quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Hey tokufã, admita: você também é otaku

Nobuo Akagi: herói admirado, exemplo esquecido

E começo o ano assim: chutando o balde. Tentando quebrar uns tabus como faço aqui de vez por outra neste espaço, quando coisas absurdas acontecem e aparecem. Um puxãozinho de orelha pra acalmar os ânimos e mostrar que nem tudo é tão definitivo quanto alguns pensam. O assunto em questão é sobre algo que há tempos me incomoda e, de certa forma, me intriga às vezes. Sabe quando você cresce assistindo anime e tokusatsu, aprende a continuar vendo antigas e novas séries e daí alguns fãs do mesmo gênero que você diz que "não é otaku" por não ser fã de Naruto? Isso sempre soou estranho pra mim, que convive com este nicho desde a infância. Ainda mais quando já ouvi por várias vezes as seguintes afirmações: "sou tokufã e não sou otaku" ou "odeio naruteiros e viva aos tokusatsus". Coisas contraditórias que aparecem por conta do campo das ideias.

Então, é preciso que se diga que todo e qualquer tokufã também é otaku. Uma vez que isso - querendo ou não - sempre esteve arraigado na cultura pop japonesa que tanto curtimos, amamos e admiramos. Afirmações contrárias como citei são absurdas e não tem cabimento. Vamos entender a retórica: o termo "tokufã" é um informal criado aqui no Brasil há cerca de 10 anos atrás, lá nas comunidades da não tão saudosa rede social Orkut. Em tempo, nunca existiu esse termo no Japão, já que "toku" possui outro significado. Sendo que tokusatsu é a junção das palavras  "Tokushu Kouka Satsuei", que traduzindo seria "filmes de efeitos especiais". Nada contra o termo adotado por aqui, por mais que o "prefixo" não seja genuíno. O que no Japão - e em outro país qualquer que tenha amantes da cultura pop japonesa - o termo mais correto/apropriado e não menos específico usado para tal é o mesmo tradicional e antigo "otaku". Não tem "bom" nessa história não. (rsrs)

Sinceramente eu não entendo de onde surgiu essa aversão toda com o termo e não sei quem criou tamanha sandice pela net afora em querer segregar as duas esferas e montar uma rinha entre fãs. Principalmente quando em certas regiões de nosso Brasil se associa otakus somente pela nova geração (adolescente) de fãs e daí surtem as indiferenças e choques de gerações. Coisa intragável. Tudo bem que no Japão a palavra seja pejorativa e esteja tipicamente ligada a qualquer hobby pessoal. Comumente conhecida entre animes, mangás e derivados. Fora outros nichos que não se enquadram nesta esfera. Mas qual a necessidade de separar hobbies de um nicho industrial que nunca foi desunido no Japão?

No Brasil, a aversão está mais atrelada à algumas disputas nonsenses, bobas e sem cabimento. É aquela velha briga pra ver quem é o melhor: se Cavaleiros do Zodíaco ou Naruto. Se Dragon Ball ou Bleach. Ou até mesmo se Super Sentai ou Power Rangers. Ou pior: se Sailor Moon ou Patrine. Se Jiraiya da Toei ou Jiraiya do Naruto, dentre outros "debates" furados. Enfim, uma briga pra saber quem é quem e qual a cultura mais "forte/evoluída/superior" que a outra. Não existe isso no Japão. Por que então deveria ter justamente aqui no Brasil? Percas de tempo como essas deveriam ser investidas em pesquisas mais aprofundadas sobre a cultura pop japonesa e suas curiosidades. Isso, não existe outro termo mais correto: falta de pesquisa. E digo mais: alguns ainda carecem de humildade, maturidade, bom senso, ética, cultura, leitura e compreensão maior por parte de alguns para averiguar mais os fatos e deixar o achismo e os malditos boatos de lado. Claro que não são todos os fãs de ambos os lados, obviamente. É triste como a tecnologia facilita o acesso à pesquisas e poucos são os que sabem realmente usar de tais ferramentas.

No Japão, todo otaku é irmão e não existe distinções entre gerações X e Y ou que quer que seja. Cada um curte o seu hobby, o seu anime, o seu tokusatsu e segue a vida. Todos se respeitam e não existe espaço pra briguinhas medíocres como se leva em nosso país. Então por que no Brasil teria que ser diferente? Por que somos mais "superiores" ou por que há alguma ovelha negra querendo se rebelar criando caos e falsos conceitos na web? Lá na terra do sol nascente não existe animes/tokusatsu disputando entre si, e sim os favoritos de uma determinada época, gênero, ano, temporada, etc. Enquetes salutares.

