sexta-feira, 28 de março de 2014

Meus tokusatsus favoritos

Acho que passei um tempinho sem falar sobre o legítimo tokusatsu. É um gênero que gosto muito e que quero gastar mais assunto e fazer jus ao nome do blog -- embora seja de cultura pop em geral. ;) Neste post vou falar sobre as 10 séries de tokusatsu que mais curti até o momento a razão de cada uma.



1) Metalder (1987): Infelizmente nunca consegui assistir a esta série quando passou na Bandeirantes. Até então só conhecia por cromos dos álbuns de figurinhas do Spielvan. Somente em 2007 é que eu pude acompanhar este maravilhoso seriado. O programa tem um tom dramático até a gota, e isso é o ponto que me atraiu. O final é uma das coisas mais bonitas que eu já vi em uma produção japonesa. Algo indescritível!



2) Kamen Rider Black (1987): Foi uma série que fez muito minha cabeça na infância. Até hoje tenho o Black como referência dos Showa Riders (sem desconsiderar os veteranos). Gosto também pelo tom "dark" do enredo que dosa muito bem ação, drama e suspense. Embora o Shadow Moon seja o que é hoje (um saco de pancadas), gosto da sua postura de vilão e foi um dos melhores de sua época. Enfim, o Black teve a estreia com o roteiro bastante denso. Não é a toa que foi bastante aclamado quando lançado originalmente em outubro de 1987.



3) Ultraman Tiga (1996): Falo sem medo, mas tenho o Tiga como "o Black da Família Ultra". Isso porque a série quase me fez chorar em vários episódios, que por sinal teve elementos equivalentes da série citada acima. Claro, da maneira da concepção Ultra. É uma série que tinha tudo pra ser um clássico e merecia uma terceira chance no Brasil e ter uma justa atenção redobrada. Né, Doooona Eliana?!



4) Jetman (1991): Outro Super Sentai como Jetman não haverá jamais na história. Foi um momento único da franquia dos esquadrões que, além de ter o público infantil como garantia, chamou atenção de jovens e adultos. O romance foi o ponto alto da trama como jamais foi e talvez jamais seja tocado em alguma outra série do gênero do mesmo jeito que foi com o Choujin Sentai. Ah, eu brinco ao dizer que o Gai Yuuki/Black Condor é o "Jece Valadão" dos Super Sentais. Foi grande personagem.



5) Dairanger (1993): Um sentai frenético e eletrizante. Desde as coreografias dos heróis até as sagas individuais dos mesmos, foi um sentai que soube encaixar a trama com boas pitadas de comédia. Se não fosse pela Saban, Dairanger talvez poderia ter feito um sucesso similar ao de Changeman. Alucinante!



6) Kamen Rider W (Double) (2009): Dentre os Heisei Riders, esse é o meu favorito. Confesso que achei estranho quando vi os primeiros vídeos antes da estreia, mas durante o tempo em que esteve no ar percebi o quanto a série era detalhista. Até num simples episódio isolado era acrescentado algo. Fora que é cheio de personagens cativantes.



7) Akibraranger (2012): A melhor série feita pela Toei. (rsrs) Dizer que é paródia é pouco. É uma homenagem bem humorada aos Super Sentais. O final da primeira temporada foi surpreendente e algo jamais ousado em um tokusatsu. Nobuo Akagi, o Akiba Red, é o rei dos otakus!



8) Gokaiger (2011): Outra série que homenageou os Sentais e procurou seguir a fidelidade de linha de cada um. Gosto muito dos piratas, principalmente da Ahim (interpretada pela Yui Koike). Já nos filmes, Gokaiger vs. Gavan foi algo acima do épico. Gokaiger foi perfeito do jeito que foi e até hoje deixa saudades.



9) Jiraiya (1988): Na minha infância, não era a minha favorita. Mas na minha adolescência, nas reprises da Manchete/TV! entre 1998 e 99, passei a dar mais valor as histórias. Toha Yamashi é um bom personagem que tem um referencial pela sua determinação como aprendiz da arte ninja. O seriado tem um clima de família e tocou em pontos sobre o dia a dia da rotina dos cidadãos japoneses na década de 80. Confesso aqui que meu sonho é conhecer o ator Takumi Tsutsui pessoalmente. Sobre a dublagem, considero com um teor clássico semelhante ao do Chaves. Do tipo que você assiste várias vezes, não se enjoa, e tá na ponta da língua toda vez que vê. Destaque para o Gilberto Baroli na voz do terrível Dokussai. Por que será, hein?



10) Jaspion (1985): Uma história que deveria ser apenas no espaço, mas a aventura tinha que ser na Terra. Jaspion é uma série bacana e é garantia certa de diversão. Foi um tokusatsu que mostrou que não precisa ter grandes efeitos especiais pra se contar uma boa história. A despretensão foi algo que marcou os bastidores do programa. Apesar dos improvisos, Jaspion conquista gerações com histórias que referem elementos de sci-fi (como Star Trek e Star Wars) e até do cristianismo.

E pra você, quais são os tokusatsus que marcaram sua vida? Diz aí!

Nenhum comentário:

Postar um comentário