e meia Power Rangers poderia cair na mesma faixa das seis da manhã dos fins de semana assim como acontece na Band (mesmo horário do Chaves no SBT, diga-se).

Cá pra nós 2: o SBT já exibiu outra série tokusatsu bem mais violenta que Power Rangers chamada Spectreman, que foi sucesso nos anos 80. O mesmo já exibiu animes bem mais violentos como Street Fighter, Fly, Rayeart e Dragon Ball nos anos 90. Na mesma décadas, as manhãs de domingo tinham séries (do horário nobre americano) bem violentas. Lembro que uma vez o bloco Sábado Animado exibiu um único episódio da série O Renegado pra nunca mais. Ok, vivemos em outros tempos. Esses exemplos foram pra mostrar que Power Rangers tem violência fichinha a esses mencionados. É só analisar.

Enfim, se for pra depender da boa vontade de Silvia e de horário de TV, prefiro ficar com minhas eventuais maratonas dos Rangers na Netflix. Ao menos nós temos essa ótima opção (aprovada pelo patrão) há longa data.

Nenhum comentário:

Postar um comentário