Sou fã de anime e tokusatsu sim e não me envergonho disso. Abaixaria minha cabeça se caso eu roubasse, matasse ou prostituísse. E o que nos faz sermos otakus? Simplesmente o hobby (gosto/interesse/fascínio) por assistir estas séries japonesas. Posso não ser estereotipado e nunca precisei usar bandanas/orelhinhas de coelho pra provar isso a ninguém. Faria sim um cosplay de anime e tokusatsu se tivesse tempo para me dedicar. E daí? Qual o problema? Estaria errado eu? Além do mais, assim como tenho minhas preferências nipônicas, tenho também as minhas ocidentais. Quem acompanha o blog há longa data, sabe disso. Não é porque curto anime e tokusatsu que isso me faz amar somente a tudo o que vem do Japão. E como blogueiro, analiso pontos positivos e negativos das histórias que acompanho. E sem essa de não assistir porque outra pessoa vi e não gostou.

Quanto à comportamentos, não vou me deter a isso e deixo pra quem "queima o Judas" da vida alheia. Cada um tem o seu estilo de vida e ninguém tem nada com isso. Pronto, este é o ponto onde muita gente se confunde. Não é porque uma pessoa chegou a "casar" com uma personagem de anime que todos tem que por obrigação ser assim, pagar na mesma moeda e serem generalizados/discriminados de qualquer jeito. E veja lá o que se sofre pelo simples fato da preferência por desenhos e seriados nipônicos, né? Paciência. Particularmente falando, não estou nem aí pra que os outros venham falar ou criticar sobre mim quanto assistir às séries japonesas e muito menos quanto às minhas obrigações. Caso contrário, que a oposição pague minhas contas e lave minhas roupas. Antes que me perguntem, não sou fã de Naruto e não tenho nada contra quem curte. E um "naruteiro" não é o único sinônimo de otaku, até porque no Japão a popularidade dos animes (principalmente aqueles madrugadões) é muito mais diversificada e menos, digamos, saudosista que o Brasil.

Ser "tokufã" não é o problema. O problema está na incoerência e no radicalismo em querer desassociar uma gama que é nativa por natureza da cultura otaku. Seria o mesmo que tentar ser "ultra jovem" quando se era criança. Um causo dos próprios seres humanos que tendem a sempre complicar o que nasceu para ser descomplicado - porém incompreendido por leigos. Ora, se vamos a um evento de animes e lá também tem programação/cosplays/produtos ligados a tokusatsu, por que isso não seria coisa de otaku? O que seria então? Isso por acaso é imoral, ilegal ou engorda? Ser fã de tokusatsu e dizer que não é otaku é o mesmo que renegar as raízes daquela certa cultura adquirida.

E para aqueles que dizem que "não existe tokufã-otaku", façam o seguinte: sigam o exemplo de Nobuo Akagi (da foto acima), o Akiba Red da série Akibaranger. Não precisa necessariamente ser um desengonçado e ter uma enciclopédia cerebral de Super Sentai. Simplificando o fatorial: ele curtia tokusatsu e tinha seus animes favoritos. Assim como muitos fãs de tokusatsu tem os seus. Sem contar que ele passeava pelo famoso bairro dos otakus: Akihabara. Afinal, quem de nós não gostaria de andar por lá e comprar algo relacionado a tokusatsu, hein? Certo ou errado? Caso contrário, esqueça qualquer hobby da vida, que a caverna fica logo ali na esquina. (rsrs)

Ser otaku é o equivalente a ser um nerd, um geek, um tekker, etc. E isso não é mal nenhum. Moral da história: o caso chega a ser involuntariamente um preconceito descabido de otakus contra otakus, cuja a insistência em existir é patética. Essas briguinhas e pensamentos pequenos tem mais é que voltar pro mundo que merecem. Já parou pra pensar se esses extremismos todos que vemos por aqui acontecessem no Japão? Seria um caos, né? Incrível como bons exemplos de educação dos nossos amigos do outro lado do mundo não são seguidos por todos como se deveria. Triste realidade.

Um comentário:

  1. Belo texto.

    Na verdade eu nunca notei muito essa "rixa" entre tokufãs e fãs de anime (até pq tokufã conheço apenas um), pensei que ela fosse mais comum entre os nerds/geeks e os otakus, mas de toda forma, também acho uma infantilidade sem tamanho ficar causando briguinha por coisa "x" de gênero "y", pois parece que ninguém pode se dar ao luxo de gostar mais do que uma categoria, têm sempre que se auto-rotular ou coisa do tipo, como se quisessem afirmar que o gosto deles é melhor ou mais sofisticado do que o do outro, quando na verdade dá tudo na mesma merda -.-

    Seja um fã da Marvel/DC, seja um fã de tokusatsus, seja um fã de animes ou um de Star Wars/Trek, não muda nada, é apenas um hobby.

    É por causa de pessoas assim que uma parcela da população vê com maus olhos a cultura pop japonesa/geek.

    ResponderExcluir